Deu a louca na Superliga?



Você é um dos favoritos ao título da Superliga feminina? Então cuidado com as zebras que estão soltas neste início de competição!

Ontem, pela segunda rodada, caíram Rexona-Ades e Sesi, duas das principais potências do país.

O time carioca, dez vezes campeão, foi até o Panela de Pressão e perdeu para o Concilig/Bauru por 3 a 1 (26-24, 17-25, 25-22 e 27-25). Já as paulistas, em Santa Catarina, foram superadas pelo Rio do Sul/Equibrasil no tie-break, parciais de 25-23, 15-25, 19-25, 25-21 e 15-12. Vale lembrar que o time catarinense já havia vencido também o Camponesa/Minas.

Festa do Bauru em casa (Marina Beppu/Divulgação)

Festa do Bauru em casa (Marina Beppu/Divulgação)

Os torcedores do Rexona-Ades, do Sesi e do Minas que me desculpem. Mas é interessante ver equipes com orçamento menores deixando, ao menos por algumas rodadas, a condição de meros coadjuvantes. Faz bem ao esporte. Estimula patrocinadores de menor porte a seguirem investindo. Premia trabalhos sérios em quadra. E deixa o campeonato mais interessante.

Triunfos assim são raros no vôlei brasileiro nos últimos anos. Os pequenos (e uso essa palavra com o maior respeito) estão muito distante dos grandes. Basta comparar os elencos.

Camila Paracatu se destacou pelo Rio do Sul (Clovis Cuco/Divulgação)

Camila Paracatu se destacou pelo Rio do Sul (Clovis Cuco/Divulgação)

Ontem, pelo Rexona-Ades, estiveram em quadra as selecionáveis Natália, Fabi, Carol, Monique, além da americana Thompson. É justo citar as ausências de Gabi e Juciely, poupadas. Pelo Sesi, Fabiana e Jaqueline, estrelas da companhia, foram titulares.

E os destaques, em Bauru, acabaram sendo Mari Cassimiro (19 pontos) e o bloqueio, que somou 20. Já pelo Rio do Sul Camila Paracatu e Heloiza anotaram 18 pontos cada.



MaisRecentes

Vaivém: Mais uma campeã da Superliga no Osasco/Audax



Continue Lendo

Na estreia de Lucas Lóh na Liga das Nações, Brasil se recupera



Continue Lendo

Vaivém: Ribeirão apresenta novo elenco



Continue Lendo