Colunista convidado – Emanuel: “Voltando no tempo”



O nome dele é sinônimo de vitórias no vôlei de praia. Uma verdadeira lenda das areias. Emanuel escreveu este texto com exclusividade para o blog após a primeira competição da “nova parceria” com Ricardo, cinco anos depois da separação.

No domingo, eles conquistaram a etapa de Vitória do Circuito Banco do Brasil, o 63º título da dupla (35 internacionais e 28 nacionais). Possuem entre as principais conquistas a medalha de ouro na Olimpíada de Atenas-2004, o bronze em Pequim-2008, o título no Campeonato Mundial (2003), cinco vezes consecutivas vencedores do Circuito Mundial (2003 a 2007), o ouro nos Jogos Pan-Americanos do Rio-2007 e os quatro títulos do Circuito Brasileiro (2008/2006/2003/2002).

Emanuel na etapa de Vitória (CBV Divulgação)

Emanuel na etapa de Vitória (CBV Divulgação)

Veja como Emanuel descreve, neste texto escrito para o blog, o momento vivido aos 41 anos:

Tudo aconteceu bem rápido. Conversamos por telefone e, dias depois, já estávamos juntos na quadra batendo bola no Rio de Janeiro. Quando chegamos para o primeiro treino, fomos recebidos por um batalhão de jornalistas, que nos perguntavam se os fãs poderiam esperar mais títulos e conquistas. Difícil responder, éramos uma ‘nova velha dupla’, estávamos voltando a jogar juntos depois de cinco anos. Queria dizer responder que sim, que o tempo não havia passado, que nosso time continuaria vitorioso e na mesma forma de dez anos atrás, quando fomos campeões em Atenas. Era impossível não lembrar da medalha de ouro, foi o auge das nossas carreiras.

O tempo passou, seguimos caminhos diferentes desde a separação, mas seguimos fortes e isso, combinado com a vontade de vencer, nos fazia ter a certeza de que poderíamos sonhar com coisas grandes. Confesso que achei que não fosse mais ter o Ricardo ao lado como parceiro. Aliás, nem ele, nem ninguém, acho que foi um susto para todo mundo. Mas um susto bom. Temos recebido muito carinho, vendo as pessoas sorrindo e ‘nos abraçando’, o que mostra que deixamos uma coisa boa. Isso é o mais importante.

Foram poucos treinos até a etapa de Vitória, disputada no último fim de semana. Não era bem um desafio, era uma incógnita. Não sabíamos o que esperar, pois estamos recuperando nosso entrosamento e nossa sintonia, criando uma nova identidade para o time. Não podemos prometer resultados, mas podemos prometer comprometimento, empenho e vontade. Isso nunca vai faltar. O resultado do torneio capixaba vocês já sabem. Quando subimos ao pódio, a sensação foi maravilhosa. Ser campeão é algo especial. Ser campeão ao lado do Ricardo novamente foi ainda mais especial. Foi como se o tempo não tivesse passado.

 

 



MaisRecentes

Vaivém: “Livre”, Thaisa seguirá atuando no Brasil



Continue Lendo

Jaqueline chega ao Japão para substituir Drussyla



Continue Lendo

Vaivém: Abouba espera aproveitar chance da vida no EMS/Taubaté



Continue Lendo