Com reservas em quadra, Brasil vence outra



No primeiro jogo após a classificação para as finais do Grand Prix, a Seleção Brasileira feminina, com várias reservas em quadra, manteve sua rotina vencedora e passou pela República Dominicana por 3 sets a 0, parciais de 25-19, 25-11 e 29-27, em Bangcoc, na Tailândia.

Foi a oitava vitória em oito jogos do Brasil, líder disparado da competição.

Como já havia sinalizado, José Roberto Guimarães usou a partida para fazer testes. Thaisa, Jaqueline, Sheilla e Fernanda Garay nem sequer entraram em quadra. Das titulares, apenas Fabiana e Camila Brait atuaram como titulares, com Dani Lins entrando nas inversões.

Zé já havia dito nos jogos em São Paulo que levar as 16 jogadoras que tem à disposição (Ana Tiemi está machucada) para a Tailândia serviria para dar ritmo para as reservas e ajudar na análise para definir as 14 que irão participar do Campeonato Mundial da Itália, em setembro. Deste grupo, Adenízia e Monique ficaram fora das relacionadas para a etapa de Bangcoc.

Foi a vez, então, de Carol, Gabi, Natália, Tandara e Fabíola. E a ponta Gabi, que foi destaque na conquista do Grand Prix do ano passado, saiu de quadra como a maior pontuadora, com 18 acertos (14 de ataque e 4 de bloqueio). A capitã Fabiana colaborou com mais 15. A central Carol foi a única a pontuar em todos os fundamentos (3 de ataque, 2 de bloqueios e 2 de saque).

Enquanto o Brasil testa, as outras seleções sofrem em busca da classificação. Vejam que hoje os Estados Unidos precisaram de cinco sets para vencer a Tailândia e se complicaram um pouco mais, enquanto a China, vice-líder no geral, perdeu também no tie-break para a Sérvia. Pelo jeito, a Seleção só conhecerá mesmo seus rivais na final após o término da rodada de amanhã.



  • Luiz

    Mais um Grand Prix HORRÍVEL de se ver. Jogos toscos, bobos, sem emoção. Times fracos e Brasil campeão. Nos últimos dois anos não há mérito nenhum em vencer esta competição. É só um DEVER. Cansei.

    • Afonso RJ

      Você assistiu aos dois jogos Brasil x USA?

      • Luiz

        Vi sim, INFELIZMENTE. Jogo chato, ruim tecnicamente. Agora, volte no tempo, no Grand Prix de 2012 para trás, só jogão, emoção, cinco ou seis times praticamente nivelados. 2013 e agora 2014 o Grand Prix é um lixo. Onde já se viu uma meio de rede desequilibrar dois anos seguidos uma competição que antes era tão FORTE e IMPORTANTE? Não pela Taísa, porque ela tem mesmo que aproveitar o momento, mas o que muitos chamam de mérito, eu vejo como uma VERGONHA para o vôlei mundial. Mal comparando, seria o mesmo que o time do Flamengo empatar com um time da terceira divisão, com o Goleiro (sendo a estrela do time) evitando cinco possíveis gols que o time poderia ter levado e ter sido derrotado.

        • klaus

          Isso é piada só pode ser.kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          • Luiz

            pior é que não é. Lixo de competição. É obrigação da seleção vencer agora.

        • Lucas

          “Onde já se viu uma meio de rede desequilibrar dois anos seguidos uma competição que antes era tão FORTE e IMPORTANTE?”
          Muserskiy aprovou seu comentário kkkkkkkkk

          • Luiz

            criança, a grande diferença é que o Muserskiy não joga sozinho e ainda se destaca em jogos importantes, não o campeonato inteiro. É vergonhoso sim o nível internacional do vôlei feminino. Sofrível. Até 2012 via-se a maior concentração de torcedores acordando de madrugada para acompanhar os jogos, e agora? blos e fóruns às moscas. Lixo de Grand Prix. Nos anos 90 até a disputa de terceiro lugar era emocionante. Agora é o Brasil contra as amadoras. ECA!

