Dois paulistas na semi da Superliga masculina



Brasil Kirin e Sesi garantiram, neste sábado, classificação para as semifinais da Superliga.

O time do Campinas foi o primeiro a carimbar o passaporte. Na Serra Gaúcha, o time de Campinas fechou a série de quartas de final em 2 a 0 com vitória por 3 sets a 1, parciais de 25-16, 20-25, 25-21 e 30-28.

O líbero Tiago Brendle foi eleito mais uma vez o melhor em quadra.

Estar na semifinal era o meta mínima do Brasil Kirin nesta temporada. E ela foi alcançada. Um projeto grande, sério, com pessoas competentes e agora sonhando com voos mais alto. Por uma vaga na inédita final, o time de Alexandre Stanzioni terá de superar, provavelmente, o Funvic/Taubaté, que lidera o playoff contra o Minas, podendo fechá-lo neste domingo, às 13h, em Belo Horizonte. Não é uma tarefa fácil, mas é certamente algo mais viável do que o desafio do Sesi.

Rivaldo tenta passar pelo block do Brasil Kirin (Divulgação)

Rivaldo tenta passar pelo block do Brasil Kirin (Divulgação)

O time de Marcos Pacheco se garantiu na semifinal ao fechar, também neste sábado, a série contra Montes Claros. Vitória em Minas Gerais por 3 a 0 (25-19, 25-12 e 25-15), bem mais fácil do que se esperava. E agora espera por Sada/Cruzeiro ou São José, que jogarão amanhã, às 10h30. Se nenhuma hecatombe acontecer o duelo será contra os mineiros, atuais campeões do mundo, do continente, do país…

O ponta Douglas Souza foi um dos destaques na virada de bola e ganhou o VivaVôlei. O jovem tem demonstrado muita segurança no ataque nesta reta final de Superliga, tirando um pouco do peso dos ombros do oposto Theo. Com Escadinha e Murilo segurando no passe, Douglas pode se concentrar mais neste fundamento, transformando-se em peça-chave no time. Outro ponto a ser destacado foi a entrada em quadra, no segundo e terceiro sets, do central Sidão, quatro meses após uma cirurgia no ombro. É a manutenção do sonho olímpico do experiente jogador.

Por fim, é preciso fazer uma menção honrosa aos dois eliminados de hoje. Bento Gonçalves e Montes Claros têm história importante no vôlei nacional. A cidade gaúcha é um celeiro de jogadores, enquanto a mineira, que já viu o time até disputar final de Superliga, tem uma torcida fanática. Ambos estiveram fora da elite durante alguns anos e se reestruturaram para o retorno. Que tenham vida longa!



MaisRecentes

Dentil/Praia Clube confirma presença no Mundial



Continue Lendo

Seleções disputarão amistosos pelo país antes dos Mundiais



Continue Lendo

O adeus do genial genioso Ricardinho



Continue Lendo