Dentil/Praia Clube e Sesc abrem vantagem



A sétima rodada da Superliga feminina marcou o aumento da distância entre os dois líderes em relação aos outros três principais perseguidores.

O líder Dentil/Praia Clube manteve a invencibilidade e segue sem perder sets na competição, após vitória contundente sobre o rival estadual Camponesa/Minas, fora de casa, por 3 a 0: 25-21, 25-22 e 25-23. Uma revanche após o Campeonato estadual vencido pelo time da capital.

Amanda em ação contra o Minas (Orlando Bento/Divulgação)

A ponta Amanda foi a maior pontuadora do confronto (17 acertos) e ficou com o Troféu VivaVôlei Cimed.

– Conseguimos jogar bem taticamente e isso foi muito importante. Estamos evoluindo e vamos seguir pensando em casa jogo e na melhora da nossa equipe – disse a jogadora.

O Praia tem agora 21 pontos, seguido de perto pelo Sesc, com 20.

O time carioca também segue invicto e só está atrás na classificação por ter precisado do tie-break para vencer o Hinode/Barueri. A vitória na terça aconteceu fora de casa sobre o BRB/Brasília por 3 sets a 0, com parciais de 25-17, 25-18 e 25-18. A líbero Fabi conquistou o Troféu VivaVôlei Cimed.

Sesc venceu jogando em Brasília (Divulgação)

– Conseguimos imprimir ritmo desde o início, sacamos muito bem, o bloqueio funcionou e aproveitamos bastante o contra-ataque. O Brasília é um time jovem mas que vem dificultando bastante a vida dos adversários, então jogar aqui não é uma tarefa simples, mas conseguimos nos impor como time e jogar bem. Tivemos a volta da Jucy como titular, o que foi importante porque ganhamos mais uma jogadora porque, daqui para a frente, os desafios serão ainda mais difíceis – comentou a bicampeã olímpica.

O terceiro lugar é do Vôlei Nestlé, que precisou de cinco sets para superar o Bauru, fora de casa, nesta terça-feira, parciais de 25-20, 25-16, 22-25, 23-25 e 15-11.

– Foi uma partida muito muito difícil, pois Bauru, em casa, nunca é fácil. Estávamos ganhando por 2 a 0, a torcida estava quieta, mas perdemos o terceiro set e a torcida acordou e veio junto. No quarto set, infelizmente, tivemos problema com a arbitragem, que me deu cartão vermelho, que eu não merecia, e saímos do jogo. O importante é que conseguimos reverter a situação e deixamos a quadra com a vitória. Valeu pela experiência, mais um aprendizado para a nossa equipe – analisou Carol Albuquerque.

A ponta Mari Paraíba foi eleita o destaque da partida e ficou com o Troféu VivaVôlei Cimed. Ela atuou no lugar da peruana Leyva, que está defendendo a seleção nos Jogos Bolivarianos. Mari anotou 14 pontos. Tandara liderou o time de Osasco com 29.

Vitória suada do Vôlei Nestlé em Bauru (João Pires/Divulgação)

Com o resultado, o Vôlei Nestlé foi a 17 pontos. Assim precisa de duas rodadas, no mínimo, para ultrapassar o líder Praia.

O prejuízo maior, porém, ficou com Minas e Hinode/Barueri. A dupla estacionou nos 13 pontos após a derrota para Praia e Fluminense.

No Rio, o time de José Roberto Guimarães caiu em sets diretos diante do Tricolor: 26-24, 25-20 e 25-19, no ginásio do Hebraica. A ponta Michelle se destacou e ficou com o Troféu VivaVôlei. O Flu assumiu o sexto lugar com o triunfo, agora com oito pontos.

– Erramos demais. Erramos em momentos cruciais durante a partida. Mas o Fluminense está de parabéns. Jogou muito bem nos três sets, foi eficiente na defesa e no contra-ataque e mereceu – admitiu Zé Roberto.

Quem também subiu na classificação foi o Pinheiros ao passar pelo Renata Valinhos por 3 sets a 0 (25-13, 26-24 e 25-16). O time da capital também soma oito pontos, ocupando o sétimo lugar. O Bauru, também com oito, está em oitavo.



MaisRecentes

Não sei em quem apostar na Superliga feminina



Continue Lendo

Coluna: Um por todos, todos contra Taubaté na Superliga?



Continue Lendo

Caramuru usa artifício jurídico para jogar a Superliga



Continue Lendo