Deu Vakifbank Istambul. E Unilever vai ter dificuldades para dormir



A invencibilidade não caiu. E assim o Vakifbank Istambul é campeão mundial, após derrotar a Unilever por 3 a 0 (25-23, 27-25 e 25-16).

E a forma com que o resultado se desenhou fará com que comissão técnica e jogadoras da equipe brasileira tenham uma difícil noite de sono em Zurique hoje.

Nos dois primeiros sets, a Unilever equilibrou as ações e só não saiu na frente por erros individuais. Taticamente, o sistema de bloqueio/defesa funcionou e apenas Brakocevic conseguia desequilibrar. Sonsirma, Furst e Costagrande tinham dificuldades para pontuar, o que deixava o jogo parelho. Ele só não pendeu para o lado da Unilever pois dois fatores decidiram: a instabilidade do passe com Gabi e Mihajlovic e a dificuldade de pontuar na virada de bola.

A sérvia terminou a partida com sete pontos, todos no ataque. Já a jovem brasileira fez três a mais (oito no ataque e dois no bloqueio). Ou seja: não brilharam no passe e não decidiram no ataque. Se uma delas tivesse atuado um nível acima, o jogo poderia ter um outro contorno. Válvula de escape de Fofão, Sarah Pavan também não brilhou, fazendo apenas oito pontos.

Torcedores fanáticos, não vamos culpar a arbitragem, por favor. Ela errou, sim, no primeiro set, ao apontar como fora um saque de Carol que bateu na linha. Seria o 15 a 13, se não me engano, para a Unilever. Pouco depois, as turcas abriram dois pontos. No set seguinte, porém, um ataque bateu claramente no bloqueio da mesma Carol e foi marcado fora. Logo depois as brasileiras empataram. Então, o juiz erra quase sempre para os dois lados. Reclamem sim de uma competição deste nível não ter o auxílio da tecnologia, que resolveria situações como as citadas.

Voltando à partida, como jogou Brakocevic! Foram 23 pontos, 19 deles no ataque. Merecidamente levou o prêmio de MVP da competição. Se a vitória fosse da Unilever, a premiação poderia ter ido para Carol, central que fez uma competição acima da média e das expectativas. Na final, foram 12 pontos, SETE deles no bloqueio.  A jogadora parece ter conquistado de vez o espaço na equipe.

Por fim, uma estatística que me chamou a atenção. 21 pontos de cada time foram feitos em erro do adversário. Muita coisa para uma decisão em três sets.



  • Afonso RJ

    Merecidamente deu Vakifbank. Vale dizer que o time turco enfrentou no europeu equipes bem mais fortes. Veio para esse mundial já com uma boa rodagem e com bom entrosamento. Por sua vez a Unilever só enfrentou mosca morta no sulamericano, e seu maior reforço da temporada, a ponteira Mihajlovic só estreou durante o mundial. Se houvesse mais tempo e um melhor entrosamento da sérvia, principalmente se adaptando melhor ao jogo acelerado do time carioca, talvez a história fosse outra. Mas no esporte, assim como na vida, não existe “se”. Vale lembrar que além de enfrentar times mais fracos no próprio mundial, ano passado o time de Osasco trazia um entrosamento quase que perfeito da seleção brasileira campeã olímpica. De mais a mais, méritos dos dois: esse ano o Vakifbank e ano passado o Osasco. Quanto ao time da Unilever, parabéns pela campanha e pelo empenho. Ainda há o que melhorar, mas tenho certeza que muitas vitórias ainda virão pela frente.

