Como fica a fase final do Grand Prix



Estados Unidos, China, Rússia, Brasil e Holanda são as cinco seleções classificadas para a fase final do Grand Prix. A partir do dia 6 de julho, as cinco seleções disputarão o título, ao lado da anfitriã Tailândia, única que não estará na Rio-2016, numa espécie de pré-0límpico de luxo em Bangkok.

A Seleção Brasileira encerrou a fase de classificação, neste domingo, batendo a Turquia por 3 a 0 (25-14, 25-21 e 25-19), com 14 acertos de Natália e 10 de Gabi, em mais uma partida usada como teste de elenco por José Roberto Guimarães. O resultado fez o time verde-amarelo fechar em quarto lugar no geral, com 22 pontos, com sete vitórias e duas derrotas. Estados Unidos (24), China e Rússia (23) ficarão à frente. Os três times fizeram campanhas idênticas: 8V e 1D. Hoje, inclusive, no confronto direto pela liderança, as americanas derrotaram as chinesas por 3 a 0 (25-19, 25-21 e 25-17), com 18 pontos de Larson e mais 15 de Kimberly Hill.

Fabiana em ação contra a Turquia (FIVB Divulgação)

Fabiana em ação contra a Turquia (FIVB Divulgação)

O quarto lugar deu uma facilitada no caminho brasileiro na próxima fase. A Seleção ficou no Grupo K, com as donas da casa tailandesas e as russas. O J, bem mais difícil, terá americanas, chinesas e holandesas. Caso a tabela prévia no site da FIVB seja mantido, a estreia do Brasil será no dia 6/7 contra a Tailândia, às 8h (de Brasília). No dia seguinte, no mesmo horário, o clássico com a Rússia.

As duas melhores de cada chave passarão para as semifinais. Espera-se assim que o Brasil encerre o Grand Prix enfrentando todas as adversárias com potencial para brigar pelo ouro na Rio-2016.

 



  • Senhor Omar – Trágico

    Não vi essa dificuldade toda no outro grupo. A Holanda não mete medo em ninguém…vai ser saco de pancada assim como a Tailandia…. EUA e China x Brasil e Russia… não vejo diferença.

  • will

    Que bom não sabia que não tinha mais o formato como antes de todos contra todos na fase final do Grand Prix a última vez que teve essa de semi final e final foi em 2011 onde o Brasil perdeu pro Estados Unidos ,se isso confirmar acho que o Brasil tem ainda chance sim de medalha nesse ano no torneio..Eu queria ver a Sérvia nesta fase final,mas infelizmente é o que eu sempre repito esse técnico é muito ruim do time pra que poupar uma equipe na 1 etapa onde tinha adversários até fracos pra fazer 6 pontos e depois jogar contra o Brasil!mas não guardou a equipe o que pra mim não cola já que o momento é pra mostrar quem manda nas paradas e elas estão bem num ritmo ótimo e levantaria o moral das Sérvias onde nunca conquistaram um Grand Prix na vida com certeza chegaria no Rio com moral,mas então melhor para os rivais que agradecem..

    • Senhor Omar – Trágico

      Ele tá pensando nas Olimpiadas.. e não no Gran Prix

      • will

        Pois é isso é o problema de muitos técnicos a Sérvia e bem carente de títulos no feminino não vai conseguir dentro de uma Olimpíada chegar e pegar uma medalha de Ouro assim como pensam,vão pesar a mão igual no último Mundial que só precisavam de uma vitória simples sobre a Rússia que não estava muito bem,mas a seleção Sérvia não se encontrou diante dos erros de passe e lambanças de afobamento de ataque!

  • Cesar R Santos

    A seleção vai levar uma canseira danada da Tailandia. Assisti alguns jogos delas, e nao estão devendo nada ao nosso time. Vai ser jogo de igual pra igual. Time jogueiro, interessante de se ver. A disputa tá bem aberta, Brasil e Tailandia vão brigar nos detalhes pelo 2º lugar desse grupo. E se o Brasil passar, já pode deixar as malas prontas e se preparar pra ir embora mais cedo, pois um caminhão chamado Eua ou China vão aparecer nas semifinais pra nos atropelar.

    E anotem aí: a seleção dos Eua está pra construir no voleibol feminino uma chamada longa dinastia de títulos pela frente. Prevejo esse Karch Kiraly ganhando tudo quanto é campeonato que aparecer, a começar pelas olimpiadas. O instinto matador, a estabilidade emocional do time, e sobretudo a mente aberta de Kiraly, que está sempre buscando se reinventar, vão dominar o cenario feminino por alguns longos anos.

