Deu gosto de ver Ricardinho



O Ziober/Maringá forçou o terceiro e decisivo jogo das quartas de final ao vencer o Sesi por 3 a 1, na noite de sábado.

E deve boa parte deste feito ao levantador, capitão e presidente Ricardinho.

O campeão olímpico jogou muito bola. Em alguns momentos relembrou o bom e velho Ricardinho de uma década atrás, quando era o melhor jogador do mundo e responsável por dar uma velocidade absurda à Seleção Brasileira.

O bom desempenho de Ricardinho permitiu uma quase perfeita distribuição de pontos entre os atacantes do time paranaense. Renato e Rivaldo empataram com 12 acertos, sendo seguidos por Diogo e Bomba (10 cada) e Luan (9). E é preciso algumas linhas para o oposto reserva. Luan entrou no decorrer do terceiro set, quando o Sesi ensaiava uma reação. Foi mantido por Horacio Dileo no quarto e chamou a responsabilidade na definição dos pontos. Bom ver um talento, que no ano passado pelo Canoas não jogou por lesão, aparecendo em um momento de decisão da Superliga.

Pelo Sesi, Theo marcou 16 pontos, quatro a mais do que Lucão. Bola de segurança para o oposto, principalmente pelo fato de o passe ter sofrido em grande parte do jogo. Marcos Pacheco trocou Mauricio por Murilo, Lucarelli por Mão em busca da estabilidade. O passe até melhorou, mas o ataque é prejudicado, uma vez que Murilo ainda busca sua melhor forma após cirurgia no ombro.

Para o terceiro jogo, em São Paulo, o cenário está aberto. O Sesi ainda tem o favoritismo, mas terá de conter agora a empolgação do Maringá.

Na outra partida de sábado, o Sada/Cruzeiro foi até Montes Claros e se classificou para a semifinal com a vitória por 3 a 1. Foi um jogo difícil para os favoritos, já que o saque do Montes Claros entrou em boa parte de jogo e a torcida apaixonada empurrou bastante. Wallace, com 22 pontos, foi o principal nome. O time de Marcelo Mendez agora espera Minas ou Brasil Kirin.



MaisRecentes

Conheça Kadu, a novidade da Seleção nos jogos pré-Mundial



Continue Lendo

Em dia de justa homenagem por ouro em Pequim, Brasil perde a quarta seguida



Continue Lendo

Coluna: Uma semana estranha para o vôlei brasileiro



Continue Lendo