Dentil/Praia Clube: 18 vitórias e contando



O Dentil/Praia Clube segue imparável na Superliga Cimed Feminina 2017/2018.

Neste sábado, em Uberlândia, a 18ª vitória em 18 jogos aconteceu no clássico contra o Camponesa/Minas por 3 sets a 1 (25-21, 25-13, 19-25 e 25-13).

O resultado faz o Praia retomar a liderança, que estava nas mãos do Sesc. Com 51 pontos, a equipe do Triângulo Mineiro tem dois a mais do que as cariocas. O Minas estaciona nos 40, em quarto lugar, com a mesma pontuação do Vôlei Nestlé, terceiro. Vale lembrar que na semifinal da Copa Brasil, em Lages (SC), dias atrás, o time de Paulo Coco já havia batido o de Stefano Lavarini por 3 a 0.

Praia ainda não sabe o que é perder na Superliga (Divulgação)

A central Walewska, maior pontuadora com 19 pontos, foi eleita a melhor do clássico e levou o Troféu VivaVôlei Cimed. Garay colaborou com 17. A destacar ainda os 15 pontos cada de Carla e Ellen. Pelo Minas, equilíbrio na pontuação: Hooker (14), Rosamaria (10), Newcombe (10) e Carol Gattaz (10).

Admito ter ficado surpreso com a facilidade encontrada pelo Praia para derrotar o maior rival em parte da partida. O Minas esteve muito desatento em fundamentos básicos do vôlei e pagou caro por isso. Foram várias falhas em coberturas de bloqueio e preparação de bolas para contra-ataque, por exemplo. Por outro lado, o Praia estava ligado no 220. Muito volume de jogo, poucos erros, eficiência na virada de bola, principalmente com Carla, Fernanda Garay e Walewska, a partir de uma ótima distribuição de bolas da levantadora Claudinha.

O segundo set acabou sendo o melhor resumo para a descrição do parágrafo acima. Um verdadeiro passeio das donas da casa.

Já o melhor momento do Minas no confronto foi o início do terceiro set. Alguns bloqueios de Mara somados aos erros de ataque do Praia fizeram o time abrir 13 a 8.  O Praia chegou a cortar para três pontos, mas não teve forças para buscar a reação.

No quarto set, um erro de ataque de Hooker, uma falha de Newcombe no passe, outro ataque para fora com Mara. O Praia abriu 7 a 4 e daí para frente foi aumentando a vantagem, até fechar o jogo com facilidade em 25 a 13.

– Essa vitória é muito importante por ter sido por 3 a 1. Os últimos haviam sido 3 a 2. Demos uma vacilada no terceiro set, mas conseguimos retomar no quarto – disse Walewska, em entrevista à RedeTV! após a partida, relembrando as últimas viagens no tie-break.



MaisRecentes

Esperava um jogo tecnicamente melhor no Mineirinho



Continue Lendo

Reflexão sobre o momento da Seleção é necessária



Continue Lendo

O novo capítulo de uma relação conturbada entre Brait e Zé Roberto



Continue Lendo