    Hoje até a seleção B dos Eua joga de igual pra igual com o Brasil. E da seleção A não preciso nem falar nada, se o Brasil pega a seleção principal delas vai levar um safanão no meio da cara.

    • will

      Essa dinastia já era pra ter ocorrido antes lá em 2012 mas o que faltou mesmo naquele time foi humildade pra saber que do outro lado da rede existe uma seleção que já conquistou aquilo que elas ainda não tem uma medalha de OURO!Então pra essa equipe atual está aí uma missão que vamos ver logo depois de aproximadamente 60 dias,se vai prevalecer essa condição de super favorita ou não até hoje no feminino só uma equipe chegou com banca de favorita e conquistava que foi CUBA nos anos 90,essa equipe sabia jogar como favorita nos torneios.
      Essa seleção americana é muito boa e talentosa com certeza mas já mostrou as suas fraquezas também para seus rivais,então muito longe de ser imbatível como as cubanas que sabiam que eram superiores e deixava na quadra o porque.

      • Rodrigo Rodrigues

        Verdade, apesar que em 96 as Cubanas tiveram que apelar para a provocação, elas até admitiram naquele documentário que só na bola não tava dando pra encarar o Brasil. Mas em 92 e 2000 dominaram mesmo. Assim como as americanas chegaram como favoritas em 2012, podemos dizer que o Brasil também chegou na mesma condição em 2008 não? Lembro que passearam no Grand Prix e nos jogos olímpicos só perderam um set apenas com direito a duas surras de 3×0 na Rússia e na Itália. Assim como as brasileiras, as americanas também não tinham conquistado nem mundial nem o ouro olímpico.

    • Billy

      Discordo de você.Esse time dos Eua vai ainda ser derrotado muitas vezes pela atual seleção da China que é superior.No último confronto,as chinesas estavam com a recepção falha e desinteressadas no jogo.Na hora do vamos-ver(decisão) o time dos Eua sentirá a pressão e vai amarelar.

      • Marcelo Braga

        Isso tudo é desprezo, inveja, despeito… pela seleção norte-americana???
        Não gostar, não apreciar é uma coisa, mas daí a nublar uma análise real das condições em que as seleções estão atualmente em um momento pré-olímpico por causa disso é mera incoerência! Os EUA podem perder para a China, sim, novamente e depois mais uma vez, mas da mesma maneira que as americanas também podem varrer as chinesas da quadra. E sempre achar que elas irão amarelar, é um caminho certo para a frustração do torcedor brasileiro. O grupo americano do momento é outro, com outra comissão técnica e ainda com um técnico diferenciado que já mostrou do que é capaz, vide a semifinal acachapante em que tirou as brasileiras da final do mundial de 2014 e ainda ter carimbado o inédito ouro. O fato de as chinesas terem apresentado um desempenho acima do esperado desde a copa do mundo de 2015 até o momento não diminui de forma nenhuma o favoritismo dos EUA, só serve para mostrar que o campeonato olímpico será muito competitivo, isso considerando também que as chinesas estão em um ritmo de treinamento desde o início do ano como nenhuma outra seleção. As demais ainda estão encontrando o seu próprio ritmo e estudando as demais seleções, exemplo da própria seleção brasileira. Ainda com tudo isso, hoje, os EUA estão acima tecnicamente das demais, sim, além de poderem lançar mão de um misto de jogadoras jovens e promissoras como outras mais experientes.

        • Billy

          Quando os jogos olimpicos chegarem ao fim,veremos a classificação final e aí veremos qual palpite estará mais correto…o meu ou o seu ,OK!??

  • Marcelo Braga

    Pódio do Grand Prix 2016:
    1- EUA
    2- China
    3- Brasil ou Rússia ( embora acredite que o Brasil, tendo trabalhado as falhas que apresentaram na fase de grupos, tenha um ligeiro favoritismo diante das russas)

    • will

      Embora ainda que obvio apontar as duas vou arriscar uma mudança coloco nessa ordem:
      1-CHINA
      2-BRASIL
      3-EUA
      4-RÚSSIA

MaisRecentes

Renan convoca dupla para a Seleção



Continue Lendo

Vaivém: Mais uma renovação em Bauru



Continue Lendo

CBV admite falha em final da Superliga



Continue Lendo