        • Afonso RJ

          Campeonato chato? Competição lixo? Cansou? Ótimo. Porta da rua é serventia da casa.
          E já que mencionou, que tal daqui para frente acompanhar o futebol? Pelo menos vai nos poupar de ficarmos lendo esse tipo de besteira…

          • Luiz

            eu acompanho tudo, infante. Claro que o Grand Prix dos últimos dois anos tem me dado sono. Uma chatice. Um lixo.

        • Moura Br

          É muita merda pra um comentário só!
          Todas as equipes estão em inicio de preparação para a próxima olimpíada que é a competição que todos almejam, em 2011 as equipes estavam super entrosadas e com times praticamente definidos. Os altos e baixos das equipes dizem muito disso, porém nada apaga as rivalidades, as encaradas e a vontade de vencer de todos. Felizmente estamos um pouco a frente das demais seleções, vamos esperar que a fase dure até 2016! Abraço

          • Luiz

            Muita o que? Sério? Bela palavra pra definir o Grand Prix.

      • Luiz

        Só completando:

        De alguma forma eu sinto pelo Bernardinho (quem diria!) porque o cenário do vôlei masculino mundial é bem mais equilibrado. Cinco times no masculino podem levar o Mundial da Polônia. Já no feminino apenas dois: Brasil, e talvez Rússia. De resto é tudo time amador, até mesmo o americano, que vai demorar MUITO ainda pra se encontrar em quadra novamente.

  • Rafael

    Esperando a urubuzada criticar a seleção!!! É, aqueles mesmos que tem 3 títulos olímpicos, que deram consultoria ao ZR e Bernardinho no início de carreira deles, que estão ressuscitando jogadoras que fizeram muito pelo nosso vôlei bicampeão olímpico mas que fazem parte do passado (PP4 e Sassá), aqueles que se dizem críticos e entendedores de vôlei, àqueles brasileiros, ‘torcedores’ de um país que é uma potência no mundo olímpico, de uma tradição de revelar fenômenos em todos os esportes….a esses, espero que vão torcer pra outro esporte, pois independente das jogadoras que estão na seleção, sou brasileiro e estarei com elas em todos os jogos, sofrendo, chorando, vibrando, pois como brasileiro não tem como não fazer diferente!
    Xô urubuzada, abs

    • iuri

      arrasou!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Fora, urubuzada! E o outro ali falando q é obrigação vencer. Ué, estamos vencendo ! Obrigação até agora cumprida!

    • klaus

      Perfeito seu comentário.São aqueles que sofrem da síndrome de vira-lata.Na Liga Mundial desse ano teve um comentarista aqui que se acha muito entendedor e que adora atribuir palavras ofensivas aos jogadores dizendo que a Rússia é soberana e que a Itália é melhor que a seleção.A Rússia é tão soberana que nem na semi chegou e a Itália tão melhor que o Brasil que tomou 3×0 com direito a 25×11.E tem mais, disse que nas olimpíadas de Londres a seleção feminina ganhou da Rússia por sorte e por relaxamento das russas.Infelizmente mesmo com tantos títulos basta perder um jogo que as críticas são severas e nada presta.Se depender de mim, sempre estarei torcendo pela seleção e espero que os nossos jogadores e jogadoras continuem calando a boca de muitos.

    • Rodrigo

      Concordo!!!

  • Mari

    Esse Grand Prix está tão estranho…Acho que de potencia na fase decisiva só vai ter o Brasil, pq as outras seleções estão de doer. Hj no jogo entre a Alemanha e Itália foi um show de horror!! Desse jeito a Itália só vai pras semi no Mundial se for no embalo da torcida, pq se for no talento não chega.

    • Luiz

      UM LIXO DE GRAND PRIX. O do ano passado também foi assim.

