Definidos os playoffs da Superliga Feminina



Dentil/Praia Clube x Bauru
Sesc x Pinheiros
Camponesa/Minas x Fluminense
Vôlei Nestlé x Hinode/Barueri

Esses serão os quatro confrontos das quartas de final da Superliga Cimed Feminina.

Os jogos desta sexta-feira alteraram apenas o sétimo e o oitavo lugares, com o Pinheiros ultrapassando Bauru.

O time da capital passou pelo eliminado BRB/Brasília por 3 a 0, enquanto a equipe do interior caiu diante do São Cristovão/São Caetano por 3 a 1. Os resultados deixaram o Pinheiros com 31 pontos, dois a mais do que o Bauru.

Já o São Caetano lamenta até hoje ter permitido a única vitória do Sesi na competição. Ficou com 28 pontos e teria avançado com aquele triunfo.

Vale citar ainda que o time do ABC conquistou dez vitórias em 22 jogos, sendo eliminado por Pinheiros, nove triunfos, e Bauru, com apenas sete. Faz doer ainda mais a eliminação.

Imagem do jogo entre Sesc x Vôlei Nestlé, na Jeunesse Arena (Divulgação)

No clássico da rodada, o Sesc virou para cima do Vôlei Nestlé: 3 sets a 1, parciais de 13-25, 26-24, 25-22 e 25-21. Uma vitória para recuperar o ânimo das cariocas e botar minhocas na cabeça das paulistas, que em tese terão o duelo mais equilibrado da primeira fase dos playoffs contra o Hinode/Barueri.

Nos demais jogos da rodada, o Sesi caiu diante do Flu por 3 a 1, enquanto o Camponesa/Minas bateu o Renata/Valinhos por 3 a 0 e o Dentil/Praia Clube fez 3 a 1 no Hinode/Barueri, no jogo que marcou a primeira transmissão pela internet da nova parceria da CBV.

Nos próximos dias voltarei com uma análise dos playoffs.

REPERCUSSÃO

– Sabíamos que seria um jogo muito difícil em que teríamos de ter boa recepção e defesa, mas tivemos dificuldades nestes fundamentos e também erramos muito saques, em quantidade acima do normal. Agora temos de levantar a cabeça e continuarmos trabalhando para nos prepararmos para enfrentar o Praia Clube nas quartas de final – Fernando Bonatto, técnico do Bauru.

– Viemos ao Rio de Janeiro com a expectativa de fazer um bom jogo. E fizemos. O nosso primeiro set foi excelente. No segundo, fizemos 24/26, então, isso mostra que a gente vem trabalhando muito para minimizar os erros, mas infelizmente eles ainda acontecem e aí para voltar e virar o jogo é difícil – Tandara, oposto do Vôlei Nestlé.

– A gente sabia da dificuldade desse jogo. Em um clássico como esse, entre o Sesc RJ e o time de Osasco, a gente não espera nada menos do que isso. Vínhamos de uma derrota contra elas na Copa do Brasil, em que jogamos bem abaixo, com um grande volume de erros. Por isso, a gente veio para esse jogo para tentar diminuir isso, consertar os erros. Nesses últimos dois últimos jogos, estávamos focadas em melhorar a gente. Ia mudar muito pouco na classificação, então o objetivo era melhorar o time, a moral da equipe, para chegar com o espírito novo às quartas de final – Roberta, levantadora do Sesc

– Tivemos erros básicos que nos desestabilizaram. Precisamos manter a atitude para seguirmos jogando em alto nível, pois agora todo jogo é pedreira – Thaísa, central do Hinode/Barueri

– Mesmo não conquistando as vitórias que queríamos nós encerramos essa temporada felizes. O nosso grupo passou por muitas coisas. Em nenhum momento o nosso time deixou de ser um grupo unido. Independente de qualquer resultado nós seguimos unidas e isso foi essencial – Nikolle, ponta do Sesi.



MaisRecentes

Esperava um jogo tecnicamente melhor no Mineirinho



Continue Lendo

Reflexão sobre o momento da Seleção é necessária



Continue Lendo

O novo capítulo de uma relação conturbada entre Brait e Zé Roberto



Continue Lendo