Deu a lógica em Cuiabá



Finalmente um jogo (de verdade) no Sul-Americano masculino de Cuiabá. Na disputa pelo título, o Brasil comprovou sua hegemonia mais uma vez e derrotou a Argentina por 3 a 1, faturando o 28º título em 29 edições (em uma delas, a Seleção não disputou e os hermanos foram campeões).

O jogo deste domingo teve um pouco de tudo o que se esperava: nervosismo, belos lances de ambos os lados, provocação e até bate-boca entre Bernardinho e Weber.

Pelo lado brasileiro, o técnico manteve a escalação titular com Marlon e Wallace. O levantador tentou impor seu estilo mais veloz do que Bernardinho. Funcionou muito bem com Dante, com quem já tem o entrosamento da época de Brasil Vôlei, principalmente com as bolas de meio-fundo. Com os centrais ainda precisa de mais treino, vide a dificuldade que Sidão teve em uma rede, com quatro bolas recebidas e nenhum ponto. Já com Wallace não deu certo. O oposto quase não conseguiu virar as bolas e acabou sendo substituído por Théo ainda no segundo set. Perdeu uma grande chance para se firmar no concorridísimo grupo de 12 “titulares”.

Para a Copa do Mundo, muito ainda precisa melhorar no sistema de jogo. O passe brasileiro oscilou bastante, até mesmo com Escadinha e Murilo, que são acima da média no fundamento. O saque também teve momentos ruins, que irritou os próprios jogadores nas paradas técnicas, já que os erros foram sequenciais. O bloqueio ainda está devendo atuações mais consistentes.

Do lado argentino, duas comprovações: Conte e De Cecco são”pontos fora da curva”, como costumo ouvir. O ponta é um líder nato, diferenciado no ataque e, com um pouco mais de experiência, vai estar entre os principais atacantes do mundo. Já o levantador é ousado, arrisca muito e sabe variar as jogadas. O bicampeão olímpico Maurício ainda deve estar se lamentando por não ter conseguido contratá-lo para o Medley/Campinas.

Mas, no fim, deu a lógica.

O que vocês acharam do jogo e da atuação individual dos atletas?



  • Álvaro Médio

    o Quiroga tb se vira bem.
    Mas esse time da Argentina não tem como ir muito longe porque não tem banco.

  • riller

    o jogo foi bom demais, espero que o bernardinho mantenha o marlon de titular.
    ja o time da argentina se mantiver esse mesmo time jogando junto, conseguir dar um pouco mais de bagagem ao sole e ao pablo crer, daqui a um ou dois anos eles tambem vao estar no topo.

  • Luciano

    Poxa, que saudade dos bons tempos de entrosamento do jogo brasileiro, o Brasil oscila muito entre uma jogada fenomenal e umas bizarras, desatenção. Vejo que falta algo nesse grupo, pois são muito bons os jogadores, mais no conjunto fica devendo.
    Daniel, vc poderia propor aí no seu blog algo como: o que falta pra essa seleção deslanchar, ou tb qual o melhor e o pior fundamento do Brasil?
    Uma dica.. valeu..

  • Andrei

    Gostaria de deixar meus 2 destaques da partida, o positivo e o negativo. Como o Dante é importante pra nossa seleção. Na falta de um oposto ele é o desafogo, aquele que vira bola de segurança. Num jogo contra a Rússia ele é imprecindível. Fez falta na final da WL. É claro que estava sem ritmo, mas acredito que com ele 100% o resultado seria diferente. O que não podemos é jogar na ponta com Murilo e Giba, jogadores que dependem de muita velocidade no levantamento. Já o Wallace confirmou o que sempre eu soube, não é jogador nível seleção. Some contra times grandes. Ser destaque da Superliga é uma coisa, ser um jogador top mundial como o Vissotto já provou que é, vide último campeonato mundial e os títulos com o Trentino, são coisas bem distintas. Conto para Copa do Mundo com a volta do Vissotto em grande forma e com fome de bola e também com o talento de Gustavo Endres na minha opinião um jogador fora de série e ainda com folga o melhor bloqueador brasileiro e top 3 mundial, rivalizando com os russos e o estupendo David Lee.

  • emanuella

    o que falta a argentina é rodagem, menos erros, 26 erros de saque é surreal, e centrais, os garotos são fracos e não colocam a bola no chão. Mas é um time que da gosto de ver. Minha aposta para ganhar medalha em Londres, imagino que o terceiro lugar sobre os EUA ou Polonia. Brasil e Russia a final.

    quanto ao Brasil, o que mais irrita é que o time não tem bloquei, o Lucão é um disperdicio de altura, faz muito pouco bloqueio para um cara tão grande. o oposto, vi gente falar que os Wallaces são os melhores do Brasil, hoje deu pra ver que jogar no clube é uma coisa, e jogar na seleção precisando colocar a bola no chão é outra coisa bem diferente. posição difícil para o Brasil achar um craque.

    Nosso passe ta complicado ainda, Quiroga fez estrago, isso porque o time erra muito saque, com um time que saque bem sofremos muito. Marlon fez algumas escolhas erradas, mas jogou bem demais, acho que Marlon é muito preciso, difícil ele errar um levantamento.

