Como pode ficar a vida do Brasil na 2ª fase do Mundial



A surpreendente derrota do Brasil para a Holanda já foi tema do blog no sábado. Agora um desdobramento com os cenários possíveis da Seleção terminando entre primeiro e quarto no Grupo B.

Vejam como seria ótimo terminar na liderança da chave. O “felizardo” teria hoje pela frente Eslovênia, Bélgica e Austrália. Nada mal, já que evitar os grandes favoritos pode ajudar a embalar qualquer seleção no Mundial. Esse cenário dificilmente será modificado, levando em consideração que dois dos rivais sairão do mesmo grupo (segundo e terceiro do A), enquanto os australianos dificilmente perderão para a Tunísia.

Aqui você entender melhor o discurso de Lipe e Bruninho, dizendo que o Brasil jogou no lixo a liderança com o último revés.

Já ser o segundo colocado do Grupo B parece um péssimo negócio hoje. O caminho brasileiro teria Itália (primeiro do A), Rússia (terceiro do C) e Finlândia (quarto do D). Aqui a única mudança possível, para mim, é os russos serem substituídos pelos sérvios, já que o confronto direto entre eles, na terça, definirá a ordem das posições.

Seleção Brasileira se complicou com derrota para a Holanda (FIVB Divulgação)

Terminar em terceiro do Grupo B também é garantia de duelos bem equilibrados na segunda fase. Neste momento a formação seria Polônia (primeiro do D), Sérvia (segundo do C) e Argentina (quarto do A). Vale aqui a repetição do parágrafo anterior, com importância do confronto direto entre russos e sérvios para definição do emparceiramento. Para o Brasil não haveria nenhuma moleza na fase.

Por fim, ficar em quarto no Grupo B representa duelar com Estados Unidos, Irã e Bulgária. Para mim, é até um cenário menos pior do que os apresentados para o segundo e o terceiro. O problema neste caso é levar, provavelmente, duas derrotas na bagagem, algo que já dificulta o sonho de avançar para a terceira fase.

– Uma derrota sempre judia um pouco, mas, mais do que machucar, faz o grupo crescer bastante. Já vivemos isso em alguns momentos e que sirva de lição e como fortalecimento para todos nós. Conversamos bastante, nos unimos em uma questão muito importante, sabendo que, só vamos eliminar essas falhas e crescer ainda mais no campeonato, jogando juntos. Temos que, em meio as dificuldades, procurar crescer – comentou Lipe.

Ngapeth no ataque contra a Holanda (FIVB Divulgação)

Com a vitória da Holanda de virada sobre a França por 3 a 2, neste domingo, a classificação do Grupo B ficou assim:

1) Canadá – 3 vitórias e 9 pontos em três jogos
2) Holanda – 3 vitórias e 8 pontos em quatro jogos
3) França – 2 vitórias e 8 pontos em quatro jogos
4) Brasil – 2 vitórias e 5 pontos em três jogos

Nesta segunda, os holandeses encaram o Egito, devendo fazer os três pontos e sonhando até em ficar em primeiro lugar. Os franceses, com a corda no pescoço e agora candidatos reais ao quarto lugar da chave, jogarão contra os canadenses, na terça-feira, em um confronto de vida ou morte. Já o Brasil terá pela frente ainda Canadá e China.

LEIA TAMBÉM

+ Quando política e esporte se misturam



MaisRecentes

Quem se deu bem nos grupos da segunda fase do Mundial masculino?



Continue Lendo

Brasil cumpre obrigação e agora torce por rival por liderança



Continue Lendo

Brasil se recupera, vence o Canadá e ainda pode ser 1º do grupo



Continue Lendo