Com direito a grande virada no 2º set, Brasil detona a Rússia



Uma vitória para mostrar que a liderança e a invencibilidade no Grand Prix não são obra do acaso. Neste sábado, no Ginásio do Ibirapuera, o Brasil venceu a Rússia por 3 sets a 0, parciais de 25-15, 25-21 e 25-17. Agora são 15 pontos, com cinco vitórias em cinco jogos, já tendo enfrentando ainda China e Itália, outras duas candidatas ao título. Falta apenas os Estados Unidos, rivais deste domingo, novamente às 10h, na capital paulista, no encerramento da segunda etapa da competição.

Zé Roberto orienta o time (Divulgação/FIVB)

Zé Roberto orienta o time (Divulgação/FIVB)

No primeiro set, Yury Marichev, técnico da Rússia, parece que tentou esconder o jogo, deixando a oposto Goncharova, a levantadora Starseva e a central  Podskalnaya no banco de reservas. Escondeu tanto, que não achou o jogo. As russas não foram sombra do temido e respeitado time que são, perdendo por 25 a 16. Foram atropeladas por um Brasil impiedoso, que anotou sete pontos de bloqueio, contra apenas um do rival. Individualmente, a Seleção contou com uma ótima atuação de Fabiana (sete pontos, cinco deles no ataque) e com a regularidade de Sheilla, Thaisa e Fernanda Garay, com quatro acertos cada.

Quem estava no Ibirapuera deve ter pensado: Vou sair daqui mais cedo para almoçar. Mas Marichev tinha outros planos e resolveu colocar suas principais peças em quadra, voltando para o segundo set com Goncharova e Podskalnaya, além da ponta  Shcherban. E aí Brasil x Rússia se transformou verdadeiramente em Brasil x Rússia.

O saque  das europeias passou a incomodar bastante o passe de Jaqueline e Camila Brait, fazendo o desaparecido bloqueio russo dar as caras. E o jogo virou. As russas chegaram a ter sete pontos de vantagem (11 a 4). Zé Roberto parou o jogo, deu uma bronca no time, inverteu o 5-1 com Tandara e Fabíola… A diferença diminuiu e poderia ter ficado igual antes do segundo tempo técnico (13-16), caso o Brasil não tivesse desperdiçado tantos contra-ataques. O empate (19 a 19) aconteceu com a entrada de Natália no saque e dois pontos seguidos de Thaisa no bloqueio, com a virada saindo na sequência, com de um erro da levantadora Kosianenko, ao tentar atacar uma bola. À frente no marcador, o Brasil aproveitou a empolgação da torcida no Ibirapuera para manter a vantagem e fechar em 25-21, com um saque de Jaqueline. A central Thaisa, com nove pontos na parcial (seis de ataque e três de bloqueio), foi o destaque brasileiro.

O terceiro set começou equilibrado, sem que os times conseguissem abrir vantagem. Mas a Rússia começou dar uma forcinha para aqueles que queriam almoçar mais cedo, errando alguns ataques. O Brasil, que parecia estar com fome, não bobeou, abrindo oito pontos (13 a 5). Daí para frente bastou administrar, mesmo com uma aproximação russa, para fechar em 25 a 17.

“As Torres Gêmeas” Thaisa e Fabiana lideraram o Brasil na pontuação, com 15 e 13 acertos, respectivamente. E foram decisivas para a surra verde-amarela no bloqueio: 14 a 7. Sheilla, que “estreou” no GP contra a Coreia (http://blogs.lancenet.com.br/volei/2014/08/09/seja-bem-vinda-sheilla/), também foi importante, com 13 pontos.



MaisRecentes

Vaivém: Hooker veste a “camisa” de Osasco



Continue Lendo

Brasil se recupera com 3 a 0. Mas não foi assim tão fácil



Continue Lendo

Uma satisfação



Continue Lendo