Colunista convidado – Mari: “Voltando para casa”



Mais um texto escrito especialmente para o blog. Desta vez, a autora é Mari, ponta que está voltando ao Molico/Osasco. Confira o texto escrito por ela:

Depois de sete anos jogando pelo Brasil e pelo mundo estou de volta ao clube onde me consagrei. Foi em Osasco que comecei a escrever minha história no voleibol e ainda com 17 anos me profissionalizei. Enquanto estive aqui conquistei três Superligas e fui tetracampeã paulista. O sentimento é de estar “ voltando pra casa” depois de sete anos de aprendizado.

É evidente que nesta caminhada de sete anos ganhei muita bagagem no voleibol, amadureci, fiz amizades, tive lesões, decepções, mas tudo valeu a pena para chegar até aqui.

Hoje, ao 30 anos, quase 31…rs, me sinto mais madura como atleta, sei o que preciso e o que posso fazer. A vida de atleta é extremamente gratificante, mas tem uma rotina dura e muito difícil. Todo atleta de alto rendimento aprende a viver se superando e no limite. Tem dores diárias e acaba se acostumando a conviver com elas, precisa ter cuidados rotineiros com seu corpo para estar sempre em forma,e, além disso, tudo, precisa ter muito amor pelo que faz.

A grande verdade é que a conquista de títulos faz com que todo seu esforço seja recompensado, é isso que move o atleta. Sentir aquela energia, as pessoas torcendo, aquela adrenalina…. É preciso saber aproveitar cada dia, cada treino, cada bola, cada jogo para não se arrepender de algo que poderíamos ter feito. O atleta é isso…

Mas só o atleta? Acredito que isso também sirva para a vida de todos aqueles que desejam alcançar o sucesso no trabalho ou na profissão que exercem. Nada se conquista sem dedicação e sacrifício. Ninguém chega ao topo a toa.

Me sinto feliz em ter feito muitas coisas pelo voleibol e, mais feliz ainda, em fazer parte dele até hoje. Espero ter deixado um pouco da minha experiência para quem ama o esporte e a vida, assim como eu. Nos só colhemos o que plantamos, sementes ruins aparecem no caminho de todos, mas elas logo secam e morrem, só depende de qual semente regaremos mais.



  • manu

    eita que esse post vai bombar. Segura as pontas aí Daniel que os talifãs vão chegar com tudo.
    Sucesso a Mari. Esta na história do volei do Brasil

  • gennesy

    Simplesmente a melhor e está voltando com tudo boa sorte mari estaremos sempre com vc

  • Aline

    Eh Mari, 7 eh um numero cabalistico… Eh o retorno da Fenix, ressurgindo das cinzas!
    A minha duvida eh a seguinte: a MARI jogara o MUNDIAL pela ALEMANHA??? Sim ou Nao???
    Vale ressaltar que a Alemanha esta com a melhor equipe dos ultimos tempos e a Mari seria a experiencia de uma Campea Olimpica que a Alemanha precisa.

  • Raffael

    Torcendo demais pra Mari voltar a velha forma. E digo mais, mesmo fora de forma ainda teria vaga na Seleção. Nem ponteiras e opostas estão inspirando confiança nesse preparatório pro mundial. Imagina com essa gana que ela esta demonstrando com esse “novo começo”… Mostre a todos o que o Brasil perdeu com sua ausência!!!

  • Rodrigo Coimbra

    Para mim junto a Paula Pequeno foram as melhores ponteiras que eu já vi jogar. Exemplos de comprometimento apesar das duras críticas!

  • Shanaya

    Mari, jogando em alto nível, tem vaga garantida na seleção. Não peida na farofa e não fica fazendo cara de choro nos momentos difíceis.

  • Saulo Sollys

    Uma historia linda com vitorias maravilhosas e polemicas. Que seu retorno seja brilhante.

  • Rafael Casta

    MARI orgulho da nação MARIFÃN ela ta voltando com tudo!!!!

  • iuri

    Marcou a historia do vôlei em todos os sentidos. Inesquecível. Mari, sempre te amaremos.

  • rafael cruzeiro

    Apesar de não torcer para o Osasco, desejo a ti parabéns pelo retorno ao time que te projetou. Nunca me esqueço de tua atuação memorável no jogo da semifinal contra a China em 2008. Começaste nervosa, mas depois arrebentou. Boa sorte!

  • Rita

    Ow, Mari. Que saudade. Ver vc jogando nas quadras, na seleção. Torço muito p que vc volte a defender nosso pais. Bjs, ritinha

  • Márcia Andréa

    Mari, boa sorte e feliz retorno.
    Parabéns por tudo.

  • Gabriele

    Mari, desde sempre minha inspiração no vôlei e pq não dizer, na vida. Merece muito sucesso ainda na carreira. Amo muito!

  • Marília

    Saudades de te ver jogar, Mari. De vibrar e torcer com você a cada ponto. Sofremos as suas derrotas, nos lesionamos juntos e também comemoramos as vitórias. Ser fã também é isso. E tenho orgulho de dizer que te acompanho desde o começo e sei o quão gigante pela propria natureza você é. Ps- Só você pra me fazem torcer pro Osasco. 😀

  • Lilika

    Bom retorno à casa que a consagrou, e boa sorte, seja como ponta ou oposta.

  • Rere

    Mari, texto muito bom, colocando suas experiências, suas expectativas e até mesmo trazendo, trazendo uma lição de vida! Parabéns!

