Dá para o Rexona-Sesc no Mundial?



Representante brasileiro no Campeonato Mundial feminino de clubes, o Rexona-Sesc estreia nesta terça-feira, em Manila, nas Filipinas, contra o time da casa, às 9h30. Será a única moleza que o time comandado por Bernardinho terá na competição. A partir daí o desafio para chegar ao topo do mundo será dos mais complicados.

Na quarta-feira, o Rexona terá pela frente o Pomi Casalmaggiore, também às 9h30 (de Brasília). Jogo-chave (e bem ganhável) para garantir a classificação para a semifinal, por antecipação, deixando o último compromisso da primeira fase, na quinta-feira, às 3h30, contra o Eczacibasi, da Turquia, apenas para definição de primeiro e segundo colocados do grupo.

Será que está faltando estrela no Mundial? (Divulgação)

Será que está faltando estrela no Mundial? (Divulgação)

Na estante do favoritismo, coloco o time brasileiro na segunda prateleira. No primeira estão os turcos Eczacibasi e Vakifbank. Na verdade são duas seleções mundiais, extrapolam a nacionalidade do país de registro do clube. Vejam:

 

– Eczacibasi:
Kosheleva (RUS) – a atacante russa dispensa maiores apresentações
Boskovic (SER) – a jovem é uma das melhores jogadores do mundo na atualidade
Thaisa (BRA) – central é uma das caras novas do time. Vai servir ainda como espiã do time brasileiro
Larson (EUA) – equilíbrio da seleção americana no passe
Ognjenovic (SER) – dá para chamá-la de levantadora mais precisa do mundo hoje
Adams (EUA) – outra central com vasta experiência internacional
Sem falar das turcas Neslihan Demir e Gozde Yilmaz

– Vakifbank
Ting Zhu (CHN) – apenas o principal nome da última Olimpíada. Principal reforço da última janela
Rasic (SER) – a central foi um dos pilares da Sérvia, vice-campeã olímpica. Bloqueia como poucas
Kimberly Hill (EUA) – parceira de Larson na linha de passe dos EUA
Slöetjes (HOL) – a oposto é a melhor jogadora holandesa do momento
E as turcas Naz Aydemir, Gözde Kirdar, Kubra Akman

Na segunda prateleira coloco o Rexona e sua base mantida da temporada passada, apenas com a troca de Natália pela holandesa Buijs, o Volero Zurich (Fabíola, Mari Paraíba, a americana Akinradewo, a cubana Carcaces, as sérvias Zivkovc e Popovic, a búlgara Rabadzhieva, a azeri Mammadova) e o Casalmaggiore (as italianas Lucia Bosetti e Tirozzi, as americanas Lloyd e Gibbemeyer, a romena Turlea, a sérvia Stevanovic). Já Hisamitsu e Bangkok Glass possuem a base das seleções japonesa e tailandesa, respectivamente. São times chatos de enfrentar, mas inferiores aos demais citados acima.



  • Willian Garcia

    O Rexona se passar as semi finais via ser 4º colocado novamente, igual ano passado. Os 2 times turcos são muito superiores.

  • Senhor Omar – Trágico

    Dá pra tentar beliscar a terceira posição. Nada além disso.

MaisRecentes

Como ficará a Arena da Baixada para as finais da Liga



Continue Lendo

Vaivém: Sidão animado com projeto corintiano



Continue Lendo

Vaivém: A apresentação de Serginho no Corinthians



Continue Lendo