  • LEO

    Sim, o arbitro errou para ambos lados no primeiro set e segundo. A diferença é que a bola errada no primeiro set a favor do Vakifbank poderia ter levado a história do jogo para um outro lado. Se, a Unilever fechasse aquele set, as turcas estariam mais pressionadas no segundo set. E, também, mesmo com o erro a favor da Unilever, as turcas ainda fecharam o segundo set, sendo assim não foram prejudicadas no resultado final do set e a Unilever foi. O resultado não foi ruim, a Unilever ficou em segundo lugar, mas não perdeu para um time qualquer. Perdeu para um time que tem várias jogadoras de peso e que são titulares em suas seleções. O vakifbank daria trabalho e poderia até vencer a seleção brasileira se jogasse contra a mesma. O time tem muito o que progredir, apenas começou a treinar junto no final de setembro e mesmo com as falhas na recepção ( que com certeza a comissão técnica vai trabalhar muito para corrigir) mostrou que não será fácil ser batido aqui no Brasil. Gabi não fez uma boa competição,mas é nova e não devemos colocar tanta pressão em cima dela e tudo será resolvido com o tempo. Parabéns a Unilever, pois apesar de 3×0 o time deu trabalho.

  • Gustavo

    Parabéns Ao Vankifbank .
    Concordo com você Daniel, Pra mim o fator de desequilibrio foi a Gabi, Se ela tivesse jogado bem poderiamos ter ganho .Faltou também um pouco de Natalia, Carol bloqueou muito, grata surpresa . Parabéns também a Unilever pela medalha de prata .

  • Luiz

    BEM feito para aquele arrogante.

    Só uma pergunta: Por que ficar pulando com as meios fraquíssimas daquele time – que só estão ali para fazer número – e não ficar parado nas pontas?
    Bernardinho está perdendo a mão. Ele já foi um comandante melhor.

  • cleverton

    Uma coisa que chamou a atenção foi notar que Unilever não tem banco de reserva só figurantes. O time turco também convenhamos foi superior ao Unilever nas horas decisivas e a Gabi entrara numa fase onde será estudada e marcada e tera que saber lidar com isso.

  • ANALISE DA FINAL

    Gostaria de dizer em primeiro lugar que não sou torcedor do Molico/Osasco e nem do Unilever. Sou torcedor do Minas Tênis. Mas neste mundial torci muito pela Unilever. Mas vamos analisar o mundial da Unilever.
    1) Gabi foi um fiasco neste mundial de clubes. Cadê o fenômeno que não apareceu neste mundial? O desempenho dela no ataque foi medíocre em todos os jogos; sua recepção foi péssima e para mim foi a decepção desse mundial. Tem talento? É talentosa demais (fenômeno), mas é baixa e tem pouco alcance. Por ser baixa deveria sobressair no passe, mais seu passe é péssimo;
    2) Juciele foi outra que decepcionou neste mundial de clubes. O bloqueio que é seu forte não apareceu. Teve um rendimento medíocre neste fundamento e no ataque foi muito marcada, pois só sabe atacar china;
    3) Pavan é uma boa oposta, apenas isso;
    4) Regiane é uma ponteira medíocre, nem no banco merece estar na Unilever;
    5) Carol foi espetacular neste mundial. Já tinha mostrado evolução no Pinheiros. Quem viu a Superliga 2012/2013 pode comprovar. Foi um paredão neste mundial;
    6) Mihailovic foi bem demais para quem está vindo de uma lesão sofrida no Europeu e também para quem não está entrosada com o time. Precisa melhorar passe, fundo de quadra e bloqueio;
    7) Roberta é um péssima levantadora; Errar aquele saque no final do 2º set?
    8) O banco de reservas da Unilever é medíocre;
    9) Bernardinho está em decadência.

  • Lilika

    Bom, foi o previsto né…tentem de novo ano que vêm, quem sabe vocês estejam lá…agora é torcer para o masculino e os mineiros do Cruzeiro…

  • caco

    Meios fraquíssimas do Vakifbank?? A Furst é uma das melhores centrais do mundo ( top 5) e sempre é referencia no ataque do time Turco. O que engrandece ainda mais o trabalho das centrais , principalmente da Carol. A Naz até tentou jogar mais pelo meio , mas a Furst e a Toksoy levaram vários tocos. Em relação ao time do Unilever , teria que jogar tudo que pode para ser campeão. A Gabi parece exausta e foi apenas razoável todo o torneio. Para piorar a Pavan não foi efetiva como costuma ser. O destaque positivo foi a atuação muito boa da Carol. Eficiente e decisiva em todos os fundamentos. Tem tudo para ser titular essa temporada.

