Com ponto até do líbero, Vivo/Minas volta à semi



Apesar de a estatística oficial da CBV não computar, Thiago Brendle, líbero do Vivo/Minas, pôde festejar a marcação de um ponto na vitória sobre o BMG/Montes Claros por 3 sets a 2, que garantiu o time de BH na semifinal da Superliga Masculina. Na temporada passada, o time havia sido eliminado nas quartas de final pelo Sada/Cruzeiro.

Após defender um ataque, Brendle viu a bola subir e cair caprichosamente em cima da linha, após golpe de vista errado do ponta Denison, jogador que entrou após o primeiro set e foi responsável por recolocar o time do Norte de Minas Gerais no jogo.

Nunca concordei com a explicação, mas a estatística computa o ponto como erro da defesa e não como “ataque” do líbero, algo que é proibido pela regra atual do esporte.

Ainda assim, Brendle comemorou a excelente atuação que teve na defesa, permitindo que vários ataques do Montes Claros virassem contragolpes para o Minas.

Na outra série já encerrada, deu a lógica. O aguerrido Medley/Campinas não resistiu ao altíssimo volume de jogo do Sesi, que venceu, em Campinas, por 3 sets a 0, parciais de 25-17, 26-24 e 26-24.

O levantador Sandro, do Sesi, foi eleito o melhor em quadra. O ponta Murilo, com 16 pontos, foi o maior anotador.

Teremos agora o duelo entre o melhor time da primeira fase contra o mais tradicional  e vitorioso do país. Uma série semifinal que promete emoções fortes. Murilo, Escadinha, André Nascimento, Marlon, Thiago Alves, Henrique, Sidão, Sandro, Wallace… Quem leva?



MaisRecentes

Coluna: Minas e um dia histórico para o vôlei nacional



Continue Lendo

O tremendo desafio de Minas e Dentil/Praia Clube no Mundial



Continue Lendo

Coluna: Sinal de alerta com as chuvas no Brasil



Continue Lendo