Dentil/Praia Clube aproveita noite ruim de Tifanny e está na semi



Melhor equipe da fase de classificação da Superliga Cimed Feminina, o Dentil/Praia Clube é o primeiro semifinalista na edição 2017/2018. E com sobras!

Na noite desta sexta-feira, em Uberlândia, o time de Paulo Coco derrotou o Bauru por 3 sets a 0, parciais de 25-20, 25-16 e 25-19, fechando a série em melhor de três das quartas de final em 2 a 0.

O Praia, com campanha de 23 vitórias e apenas uma derrota, espera agora o vencedor do confronto entre Vôlei Nestlé e Hinode/Barueri. O time de Osasco vence por 1 a 0 e o segundo confronto acontecerá neste sábado.

A central Fabiana foi eleita a melhor em quadra e levou o Troféu VivaVôlei Cimed. A oposto americana Fawcett foi a maior pontuadora, com 12 acertos.

– Estudamos bastante a equipe dela. Quando chega o passe na mão o nível de ataque é muito forte. Conseguimos neutralizar e acertar bem a marcação – disse Fabiana ao SporTV.

Comemoração do Praia na vitória sobre Bauru (Túlio Calegari/Divulgação)

Já Tifanny ficou devendo em Uberlândia. A oposto do Bauru errou demais, levou vários bloqueios e não passou das atuações decisivas do restante da temporada. Fernando Bonatto, ainda no primeiro set, pedia calma e inteligência para atacar. Mas os conselhos não surtiram muito efeito, fazendo com que o treinador a trocasse por Ariane no segundo set, deixando Tifanny fora até o fim do confronto.

Concordo com o comentário de Nalbert durante a transmissão. Tifanny fez uma série ruim, apesar dos 24 pontos do primeiro jogo. Ela abusou de buscar a força para tentar resolver no ataque, aumentando drasticamente a quantidade de bolas para fora e também os bloqueios tomados. Uma lição para quem assombrou em vários jogos da primeira fase.

Com sua principal atacante em noite ruim, Bauru não teve qualquer chance diante também de um inspirado Praia. A levantadora Claudinha usou com maestria as jogadas pelo fundo, Fernanda Garay e Suellen com ótimo volume de jogo e o saque fazendo estragos na recepção paulista.

– Nosso sistema defensivo foi muito mesmo. Hoje ele funcionou demais – analisou a ponta Ellen.

Bonatto ainda trocou levantadora, pontas, central, mas o Bauru não reagiu. O placar chegou a apontar incríveis 23 a 8 e a partir daí o principal momento das visitantes na partida aconteceu. O time mostrou brios, conseguiu uma incrível sequência de pontos e apagou parte da má impressão do restante do duelo.

O Praia teve a central Walewska, recuperada de um problema físico, no banco de reservas. Ela inclusive entrou em quadra nos pontos finais do terceiro set. Para as semifinais, disputadas em melhor de cinco jogos, Paulo Coco já deverá ter a experiente atleta apta para atuar bem mais tempo.

– Não conseguimos jogar nosso melhor. No primeiro set, em 15 contra-ataques rodamos apenas cinco. Não aproveitamos as oportunidades que tivemos. Mérito do Praia também, que deu muita pressão no saque – analisou Fernando Bonatto.



MaisRecentes

Coluna: Minas e um dia histórico para o vôlei nacional



Continue Lendo

O tremendo desafio de Minas e Dentil/Praia Clube no Mundial



Continue Lendo

Coluna: Sinal de alerta com as chuvas no Brasil



Continue Lendo