Como o Dentil/Praia Clube viu a vitória sobre o Vôlei Nestlé



Após a vitória por 3 sets a 1 sobre o Vôlei Nestlé, na quinta partida da série semifinal, o Dentil/Praia Clube respirou aliviado com a classificação para a final da Superliga Cimed Feminina.

O técnico Paulo Coco, a capitã Walewska e a oposto Fawcett, eleita a melhor jogadora da partida desta sexta-feira, e a ponta Fernanda Garay, destaque do time na temporada, analisaram o desempenho do time e projetaram a decisão contra o Sesc, reprise da competição passada.

PAULO COCO

– Sofremos bastante, pois começamos o jogo ansiosos e fazendo ações sem pensar muito. A mudança de atitude no segundo set foi fundamental para o time. Começamos a distribuir mais, fazer melhores opções, equilibrar mais o duelo. As adversárias tiveram um início fulminante no quarto set e erramos muito, mas nossa equipe tem mostrado que não desiste. Por isso, e pela campanha que fizemos no campeonato, não merecíamos ficar de fora dessa final. O Osasco jogou muito nesse playoff, exigindo ao extremo de nossa equipe. Isso foi importante, pois foi um teste de fogo para nós encararmos uma equipe tão tradicional no vôlei. Obviamente, não ganhamos nada ainda. Tínhamos um objetivo de estar na final, e agora temos a vontade de ganhar esse campeonato. Sabemos que é muito difícil superar uma equipe como a do Rio, com tantos títulos e comissão técnica qualificada. Temos que tentar quebrar mais um tabu, que é vencer esse momento que eles estão tão acostumados e sabem o caminho.

Dentil/Praia Clube eliminou o Vôlei Nestlé na semifinal (João Pires/Fotojump)

WALEWSKA

– O jogo de vôlei feminino é muito baseado em resiliência. O resultado muda de uma hora para outra, e muito rápido. Então, temos que acreditar e ir construindo o set, ponto a ponto. Conversamos no vestiário que teríamos que pensar em cada ação do ponto. Isso fez uma grande diferença na partida: estar preparadas para virar nas oportunidades dadas. Agora, sinceramente, já estou pensando no jogo do dia 15. É uma comemoração hoje, junto com a nossa torcida, mas não temos muito tempo! A vitória existe e temos que sair daqui orgulhosas por ter sido uma série longa, mas já estou pensando no primeiro jogo da final.

FERNANDA GARAY

– Estou muito feliz porque foi uma conquista do grupo. Provamos que somos fortes como equipe. Acredito muito no nosso time e que podemos fazer bonito. É muito bom conseguir essa vitória diante da nossa torcida que tanto nos apoiou na competição.

FAWCETT

– Foi uma luta essa série! Nos últimos dois jogos tive uma performance ruim, então tive que repensar minha atuação. O incentivo e ajuda das minhas companheiras nos treinos foi fundamental. Osasco é uma equipe muito boa, e sabia que seria uma disputa difícil. Estou muito feliz que conseguimos enfrentá-las e jogar como jogamos.

LEIA TAMBÉM

+ Saiba onde Dentil/Praia Clube e Sesc devem jogar as finais



MaisRecentes

O “Fora, Bolsonaro!” virou mais um incêndio



Continue Lendo

12 anos. Mas parece que foi ontem em Pequim



Continue Lendo

Unir concorrentes mostra o tamanho de Rodrigo Rodrigues



Continue Lendo