      • Sambista

        Maria e Luiz são a mesma pessoa. Como ninguém concordou com as besteiras que falou, usou dessa estratégia baixa pra não ficar no vazio. rsrsrs

        • Luiz

          Queridinha, você é nova comentarista aqui? Porque se me conhecesse saberia que o que eu mais gosto é ter opinião diferente dos demais. Adoro uma confusão. Então, fica caladinha pra não passar vergonha. Beijinho!

          • Sambista

            rsrsrs Constrangedor. Não sei quem é vc. Não tem importância nenhuma no mundo. kkkkk

          • Luiz

            Será? Importante o suficiente para te incomodar. Você é prova viva… hahaahahahahahahahahahaahahahahahaha

  • Já começou as urubuzadas a querer desdenhar da campanha da nossa seleção como se os outros rivais não estão estudando o nosso esquema tático só pode,o nível do feminino está abaixo pela safra que parou de se revelar em todas as seleções por isso não se ve mais o equilibrio do fim dos anos 90 para cá hoje o brasil sobra pois renovou quase a seleção inteira de atenas para pequim a diante a própria Rússia vem agora encontrando dificuldades de se apresentar sem a presença de gamova e sokolova pois sempre se apoio nas duas como tbm na epoca de artamonova e godina cia.MAS é claro que o masculino sempre teve uma entre safra melhor de posições do que o feminino que é mais trabalhado,não é novidade pra ninguem!!neste grand prix o brasil sobra mais não quero deixar de destacar a seleção da Bélgica que vem se apresentando muito bem eliminando as favoritas da série b,agora pro mundial acredito num campeonato equilibrado com Gamova Sokolova Hohker brakocevit alías o feminino sempre são 3 candidatas fortes Brasil,Rússia e Eua com CHINA correndo por fora em outras epocas era Cuba,Rússia e Brasil nesta ordem com china e Eua seguindo de perto então o nível sempre foi essa com 3 candidatas é esperar o pódio no mundial..

  • Edu

    Vou me ater ao que assisti na madruga.Seleção jogou mais solta com Fabíola insistindo muito nas pontas com Gaby, Natália e Tandara.Presumo que seja uma recomendação do ZRG para verticalizar mais o jogo e aperfeiçoar mais as alternativas numa necessidade da partida.Todo jogo tem seu momento e num determinado a Dani, que entrava nas inversões, piorou a rotação com sua presença em quadra.Precisou a Fabíola ,por orientação do ZRG ,antecipar a volta já que com ela o time em quadra (as da suplentes que treinam de forma mais conjunta com ela nos treinamentos)estava mais engrenado .Em determinado momento do segundo set chegou a estar 15 a 2 a favor do Brasil.Andreia entrou pouco.Sinto que o ZRG quer lhe dar chances e o fato de ela poder atuar em três posições diferentes a coloca como jogadora coringa.No entanto, parece não ter correspondido e frustrando aos que, como eu, a colocavam como merecedora de convocação.Andreia recentemente deu uma entrevista corajosa em que admitia o esforço da distancia da família e do filho pequeno.Sua resposta resoluta definia que mesmo a distancia familiar ela queria lutar por um espaço na seleção mesmo aos 30 anos e que “jogar voleibol de forma competitiva era o que mais amava fazer na vida. E sua família e as pessoas que a amam sabem disso”.Fabizona, capitã, foi a unica das titulares a jogar os tres sets inteiros.Talvez pelo exercício da função definiu que sua presença em quadra poderia trazer mais segurança e apoio a suas companheiras.No terceiro set bateu aqueles minutos de desorientação e as dominicanas começaram a assumir o placar.Fechado, com cerca dificuldade pelo Brasil nos instantes finais da partida.As jogadoras que mais se destacaram foram citadas pelo Daniel.E que me lembre são oito partidas consecutivas que a Adenizia não respinga uma gota de suor no agasalho e no uniforme.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo