Na terra da Copa, deu Brasil sobre a Rússia



A Rússia, em clima de Copa do Mundo de futebol, viu o vôlei dar uma prévia da força brasileira dias antes do início da luta verde-amarela pelo hexacampeonato.

Em Ufa, a Seleção masculina derrotou os donos da casa por 3 sets a 1, parciais de 25-21, 25-20, 25-27 e 25-18, na abertura da terceira etapa da Liga das Nações.

O resultado deixa a equipe verde-amarela na liderança da competição, com 18 pontos (seis vitórias e uma derrota), seguida de perto pela Polônia, mesma campanha, mas com um ponto a menos.

Já que o primeiro parágrafo a comparação com o futebol foi feita, vou tratar Wallace e Maurício Borges como Neymar e Gabriel Jesus. O oposto foi o “artilheiro” da partida, com 22 pontos. Já o ponta mostrou a força da “dupla de ataque”, colaborando com mais 17.

Maurício Borges encara o bloqueio russo (FIVB Divulgação)

Do lado russo, Muserskiy, aquele mesmo de tristes lembranças de Londres-2012, teve alguns lapsos do jogador dominante do passado. Como central, ele terminou com 10 pontos, incluindo o ace que fechou o terceiro set. O protagonista, porém, foi o oposto Bakun, autor de 20. Ele é um dos novos nomes do profundo processo de reformulação iniciado pela Rússia.

Em comparação ao time base usado anteriormente, Renan Dal Zotto mexeu em três peças: Thales no lugar de Murilo, Isac na posição de Maurício Souza e Douglas Souza na vaga de Lipe, que sequer viajou para a Rússia.

Coletivamente, como os “professores” Tite e Renan prezam em suas cartilhas, o destaque brasileiro foi o saque. Foram 11 aces marcados e mais uma boa quantidade de serviços que fragilizaram a recepção russa. Como comparação, os russos fizeram apenas quatro. Vale elogiar assim a consistência da linha de passe do Brasil, com uma formação inédita na competição até então: Thales, Douglas Souza e Maurício Borges.

Na sequência da etapa russa, o Brasil enfrentará Irã e China. Ótimo cenário para sair invicto da Rússia, deixando bons fluídos para a Seleção de futebol que desembarcará por lá na próxima semana.

LEIA TAMBÉM

+ Vôlei Renata importa oposto

 



MaisRecentes

Itália, Sérvia, Holanda e China nas semifinais do Mundial



Continue Lendo

Sérvia e China mais perto das semifinais do Mundial



Continue Lendo

A Itália chegou mesmo para ficar



Continue Lendo