  • wms

    Torço muito por vc Mari, e lamento que o Praia Clube não tenha aproveitado sua passagem como deveria. Quase acendi vela pra vc ficar em Uberlândia, e dar aquele time a chance de usar de verdade uma jogadora do seu nível; gostei sobretudo da sua postura naqueles últimos jogos, mostrando que vc realmente amadureceu muito.
    Espero que sua passagem pelo Osasco reprise aqueles tempos de seu surgimento, e aquelas vitórias também, ainda que eu não seja torcedor do Osasco (com vc e a Dani Lins por lá, vão rolar algumas “viradas de casaca” num jogo ou outro, hehehe).
    Um abraço e muito sucesso nesse retorno.
    Espero vê-la nos jogos do Osasco aqui em Brasília.

  • Rodrigo B.

    Não se pode esquecer tudo o q essa jogadora fez pela seleção brasileira e pelos clubes pelo o qual passou. Torço para que, com o físico em forma, ela volte a jogar o seu vôlei agressivo que fazia o adversário tremer. Boa sorte para a Mari (minhas apostas são positivas)!!

  • Leandro

    Mari,

    Parabens!

    Vem com tudo pra Osasco!

    Vamos fazer o Rio comer grama!!!

  • Kati

    Mari, GUERREIRA!

  • Marcelo

    Mari, acompanho sua carreira desde sempre, como todos os seus fãs pelo mundo todo. Voce realmente é merecedora de tudo que conquistou e ainda vai conquistar, pois tem muito a fazer pelo nosso volei. Parabéns pela atleta que voce é mais especialmente pela pessoa que voce é. Que Deus lhe de muita saúde e paz, para que continue nos dando a alegria de lhe ver quadra, cravando as bolas e também nos brindando com sua beleza. Parabéns pelo texto e obrigado.

  • Aline

    Mari, sou uma grande fã… admiro muito seu trabalho e te considero a ultima grande revelação do vôlei brasileiro. Infelizmente acho q na seleção brasileira devido as panelinhas e outras coisas q agora não vem ao caso vc não terá mais espaço. Mais enfim creio eu que você será recebida de braços abertos pela seleção alemã, um talento como o seu não pode ser desperdiçado por causa de um cara medíocre que é chamado de treinador!!! #BoaSorte

    • João

      Se o Zé Roberto,tricampeão olímpico,é medíocre,não quero nem saber o que você seria.

  • cici

    Mari simplesmente te amo por tudo que você é

  • Mário

    Mari, alguém disse lá em cima e concordo plenamente: você foi a última grande revelação do vôlei brasileiro. Uma menina simples, família humilde, engraçada fora de quadra e séria/profissional dentro de quadra. Surgiu abalando nas quadras, ganhando destaques e troféus de revelação. Tanto que imediatamente foi pra Seleção, como titular absoluta. Infelizmente foi a única que, aos 19 anos, jogou de fato numa partida onde as “experientes” amarelaram. Você fez 37 pontos, mais que Gamova, que estava do outro lado. Foi guerreira, absoluta. E teve que amargar absurdamente a derrota. Carregar nos ombros de uma menina genial, a culpa que, naturalmente, podia ter sido de qualquer um, menos sua. Você mudou de posição, abriu espaço para a outra oposto, porque era a melhor atacante que existia. Fez de tudo. Se contundiu, passou por cirurgias, foi incompreendida. Nunca puxou saco, não levou desaforos, não fez estilo midiática ou mimimi. Foi a grande campeã, em 2008, ganhando naquele ano MVP no Grand Grix e, sabemos bem, podia ter sido a melhor nas Olimpíadas (título que ficou com a Paula Pequeno, também merecedora e uma guerreira, como você).
    As duas, aliás, foram penalizadas. Creio que justamente por não engolirem sapo e nem fazerem a linha Pantene ou Aline Barros. Não puxam saco. Têm personalidade, dignidade. Você, inexplicavelmente, foi cortada da seleção em 2012. Mancha negra que eu e muitos que reconhecem seu esforço e empenho, jamais vão entender. Afinal, você havia feito excelentes partidas anteriormente, virando placares impossíveis na inversão com a oposto titular. O que é inadmissível, também, pois naquele jogo você arrasou (quando entrou com Daroit). No set seguinte, o técnico, ao invés de manter você na posição de oposta, retornou a outra e pôs você na ponta. Bastou dificuldade na recepção, pra retirar você da quadra e não retornar mais. Ali ficou claro que não poderiam você sequer fazer sobra pra oposta titular. E ficou claro que não queriam que mostrasse seu jogo, mostrar do que seria capaz.
    Mas, como sempre, pra você é mais difícil, porque é honesta, e poucas chances lhe foram dadas. Acabaram levando pra Londres a eterna promessa, que não jogava há mais de um ano….preferiram a risonha Tandara, que quase nada representava em comparação com a titular, portanto não era ameaça.
    Você não chorou. Não fez mimimi. Somente falou com a imprensa, manifestou sua opinião, porque não precisa ficar puxando saco. Você, nisto, já é mais que bi-campeã. É humana. Por tudo isso, tudo de bom em sua caminhada, no Osasco, pra quem torcerei agora.

    • Ca

      Arrasou em suas palavras. E torço para que ela jogue pela seleção alemã.
      Merece jogar Mundial e outra Olimpíada. Com uma perna só é melhor que a Risonha e a eterna promessa juntas. Mas fazer o quê. Torço para algumas jogadoras da seleção e não para a seleção. Por isso torço muito para que ela jogue pela seleção alemã.

    • Mariana

      Belíssimo texto!!! Obrigada, Mário! Você fez justiça a uma atleta espetacular, a quem o Brasil deve reverência eterna por tudo que fez, e fará pela seleção…EU ACREDITO, GO MARI RIO 2016!!!.

MaisRecentes

O novo conceito da FIVB para 2018



Continue Lendo

Apenas Lebes/Canoas faz o dever de casa na rodada



Continue Lendo

Um líder por pontos ganhos. Outro por pontos perdidos



Continue Lendo