É um time do Azerbaijão?



Para não ser “injusto” com os times do Qatar que disputarão o Mundial de Clubes, resolvi fazer um post especial sobre o Rabita Baku, um dos rivais do Sollys/Nestlé em Doha.

O time é do Azerbaijão, certo? Errado.

Na lista de jogadoras inscritas para a competição, NENHUMA nasceu no país.

A Torre de Babel começa no banco de reservas, com o técnico italiano Marcelo Abbondanza.

Da Europa, mais cinco nacionalidades diferentes: uma jogadora bulgária (Rabadzhieva), uma alemão (Hubner), uma polonesa (Skorupa), duas ucranianas (Fomina e Zhukova) e quatro sérvias (Krsmanovic, Starovic, Cebic e Golubovic).

Completam o time do Rabita, a americana Akinradewo, a colombiana Montaño e a porto-riquenha Aurea Cruz.

Durante anos, Mammadova era a representante legítima do Azerbaijão no time. Mas, em tempos globalizados no vôlei…

 



MaisRecentes

Coluna: Minas e um dia histórico para o vôlei nacional



Continue Lendo

O tremendo desafio de Minas e Dentil/Praia Clube no Mundial



Continue Lendo

Coluna: Sinal de alerta com as chuvas no Brasil



Continue Lendo