Colunista convidado – Dante: “Está sendo muito bom aqui no Japão”



Pessoal, bom dia. Mais um colunista convidado escreveu a pedido do blog. Desta vez, o texto vem de longe. Dante, ponta da Seleção Brasileira e atual campeão da Superliga pelo ex-RJX, que está atualmente no Panasonic, do Japão.

Estou gostando muito do Japão. Joguei em alguns países, passei pela Grécia, pela Itália e Rússia, e não sabia bem o que encontraria aqui. Sabia que era uma liga forte, ainda mais esse ano porque as equipes investiram bastante para a temporada, mas a língua, o sistema da competição, o dia a dia na cidade, era tudo uma novidade para mim. Mas minha adaptação foi muito boa, fácil e rápida. O Panasonic Panthers me deu todo suporte, tenho uma tradutora, a Megumi, que me ajuda com tudo, isso tornou tudo bem mais simples. Até a questão do fuso, se adaptar e se acostumar à ideia de que eu estou aqui acordando quando todo mundo está dormindo no Brasil, não foi difícil, em alguns dias eu já estava no ritmo. Tanto o corpo quanto a cabeça entenderam rápido. Fora de quadra, estou bem tranquilo, Megumi me ajuda muito.

Dentro de quadra, encontrei uma competição muito equilibrada, disputada em alto nível e com partidas emocionantes, decididas nos detalhes. Muitos dos jogos vão a cinco sets, mas são cinco sets longos, sempre disputados ponto a ponto, com tie-breaks parelhos e parciais altas. No Brasil e em outras ligas da Europa, a explosão, a força conta muito, aqui vale muito a parte física. Se você não estiver bem, não joga. É difícil cair a bola. Está sendo uma experiência muito boa, é um campeonato diferente, não apenas por essa características, também pelo formato, já que jogamos sempre sábado e domingo, sempre numa sede diferente. É desgastante, uma liga dura, tem os longos deslocamentos, o que exige ainda mais do condicionamento e da concentração, pois todo fim de semana tem uma viagem.

Mas está sendo muito bom. Aqui é um país onde tudo funciona, a cidade onde  moro, Irakata, é muito pacata, o povo é muito simpático, educado, só a língua que complica bem. Mas estou aprendendo algumas palavras. Estamos na vice-liderança a apenas uma vitória do líder e crescendo, evoluindo semana a semana. Temos uma estrutura fantástica, uma torcida apaixonada, tranquilidade para trabalhar, isso ajuda bastante, só precisamos nos concentrar em quadra. O objetivo agora é buscar a liderança, buscar uma boa classificação para os playoffs e poder disputar o título.



  • Aline

    Destaco alguns pontos da entrevista de Dante sobre a Liga Japonesa de Vôlei:
    1. jogamos sempre sábado e domingo: ou seja, os torcedores tem certeza de quais dias tem jogos, não há “surpresas” na tabela. Será que no Japão aconteceria de não se transmitir a COPA BRASIL de vôlei por coincidir horário com a COPA S.PAULO DE FUTEBOL?
    2. Aqui é um país onde tudo funciona: igualzinho ao Brasil, CBV e GLOBO, não acham???
    3. O povo é muito simpático, educado: será que xingam jogadores de vagabunda, como reclamou a Sheilla???
    4. Temos uma estrutura fantástica: Será que jogos são interrompidos por goteiras ou apagões???
    5. Tranquilidade para trabalhar, isso ajuda bastante, só precisamos nos concentrar em quadra: Será que os times tem problemas de patrocínio e atrasam os salários por meses???
    6. Dentro de quadra, encontrei uma competição muito equilibrada, disputada em alto nível e com partidas emocionantes, decididas nos detalhes. Muitos dos jogos vão a cinco sets, mas são cinco sets longos, sempre disputados ponto a ponto, com tie-breaks parelhos e parciais altas: O ranking no Brasil mais atrapalha do que ajuda na formação dos times e não acontece o equilíbrio esperado entre as equipes. Será que se a maioria das partidas no Brasil fossem para o quinto set e chegassem a durar 2 horas ou mais, o vôlei teria ainda menos espaço na TV do já tem???

    Enfim, há uma abismo entre a desorganização do Vôlei no Brasil e a organização do vôlei no Japão. Mesmo com tamanha desorganização somos Campeões Olímpicos, Mundiais, Interclubes etc…, pois temos jogadores TALENTOSOS!!! Será que não merecemos um pouquinho mais de organização para prestigiar o talento de nossos atletas???
    Pois apesar de termos tantos títulos o Vôlei está MUITO LONGE da TV ABERTA no Brasil!

  • Gosto do Dante.Jogador simples e humilde. Merece tudo de bom na carreira dele e espero vê-lo jogando no meu time(Brasil Kirin vôlei) na próxima temporada.

MaisRecentes

Vaivém: Jaqueline no Hinode/Barueri



Continue Lendo

Cai o primeiro técnico após UMA rodada da Superliga



Continue Lendo

Luizomar e Rizola não conseguem vaga no Mundial



Continue Lendo