Desnível técnico marca vôlei nos Jogos Mundiais Militares



Pelo nível da estreia, os torneios de vôlei dos Jogos Mundiais Militares serão fracos.

A equipe feminina do Brasil venceu os Estados Unidos por 3 sets a 0, com tranquilas parciais de 25/4, 25/7 e 25/7, no ginásio do Maracanãzinho.

A ponteira Regiane e a oposto Fernanda Berti, que veio do banco, foram as maiores pontuadoras da partida, com nove pontos cada. O técnico Helio Griner escalou a seleção do Brasil com a levantadora Ana Cristina, a oposto Monique, as centrais Natasha e Valeskinha, as ponteiras Regiane e Fernanda Garay, além líbero Verê. As ponteiras Dayse e Michele e a levantadora Camila Adão também jogaram.

A seleção feminina volta à quadra hoje, às 19h, para enfrentar a Alemanha. O confronto também será no Maracanãzinho.

A equipe masculina do Brasil seguiu o mesmo ritmo e também bateu os Estados Unidos por 3 sets a 0 (25/13, 25/10 e 25/13). O oposto Alemão saiu do banco e foi o maior pontuador da partida, com 13 acertos. O meio de rede Vini também pontuou bem e marcou 12 vezes.

Técnico da seleção masculina, Flávio Marinho optou por começar a partida com o levantador Vinhedo, o oposto Paulo, os centrais Vini e Douglas Cordeiro, os pontas Thiago Sens e Renato, além do líbero Lukinha. Também entraram o levantador Thiago Gelinski, o oposto Anderson e o ponteiro Gaúcho.

O próximo jogo da equipe masculina do Brasil será também nesta segunda, às 13h30, contra o Catar, no mesmo ginásio.



  • Clécio

    o que se perceber é que o Brasil não entendeu ao enunciado dos jogos vale ressaltar que são jogos militares, e as seleções brasileiras de volei estão com “atletas profissionais ” do volei camuflados de militares. por isso as outras equipes não conseguiram e não vão conseguir estar à altura da seleção. Enquanto as outras seleções os atletas são profissionais da segurança, os do Brasil são atletas profissionais que ganham a vida com o esporte.

    • Diogo Márcio

      Eles não estão camuflados, passaram dias em treinamentos militar. O time masculino do Catar formado por jogadores profissionais, que também ganha a vida com o esporte (sic)

  • Wellinton

    Será que é desnivelado mesmo? Ou o Brasil inscreveu nessa competição, assim como na Universiade, atletas que na verdade são jogadores profissionais? Ou seja não são reais militares, não atuam no dia a dia como militar, e nem universitários.

  • Afonso (RJ)

    A causa do desnível técnico é óbvia: jogadores que de militares só tem o nome. Na verdade trata-se de profissionais altamente qualificados alguns com passagem pela seleção principal. Colocam os atletas para fazerem “ordem unida” meia hora três vezes por semana um mês antes dos jogos, dão uma patente para eles e pronto. Não sei as outras equipes, mas com grande probabilidade são amadores.

    Isso me lembra, em priscas eras, quando só era permitido que amadores participassem dos jogos olímpicos. Tinha um monte de atletas do leste europeu, que de amadores só tinham o nome. O “emprego” da maioria era de militar! E tome propaganda numa época de Guerra Fria. Até que, com o passar do tempo, resolveram acabar com essa hipocrisia.

    E sei que aqui não é o lugar apropriado, me perdoem, mas me permitam uma observação:
    Há quem diga que não existe “baba elástica e bovina”. Juram que a “Vizinha Gorda e Patusca” ou a “Grãfina de Narinas de Cadáver” são personagens imaginários. Mas ontem ficou definitivamente comprovada a existência do “Sobrenatural de Almeida” nos gramados (ou seriam areais?) portenhos.

  • Diogo Márcio

    Quando o Serviço militar solicitar, os cidadões chamados devem se apresentar, são ‘militares’ – Vai dizer que outras seleções são inocente, eles sabem que não são ¬¬’

    • Diogo Márcio

      Transmissão na TV aberta pelo canal ‘TV BRASIL’ ;D não tem justificativa para não assisti!!

  • Jairo

    O Sportv enfatizou que os brasileiros são militares, passaram por treinamento etc. E como ex-militar, tendo jogado vôlei lá dentro, sei que o nível não é de alto nível. Então, seja equipe de segurança, militares ou como queiram chamar, fica uma única pergunta. Qual será a evolução que Douglas Cordeiro, Vinhedo, Anderson, Vini e Cia agragarão às suas já consolidadas carreiras?

