E o Brasil calou Florença



Quatro anos atrás, a Seleção calou Roma durante a semifinal do Campeonato Mundial. Neste sábado, foi a vez de deixar Florença em silêncio na semi da Liga.

O Brasil aplicou um categórico 3 a 0 nos donos da casa, parciais de 25-11, 25-23 e 25-20. Vitória que carimbou a vaga na final, neste domingo, contra os Estados Unidos. À Azzurra, cada vez mais incomodada com o sucesso brasileiro, restará brigar pelo bronze contra o Irã.

Foi uma das melhores atuações deste time. Firme na virada de bola, com bloqueio aparecendo em momentos importantes, com o saque forçado de algumas peças fazendo estrago, além de constância no passe durante grande parte da partida. Nem parecia o mesmo Brasil de outros momentos da Liga.

O 25 a 11 é um retrato desta performance exuberante. A Itália apenas viu o Brasil jogar no primeiro set. E foi um espectador privilegiado! Zaytsev, o grande nome da Azzurra, ficou zerado. Só foi pontuar na metade da segunda parcial. E a Itália sem ele é um time comum.

O jogo, como esperado, deu uma endurecida na sequência. Ainda assim, o Brasil só ficou atrás em um momento antes do segundo tempo técnico do 2º set. E não sentiu a pressão, virando logo depois de um pedido de tempo de Bernardinho. Faltou para a Itália um saque mais eficiente, que fizesse a Seleção jogar pressionada.

Na plateia, Zorzi, Bernardi e Gardini, astros de uma geração italiana quase hegemônica na década de 90, pareciam não acreditar na superioridade verde-amarela. No banco de reservas, Mauro Berruto, descontrolado, era o retrato da Itália. Estava perdidinho!

Ao ver os números do jogo, a comprovação da superioridade brasileira. Foram 11 pontos no bloqueio, contra quatro italianos. No saque, três a um. Na quantidade de erros, goleada europeia: 26 a 15.  Entre os maiores pontuadores, equilíbrio, o que é um mérito: Lucarelli anotou 13, Lucão fez 11, Sidão e Wallace terminaram com dez cada.

Quando o Brasil joga em conjunto, sem depender de uma ou duas peças, é o time a ser batido. E é assim que os Estados Unidos, como escola, também jogam. Promessa de jogão neste domingo!

 



MaisRecentes

Vaivém: Leal, Solé, Grebennikov e Bartsch de casa nova



Continue Lendo

Vaivém: Renan acerta volta para a Itália



Continue Lendo

Vaivém: Argentina marca golaço ao acertar com Marcelo Mendez



Continue Lendo