  • Marcello Souza

    1ª Fase: Vakifbank Istanbul 3×1 Unilixo/Rio de Janeiro.
    Frase do senhor Bernardo Rezende: A final é outro jogo, sera diferente.
    Final: Vakifbank Istanbul 3×0 Unilixo/Rio de Janeiro. Hahahahahah mas eu to rindo a toa. Feliz da vida.

    • Afonso RJ

      Parece que temos torcedor de futebol infiltrado aqui no blog…

      • Emanuella

        concordo Afonso. Dá vergonha ler esse tipo de comentário. Por isso que futebol tem que ficar longe do volei.

        • João Paulo

          Opinião do cara, ele tem o direito de se manifestar da maneira que bem entender, desde que não desrespeite ninguém. Ele não é obrigado a gostar e nem a torcer para um time específico.

          • emanuella

            e eu dei a minha opinião sobre a opinião dele. Tenho o direito de faze-la sem ofender ninguém 😉

  • emanuella

    achei que as duas ponteiras e a oposta sumiram do jogo. O Unilever foi até muito competitivo nos dois primeiros sets.
    Achei que só a Carol jogou bem. Fofão tentou de tudo para colocar as jogadoras em jogo, mas não deu. Achei Sarah e Gabi péssimas.
    Fabi achei que jogou bem, estava defendendo muito bem, mas o ataque não ajudava.

  • emanuella

    O time do Unilever não tem banco. E o que tem ali e só. Uma coisa que acho engraçado é que o Bernardo sempre tem problemas na passadoras. Mari, Nathalia e agora essa gringa. É sempre muita bola espirada pra tudo que é lado.

  • Saulo

    Bom dia,
    nao digo que estou triste com o resultado, so gostaria de lembrar quando o osasco foi duas vezes com time desfigurado ficou em terceiro e segundo lugares, e a torcida do rio caiu em cima. Ano passado fomos com time titular e ganhamos. Voces foram com o time titular e perderam. Parabens pelo esforço.

    • Gustavo

      Bom dia Saulo, não lembro de o osasco ter ido com time desconfigurado não para o mundial, ele foi com o time titular sim, só que aconteceu, o que ocorreu com o Unilever, esse ano, começo de temporada, a sorte do Osasco, no ano passado, foi que o time era a seleção brasileira, ou seja, entrosamento quase perfeito, e fora que o único time que poderia derrubá-lo era o Rabita Baku, que vinha todo mudado da temporada anterior, ou seja, estava desentrosado, garanto que se fosse no meio ou no final da temporada, os resultados de ambos os mundiais poderiam ser diferentes… Inclusive, achando que o Osasco continuaria com o titulo, e o Rio conseguiria o titulo, porque o que pesou nesse campeonato, foi o desentrosamento da equipe e o cansaço, principalmente de gabi, e garanto uma coisa que se Mihajlovic tivesse no seu auge, com entrosamento com a equipe, o resultado seria o outro, até porque na minha opnião, só quem jogou naquele time, foi a Brakocevic, e um pouco, a Sonsirma(odeio ela kkkk)… Uma última declaração, em base de um outro blog, acredito que o Unilever, vai criar um monstro chamado Mihajlovic, já que Berna vai ajudá-la a melhorar seu passe, e a comissão a melhorar seu fisico.

  • Acho que não se deve desvalorizar a conquista do Osasco no ano passado, acredito que assim como o Vakifbank foram times que sobraram na disputa de Mundial de Clubes, e sim, A Unilever foi até onde dava, acho que apresentaram um bom Voleibol disputando os dois primeiros sets. Não vamos colocar desculpas, de que o time tava se montando e tal.

    Entrou Brankica no Unilever (Carol pode treinar bastante, e já pertenceu ao grupo, e fez muito mais do que se esperava de Valeskinha, que talvez só seja superior ainda no Ataque). No Unilever entrou Costagrande e sairam Kimura e Glinka, que talvez fossem uma dupla que contribuissem mais ao time, mas ele manteve o nível.

    Pena para o Brasil mesmo foi o Osasco ter perdido a Superliga no ano passado, mas, não acho que o Rio fez feio em ficar em 2º, o feio foi algumas jogadoras renderem muito abaixo.