  • Infelizmente, vi este texto e estes comentários meio tarde, mas isso não me impede de comentar. Estou acompanhando beeem de perto as partidas de vôlei (feminino e masculino) desses Jogos Mundiais Militares e acho uma tremenda sacanagem criticarem tanto o torneio e seus atletas por ser ou não serem de carreira militar. É muito fácil criticar quando não se tem o mínimo de proatividade para buscar informação. Acho muito interessante o menosprezam que muitos tem por está competição de vôlei. Mas por outro lado e até bom, porque as pessoas que acompanham e dão valor são pessoas que, acima de qualquer coisa, GOSTAM do vôlei e que compreendem que o mesmo as vezes não pode ser jogado com excelência por uma série de variantes. Não vou entrar no mérito dos nossos jogadores terem renome na Superliga… Aliás, eis aí uma questão: NOSSOS jogadores, NOSSA Superliga… É AS OUTRAS SELEÇÕES? Será que alguém teve a curiosidade em pesquisar se as outras seleções possuem jogadores de renome em seus países? Para nós, todos são desconhecidos. Mas será que eles são tão anônimos em seus países? Será?

    E os nossos brazucas, que muitos criticam por serem de renome internacional por terem passagem pela seleção civil, será que eles são conhecidos nos outros países? Quem é Camila Adão para as chinesas? Quem é Fernanda Berti para as alemãs? Não vale a pena apontar o dedo para quem é mais ou menos conhecido. Não percam tempo criticando esse ou aquele jogador por ser de seleção civil ou por ser de time famoso… O que vale é o que se mostra em quadra, INDEPENDE MENTE DE QUALQUER OUTRA COISA.

    Um detalhe: Nem todos os brazucas tem RENOME INTERNACIONAL ou fizeram uma baita carreira na Seleção Civil. Para finalizar, acho bem mesquinho todas críticas que fazem ao vôlei nesses Jogos Mundiais Militares. Baixo nível técnico? Talvez, mas acho que não custa nada acompanhar de perto este torneio, por que assim se terá uma idéia de quão valoroso são essas pessoas que defendem seus países. Seja a alegria das italianas e das americanas, o empenho dos indianos e dos finlandeses, s disciplina e o bom volume de jogo dos chineses e dos sul-coreanos… VALE A PENA ACOMPANHAR O VÔLEI NOS JOGOS MUNDIAIS MILITARES. O NÍVEL TÉCNICO VIROU DETALHE… O IMPORTANTE É COMPETIR COM HONRA, E ISSO ESSES HOMENS E MULHERES SUPERAM QUALQUER CRÍTICA.

    Só um adendo para os preguiçosos e mesquinhos de plantão de dizem que só o Brasil tem atleta de seleção civil: Há jogadores de seleção civil na Finlândia, na China (mas. e fem.), na Alemanha (mas. e fem.) e na Coréia do Sul. Quem são? VAI NO SITE DA FIVB E PESQUISA MANÉ

    • Daniel Bortoletto

      Natália, se suas críticas são para o autor do texto, um adendo: não critiquei atletas individualmente, mas o desnível técnico de uma competição. Inclusive alguns jogadores, como Douglas Cordeiro, por exemplo, mereciam uma chance na Liga Mundial.

  • Fausto

    Natalia, nao precisamos pesquisar para saber que a equipe brasileira, junto com aquelas de paises com pouca expressao, vide africanos, aproveitou muito mais os profissionais que outras. o Brasil ganhou as olimpiadas. Sera que temos os melhores atletas militares do mundo? piada isso. Se os principais paises isassem desses artificio, o Brasil nao chegaria onde chegou. No caso do volei isso fica mais evidente. o Brasil apresenta desnivel grave em relacao aos outros paises no volei profissional? nao. entao no militar tb nao deveria apresentar. 40 das 45 medalhas de outro do Brasil veio de profissionais eh muita coisa. Poderiam usar um pouco menos de profissionais. Pra mim foi uma vergonha. Vamos ver se usaremos extraterrestres nas olimpiadas de 2016 pra conseguirmos o mesmo resultado, o primeiro lugar.

    • Daniel Bortoletto

      vejam matéria do LANCE! sobre isso, que mostra percentualmente quantas medalhas foram conquistadas por atletas olímpicos, não necessariamente militares de carreira

  • Roberto

    A verdade é uma só! Jogos militares são para militares e Jogos universitários são para estudantes universitários. Mas como no Brasil é a casa da sogra, o famoso “gato” aconteceu novamente! Não consigo acreditar que no universo das forças armadas não existam 6 militares para fazer um catado para participar dos jogos! Até no meu condomínio já montamos um time e disputamos os jogos da cidade! Mas os militares estão muito ocupados cuidando da segurança da nação e não podem perder tempo com peladas! Será que não existe um milico que jogou Volei no colégio? Esse fiasco é só uma previa do que vai ser a olimpíadas e a copa…

  • Quando vi o Brasil em primeiro no quadro geral e vi a circunstancia, senti vergonha. é o famoso jeitinho brasileiro de se dar bem em tudo e passar a perna nos outros. Fica claro que o regulamento dos jogos precisa ser repensado, por exemplo minimo de 1 ano de serviço militar comprovado facilmente em carteira de trabalho. O Brasil precisa valorizar mais o esporte mas isso nao resume que seja na base do custe o que custar, precisa merecer. Resumindo o episodio com uma palavra: Gato

MaisRecentes

O novo conceito da FIVB para 2018



Continue Lendo

Apenas Lebes/Canoas faz o dever de casa na rodada



Continue Lendo

Um líder por pontos ganhos. Outro por pontos perdidos



Continue Lendo