  • Carlos

    A seleção, com certeza, não está jogando bem. Algo não está fuindo.
    Siceramente, não estou gostando da ditribuição do Marlon. Ele praticamente não jogou com a saída. Em alguns momentos, as jogadas ficavam muito marcadas, ou era meio ou era ponta. Dava pra ver a frustração de Theo, que foi nosso melhor atacante na Liga Mundial. Além disso, acho o Marlon muito lento, tanto para fazer as defesas quanto para se deslocar para o levantamento. Acho que, de vez em quando, quando ele entra, é bom, pq muda a dinâmica do jogo, mais ficar o tempo todo deixa o time muito marcado.
    Outro ponto negativo são os centrais. Os dois tem semelhantes características, são excelentes atacantes, mas não tão bons bloqueadores. Como a bola do Lucão é nossa melhor bola, nossa bola de segurança, eu o deixaria na seleção, mas sacaria o Sidão. Gustavo é uma boa opção, para equlibrar, mas não sei suas condições físicas.
    E Murilo parece que também não está 100% ainda, como na liga mundial.
    Espero que tudo se acerte até a copa do mundo.

  • Adriano

    O De Cecco bota no bolso os dois levantadores brasileiros. Esse time pode ganhar, ainda, tudo que tiver pela frente: Copa do Mundo, Liga e Olimpíada, mesmo com Marlon e Bruno. Mas a verdade, que nós sabemos, é que o time PODERIA ser melhor.

    Quanto ao Wallace, não me surpreende. Gosto do Théo, mas ele também não entrou bem. Deveria ser ele e alguém mais, alguém melhor que Vissoto e Wallace do Sesi. O Brasil, felizmente, pode se dar ao luxo de ganhar jogos de alto nível como esse sem precisar do ataque do oposto.

  • Rafael B.

    Concordo com Daniel ao dizer que o jogo do Wallace com as bolas do Marlon ainda não encaixou. Ele tem uma condição física invejável. Ataca bem, pega forte e saca muito bem.
    Não acho que ele esteja 100% confortável na seleção. Todo novo jogador precisa do apoio do time (isso em qualquer ambiente, por exemplo em um novo emprego) e o Marlon não “soube” colocá-lo no jogo. Tive essa impressão em todo o campeonato!
    No jogo de ontem ele recebeu duas bolas no primeiro set e ambas sem a condição ideal de ataque. O Marlon levantava bola pro Dante o tempo novo e empinava pro oposto somente quando não tinha outra opção e continuou fazendo isso com o Theo. Até o quarto set, o Wallace q havia saído no 2o. set tinha 5 pontos e o Theo 1! Mas isso tudo é natural e fácil de corrigir.
    Precisamos de mais treinamento e dos dois jogando mais vezes juntos. Esse entrosamento poderia ter sido buscado contra os times mais fracos, mas não aconteceu.
    No mais, apesar das críticas, prefiro o estilo de jogo do Marlon. Ótimo ver o Dante voltando a seu ritmo e como é bom seu entrosamento com o Marlon. Murilo apareceu nos momentos certos e os centrais também foram bem. Curioso é que o entrosamento do Marlon “pecou” justamente com os outros jogadores “reservas”: Sidão e Wallace!
    Parabéns pelo título Brasil! De Cecco e Conte são fora de série!!!

    • emanuella

      isso eu concordo, Marlon joga pouco com os opostos, precisa tentar mais, porque não adianta dar a bola para ele só quando a coisa aperta. ele joga muito com o Dante, e eles tem uma sincronia muito boa, que é a dificuldade do Bruno, que não conseguiu ainda acertar a bola com o Dante.

  • graça

    Quero parabenizar o exemplo de profissionalismo do SERGINHO, pois independente do ADVERSÁRIO, seja ARGENTINA, seja PARAGUAI, e independente do campeonato: SEJA um “fraco” SULAMERICANO, seja uma DISPUTADÍSSIMA COPA DO MUNDO, a postura do SERGINHO é a mesmo, FOCADO, CONCENTRADÍSSIMO, vai em TODAS AS BOLAS e faz RECUPERAÇÕES INCRÍVEIS. Isso faz dele um LÍDER NATO, pelo exemplo de DISPOSIÇÃO e MOTIVAÇÃO mesmo depois de tantos anos defendendo a SELEÇÃO BRASILEIRA e de seus sérios problemas na coluna. Não à toa recebeu QUATRO PRÊMIOS INDIVIDUAIS nesse campeonato. Serginho há muito tempo é o jogador mais ESTÁVEL e CONFIÁVEL da seleção brasileira e não tem SUBSTITUTO à altura.
    Outra coisa: acho que WALACE poderia ter sido mais bem explorado nesse torneio, o cara tem um potencial enorme e não é adequadamente utilizado, o Marlon poderia ter se ligado nisso.

    • Daniel Bortoletto

      concordo sobre o Escadinha

  • Cláudia Centhalá

    O Weber foi posto em seu devido lugar. Tava se achando o “Bernardinho” e tomou no flocks. kkk

  • Mario

    Bruno não tem jogado, mas as poucas vezes que é entrar no jogo eu preferia ele que Marlon.
    Wallace prejudicou o jogo mais importante …. mas Theo não jogou nada bem.

    • Diogo Márcio

      Eu acho que ele sentiu o peso de vestir a camisa da seleção. Agora dizer que o Wallace prejudicou já é D+

MaisRecentes

Bento fora da Superliga. Castro já comemora vaga



Continue Lendo

Semana positiva das Seleções adultas



Continue Lendo

Coluna: O polêmico teste na regra do vôlei



Continue Lendo