E lá vem bomba às vésperas do início da Superliga



Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, Rogério Loureiro, presidente do Volta Redonda, anunciou o fim das atividades do time.

Ou seja: duas semanas antes do início da Superliga masculina, um time que estava confirmado fecha as portas.

Cedo saber o que vai acontecer com a competição nacional. Será que a CBV vai chamar de volta o Voleisul, aquele mesmo que entrou e dias depois foi obrigado a sair por não haver concordância dos demais participantes? Ou a tabela terá de ser refeita, com o torneio masculino tendo um time a menos?

Certeza neste momento é que o estado do Rio de Janeiro NÃO terá representantes na competição nacional e mais uma dezena de jogadores ficará sem emprego no país.

Veja abaixo nota oficial enviada pelo Voltaço ontem, quando foi marcada a entrevista de Loureiro:

“Terminado o período eleitoral, reassumi a presidência do Voltaço, cargo do qual me licenciei, mesmo sem obrigatoriedade formal da lei, porque considerava a decisão mais adequada. Desde que entrei na política de Volta Redonda, defendi a importância da busca da renovação dos quadros, das lideranças e das ideias. Findo esse processo no qual não obtivemos êxito eleitoral, decidi que é momento também de praticar essa renovação no Voltaço. Estou desde 2003 como presidente do clube e permaneci esse tempo todo por nas eleições passadas não ter sido apresentada outra chapa, mas agora creio que meu ciclo como presidente de fato tenha sido encerrado. O meu atual mandato se encerra em dezembro de 2014. E decidi não continuar na presidência. Hoje me reuni com o presidente do conselho do Voltaço e o comuniquei da minha decisão. Solicitei também que seja antecipada a eleição para o mais rápido possível para que a nova presidência tenha tempo para se planejar para a disputa do Carioca de 2015. Já solicitei uma reunião ao prefeito de Volta Redonda para expor essa decisão. Como considero que o clube seja um patrimônio da cidade, mesmo que independente, acho importante que a prefeitura assuma alguma responsabilidade em relação ao clube. Durante os mais de 10 anos que presidi o clube, o Voltaço atingiu seu recorde de permanência na Série A, conquistou seu principal título, a Taça Guanabara de 2005, e teve suas contas saneadas. Meu amor ao clube permanece e desejo todo o sucesso ao conselho para encontrar um presidente que cuide do Voltaço como o clube merece”



MaisRecentes

Brasil impõe primeira derrota à Turquia na Liga das Nações



Continue Lendo

Entrevista com Kerri Walsh, três vezes campeã olímpica



Continue Lendo

Vaivém: Oposto troca Sada/Cruzeiro por Ribeirão



Continue Lendo