    Gabi jogou muito abaixo, realmente me decepcionei, sei que está cansada e tal, mas as outras jogadoras também… as do Vekifbank , muitas jogaram tudo e tal, e Gabi ainda tem apenas 19 anos, o fator altura é algo que pode realmente comprometer o seu desenvolvimento. Ela não se compara, ainda, a geração Vencedora, acredito que a maior euforia feita por nós fãs do Voleibol, é pq realmente temos uma escazzes de grandes talentos…

    Anos se pasaram e não temos outra Sheilla, outra Jaqueline, outra Mari, nem sequer outra Natália e Thaisa….

    Garay foi uma jogadora que se desenvolveu muito, mas não surgiu como uma grande promessa, fez um caminho mais difícil, e na base da Raça desenvolveu seu voleibol, e hoje, gera confiança a todos nós.

    Tenho medo que Gabi acabe como Erica, comecei a acompanhar mais o Voleibol durante as Olimpiadas de Atenas 2004, e vi uma Érica atuar de titular, e depois simplesmente sumir, poucas aparições como no Panamericano, realmente, muito nova, se ausentou da seleção.

    Gabi já tinha trabalhado com Times Altos, inclusive no Gran Prix, devemos colocar ela no lugar dela, boa jogadora, que assumiu uma pressão enorme, mas que ainda nem é uma exímia passadora, nem uma exímia atacante, ela precisa aprimorar ainda seus fundamentos.

    Gabi tem dificuldade de atacar atrás da linha dos três, mas, espero que essa boa jogadora, se torne grande. O problema que sente nela, é pq ela não fez uma partida ruim e sim o mundial todo.

    VAkifbank: Brakocevic se consolida como uma grande oposta
    Sonsirma: cresceu muito essa jogadora Turca
    a Libero da Turquia não comprometeu, e me surpreendeu
    ….. Naz com pouca idade já conquistou tudo, é uma grande levantadora, e ainda tem muitos ciclos pela frente, provevelmente mais 3 Olímpiadas pelo menos, jogadora completa, Levantadora de visão, que levanta bem, saca bem e bloqueia. Hoje, na minha opinião é a melhor da posição pelo conjunto da Obra.
    Costagrande, realmente equilibrou o time.

    Nikolic tá fazendo o que lá no Vakifbank????? não vai ser titular em nenhuma competição… Sanja deve lucrar com isso, e se garimpar o seu espaço na seleção Sérvia.

  • @alcidesxavier

    Acho que até foram longe de mais…se o Volero tivesse jogado um pouco melhor, e Carcaces tivesse sido decisiva, poderíamos ter uma final Vakifibank e Volero e ver o Unilever disputando o 3º lugar e perdendo pro time chines!

    NUNCA SERÃO, JAMAIS SERÃO!!!
    OSASCO CAMPEAO MUNDIAL!!!!
    #CHORA

    • Rodrigo Costa

      Seu recalque bate no nosso octacampeonato na Superliga e volta!

      Perder pro Volero (aquele que ficou em 4º lugar) e perder até a disputa do 3º lugar?

      Acorda, alice recalcada!

  • A unilever tentou mas campeonato mundial é coisa pra gente grande.um time que vai disputar essa competição tem que ser forte tem que ter raça,gente com personalidade e só tem uma equipe assim. Molico Osaco é a única equipe que representa o Brasil.Brasileiro é um povo forte valente o único time que traduz isso é o Osasco. O unilever é um Time opaco expecialista em super liga pois os times Brasileiros exceto o molico osasco tem medo do favoritismo dele. Unilever tentou e nem da pra falar pra tentar outra vez por que o Osasco vem aí e vai passar por cima de tudo. Ele sabe como fazer isso. Sai da frente Rio ou vc vai se machucar!!!!!

MaisRecentes

Vaivém: Vôlei Nestlé confirma apresentação de peruana



Continue Lendo

Vaivém: Polonesa é esperada em Barueri



Continue Lendo

A zebra aparece em Belo Horizonte



Continue Lendo