Contra a eficiência americana, Brasil cai na Liga das Nações



A seleção dos Estados Unidos mostrou, nesta quarta-feira, suas principais credenciais. Com a tradicional eficiência nos fundamentos e muita obediência tática, a equipe comandada por Karch Kiraly derrotou o Brasil por 3 sets a 1, parciais de 25-23, 26-28, 25-21 e 25-21.

O resultado no confronto direto isolou as americanas na liderança da Liga das Nações feminina, com dez vitórias e uma derrota, deixando a Seleção Brasileira com 9-2.

A novidade na escalação dos EUA foi a volta de Larson, poupada na terça, no duelo contra a Rússia. Com o retorno da jogadora mais regular do elenco, Kiraly viu crescer ainda mais qualidade do já bom jogo americano. Não à toa a ponta foi uma das maiores anotadoras do duelo: 16 pontos. A outra foi a central Gibbemeyer, com incríveis oito pontos de bloqueio.

Akinradewo (13 pontos, quatro deles no bloqueio) e Kimberly Hill (12) foram coadjuvantes de luxo.

Bloqueio americano deu show (FIVB Divulgação)

A tática americana foi tentar anular Tandara, principal nome ofensivo da Seleção na temporada. E deu certo. A oposto jogou os dois primeiros sets e só marcou cinco pontos, com aproveitamento pouco superior a 25%. Sem ela, o Brasil depende demais da eficiência do passe para poder jogar com bolas mais rápidas pelo meio. Como o fundamento ainda tem oscilado bastante, o jogo ficou à mercê dos Estados Unidos, que depois da perda do segundo set não saíram mais do controle da partida.

Carol, que entrou no lugar de Bia ainda no primeiro set, foi a maior pontuadora do Brasil com 15 acertos. Ela foi a única jogadora da Seleção a pontuar em todos os fundamentos: 11 no ataque, dois no bloqueio e dois no saque.

Amanda veio a seguir com 12 pontos.

– Tenho que parabenizar os Estados Unidos pela vitória. Fizemos dois sets bons enquanto o terceiro e quarto foram abaixo do que o nosso time está acostumado a jogar. O importante é aprender com esse jogo contra os Estados Unidos. Elas jogam com muita velocidade e erram pouco. Nós cometemos muitos erros principalmente nos dois últimos sets e precisamos melhorar isso – analisou Zé Roberto.

No encerramento da etapa chinesa, a Seleção enfrentará a Rússia, na madrugada desta quinta-feira (5h). Já os Estados Unidos enfrentarão as donas da casa, já garantidos na fase final após os resultados da rodada.

LEIA TAMBÉM

+ Corinthians confirma renovações

 



MaisRecentes

Coluna: Minas e um dia histórico para o vôlei nacional



Continue Lendo

O tremendo desafio de Minas e Dentil/Praia Clube no Mundial



Continue Lendo

Coluna: Sinal de alerta com as chuvas no Brasil



Continue Lendo