Colunista convidada: Gabi – Falta agora o Mundial!



Fala, pessoal!

Estou muito feliz! Somos campeãs sul-americanas de clubes e garantimos uma vaga no Mundial. Queremos muito este título também, pois é o único que nos falta.

No sábado, tivemos uma semifinal tranquila, contra o Villa Dora, conseguimos dominar a partida e garantir uma vaga na grande final.

Neste domingo, contra o San Martin, do Peru, não jogamos tão bem, cometemos alguns erros que podem ser minimizados, mas, mesmo assim, conquistamos o título e estamos muito felizes. A final foi equilibrada, o time peruano jogou muito bem, com muita velocidade, e eles possuem um saque muito forçado. Mas, aos poucos, fomos controlando os ânimos, e entramos melhor na partida.

Final contra as peruanas (Divulgação)

Final contra as peruanas (Divulgação)

Além do título, também conquistei um prêmio individual. Fui eleita a melhor ponteira da competição. Os títulos coletivos são sempre os mais importantes, mas ser escolhida como melhor ponteira também foi muito legal. Nos dá mais gás e vontade de seguir evoluindo e melhorando para conquistar títulos para o Rexona-AdeS.

É isso pessoal, agora vamos comemorar um pouquinho, e amanhã retornamos ao Rio, para voltar a focar na Superliga, pois temos um jogo duríssimo, já na próxima sexta-feira, contra Osasco.

Beijos, galera, foi muito legal participar do blog, até uma próxima oportunidade!



  • AfonsoRJ

    As meninas estão de parabéns, mas …
    Acabou a moleza. Pela frente agora é só pedreira. Boa sorte.

  • Edu

    Só houve um pouco de adversidade no segundo set.O restante, como esperado, foi um passeio.E o Rexona ,com méritos, carimba sua vaga para o mundial provavelmente a ser realizado em maio.Um dos adversários já é o conhecido Vollero que promove o torneio em Zurique e tem a sua vaga garantida como organizador na competição até 2017.Independente disso, o Vollero repetiu a sua classificação do ano passado e vai novamente para final o 6 da CL nesta temporada. Único dos primeiros classificados a sucumbir na partida de ida contra o segundo, o Azerayol, do Azerbaidjão, num jogo de 3 a 2.Na partida de Zurique uma vitória simples de 3 a zero ou 3 a 1 já encerrava o match a favor da equipe suiça .Num inicio de set inconstante quando liderava com 8 pontos de vantagem começou a ceder pontos fáceis e perder a noção da liderança.O técnico holandês Salinger sempre se mostrou avesso a substituições bruscas e mudou seu comportamento colocando 3 jogadoras de uma vez.A oposta reserva Vansan, terceira reserva posição na seleção estadunidense, a ponteira Laura(unica suiça do time) e a levantadora reserva que era a terceira na posição e foi promovida para segunda com a insatisfação da contratação da búlgara Barakhova para a posição.Primeiro lance com as reservas em quadra.Laura, a suiça nessa legião estrangeira, quina a bola de recepção para a fora.Segundo saque, surge uma confusão total na recepção e a levantadora faz a tentativa de ataque de cortada na rede.Toma um contra ataque e levam mais um ponto.Novo saque e a bola sobra para a Vansan passar fácil para outro lado de caixinha.Coloca tão pouca força no braço que a bola nem atravessa a rede.Depois disso as três reservas são imediatamente retiradas e a libero do Vollero faz 3 defesas sensacionais na sequencia de ponto, registrado na retrospectiva da rodada do Laola, inspirando o time suiço. Perdem o primeiro set que lideravam por 8 pontos e conseguem retomar o controle da partida a partir do segundo set fechando o confronto em 3 a 1.Na próxima fase encaram o animado Vakifbank (que colocou Sheilla para jogar na rodada do campeonato turco contra um concorrente menor.A brasileira fez 20 pontos).No futuro confronto do mundial de 2016 , e na comparação do 2015, em que perdeu na fase classificatória e ganhou na disputa por posição de terceiro do Rexona, o Vollero é uma equipe bem mais forte que seu concorrente brasileiro.Supera posição por posição apenas nas ponteiras Gaby e Natália , na comparação com uma depauperada Mamadova e Rabadzieva e na de líberos.Fabi continua imbatível e tem alguma sombra apenas contra a dominicana Brenda Castilho.No entanto, a libero Popovic, do Vollero, é muito boa e consegue manter na reserva a libero da seleção estadunidense em seu time.Na comparação das levantadoras Thompson , que esta jogando bem a Superliga, foi dispensada para a vinda da Zivkovic(levantadora da seleção servia).Portanto leva desvantagem.E colocando a Monique com a Lorreine nas costas não joga como a Olenka Rhyliuk – que precisa se decidir se realmente pretende ser, de vez, a maior oposta do mundo.Talento natural ela tem o bastante para isso.Nas centrais é uma situação de semi covardia e se acentua entre Carol e Juciely ,ótimas jogadoras, mas na desvantagem entre a Orlova(na minha opinião, a mais completa tecnicamente central da seleção russa) e a Akinadewo (uma das 3 melhores da posição no mundo e melhor jogada de china da história do voleibol feminino).Mas jogo se ganha na quadra e não nas expectativas futuras.Técnicos, ambos tem uma impressionante similaridade, o Bernardo(técnico feminino e masculino da seleção brasileira),pelo currículo, é melhor e o Salinger(técnico do feminino e hoje no masculino da seleção holandesa) foi melhor levantador(uma geração depois) que o brasileiro na história dentro da quadra.

MaisRecentes

A velocidade do Sesc, com Thiaguinho, impressiona



Continue Lendo

O novo conceito da FIVB para 2018



Continue Lendo

Apenas Lebes/Canoas faz o dever de casa na rodada



Continue Lendo