Mesmo com caso levado à FIVB, Simon é apresentado pelo Civitanova



O central cubano Simon foi apresentado nesta segunda-feira pelo Civitanova. E pela descrição da imprensa italiana em nenhum houve aparente constrangimento pela saída conflituosa do Sada/Cruzeiro.

O jogador disse estar impressionado com torcida, ginásio e não vê a hora de começar a jogar, com um time muito reforçado para vencer todas as competições. Aquele discurso quase padrão em qualquer apresentação.

Enquanto Simon posava com a nova camisa, o Sada/Cruzeiro observava à distância. O clube já apresentou na Federação Internacional (FIVB) uma reclamação contra o jogador e o clube italiano, os responsabilizando pela quebra de contrato do cubano, já que ele tinha mais um ano de vínculo com os mineiros.

“O Sada/Cruzeiro repudia a forma subalterna adotada pelo Lube Civitanova, que enredou o atleta e o colocou na posição de mandante de uma farsa, apenas para evitar o pagamento da penalidade. O Sada/Cruzeiro notificou a FIVB e a Federação Italiana de Vôlei sobre a pirataria e a chantagem que se adotam nos bastidores do vôlei italiano, para que possam reprimir com medidas enérgicas esses absurdos. Lamentamos profundamente que um ícone do vôlei mundial tenha adotado as orientações de quem o explora em seu despreparo”, diz um trecho da última nota oficial dos brasileiros sobre o caso.

Simon durante a apresentação do Civitanova (Divulgação)

No mesmo texto, o Sada/Cruzeiro volta a criticar a forma escolhida por Simon para forçar a saída sem o pagamento da multa rescisória prevista em contrato.

“Com o objetivo de livrar-se do pagamento da multa, o Lube orientou Simon a contratar um representante na Ilha de Malta, que passou a disparar ameaças e intimidações para o Sada Cruzeiro, sobre notificar a imprensa e entidades brasileiras e internacionais a respeito de fictícias irregularidades, tomando a legislação italiana como base e revelando total desconhecimento da ética. Em 31 de julho, Simon retornou a Belo Horizonte e se reuniu com a direção do Sada Cruzeiro, acompanhado de um sócio da empresa da Ilha de Malta, e este reiterou as pretensões totalmente descabidas, desconectadas da realidade, ávido por sua “comissão”. E o representante, procurando isentar obsessivamente o Lube, co-responsável na situação embaraçosa do atleta, visando, obviamente, receber uma parcela do quanto o Lube economizaria. E ao que parece, pouco se importando em arrasar a imagem do atleta”.

Como já escrevi anteriormente, está cada vez mais claro que o Sada/Cruzeiro não vai perder a batalha sem lutar. Os “tiros” já estão sendo dados por ambos os lados. E com a FIVB sendo obrigada a dar um posicionamento urgente sobre o caso.

LEIA TAMBÉM

+ Minas apresenta novos patrocinadores

 



MaisRecentes

Seleção do Mundial não premiou destaques da final



Continue Lendo

Título coloca a Sérvia no topo após frustração olímpica



Continue Lendo

Supercopa abre temporada masculina mais imprevisível no Brasil



Continue Lendo