Com casa cheia em Barueri, Vôlei Nestlé avança para a semi



Cinco mil pessoas lotaram o Ginásio José Correia, em Barueri, na noite deste sábado, e foram protagonistas no jogo entre Hinode/Barueri e Vôlei Nestlé.

Um ginásio lotado, com presença das duas torcidas (algo que o futebol cada vez menos consegue fazer), em um jogo decisivo e repleto de alternâncias. Cardápio perfeito para uma festa do vôlei, com recorde de público da Superliga Cimed Feminina.

No fim, prevaleceu o time titular mais entrosado e em melhores condições físicas. Vitória da equipe de Osasco por 3 sets a 1, parciais de 2518, 17-25, 25-21 e 26-24, fechando o playoff em melhor de três das quartas de final em 2 a 0. Na semifinal, agora em até cinco jogos, o Vôlei Nestlé vai encarar o Dentil/Praia Clube. Já o Hinode/Barueri se despede com um quinto lugar na primeira temporada na elite do vôlei brasileiro.

– Osasco é uma grande equipe, nosso time se superou, após ter muito problemas físicos ao longo da temporada e que se juntou praticamente na reta final da Superliga. Mas eu gostaria de agradecer a todas as meninas e também ao Grupo Hinode, por todo apoio que nos deu. Infelizmente não conseguimos avançar, mas nosso time ainda está em formação e com certeza vai crescer – disse a ponta Jaqueline, que jogou com uma proteção no ombro direito.

Ponto do Vôlei Nestlé

Tandara, para variar, foi a maior pontuadora (João Neto/Fotojump)

Acho até que o duelo deste sábado merecia acabar com um tie-break. E olha que a chance foi grande. Barueri chegou a ter 23 a 21, o ginásio estava tomado por um clima de euforia, mas as visitantes conseguiram virar e evitar o set desempate.

A oposto Tandara foi um dos principais nomes da partida. A jogadora foi a maior pontuadora do Vôlei Nestlé, com 21 acertos (19 de ataque e dois de bloqueio) e ainda foi eleita, por votação popular, no site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), a melhor em quadra. Depois repassou o prêmio para a ponta Mari Paraíba. Skowronska anotou 23 para o Hinode/Barueri.

– Entramos determinadas. Erramos muito no primeiro set, mas também jogamos muito bem. o segundo set foi mais equilibrado e, nos seguintes, paramos e pensamos mais, colocamos a bola para o outro lado a fim de fazer eles jogarem. E isso fez toda a diferença. Agora, contra o Praia, é trabalhar, trabalhar. Trabalhar e ir para cima – analisou Tandara.



MaisRecentes

Reflexão sobre o momento da Seleção é necessária



Continue Lendo

O novo capítulo de uma relação conturbada entre Brait e Zé Roberto



Continue Lendo

Coluna: A empolgante decisão da Superliga feminina



Continue Lendo