Coluna: Um verdadeiro pré-olímpico nas areias



Coluna Saque deste domingo 28 de junho, é sobre o Mundial de vôlei de praia.

Começou neste fim de semana o Campeonato Mundial de vôlei de praia, na Holanda. Um verdadeiro teste pré-olímpico, a pouco mais de um ano do início da Rio-2016. 96 duplas em ação em quatro sedes (uma delas paradisíaca com as quadras ligadas a um navio ancorado na praia), uma premiação total de US$ 1 milhão e importantíssimos 1000 pontos no ranking da FIVB para as parcerias campeãs, que serve como um dos critérios de classificação para a Olimpíada.

Para o Brasil conseguir sua ambiciosa meta de terminar no top 10 dos próximos Jogos no quadro geral de medalhas, o vôlei de praia precisará fazer sua parte. E o COB sabe muito bem disso. No Rio, serão quatro duplas em ação (duas masculinas e duas femininas) e, em tese, com a possibilidade reais de obter quatro pódios, algo que o país nunca conseguiu em uma edição (recorde foram três em Sydney-2000). Na Holanda, oito parcerias estão em ação. Vale lembrar que a CBV definiu que a melhor dupla de cada naipe no ranking garantirá vaga no Rio-2016, com outras duas sendo indicadas pela entidade.

Entre as mulheres, Talita e Larissa estão em todas as listas de favoritas para o Mundial e para a Olimpíada. Em 2014, ano da estreia da dupla, conquistaram quatro de seis etapas do Circuito Mundial e faturaram o Circuito Nacional. Bola elas têm e já mostraram. Talvez o mais difícil agora seja lidar com o peso do favoritismo. Juliana/Maria Elisa (que estrearam com uma incrível vitória por 21 a 0 em um dos sets ontem), Agatha/Barbara Seixas e Taiana/Fernanda Berti são as outras representantes nacionais.

Entre os homens, impossível não citar Ricardo e Emanuel. Títulos olímpicos, mundiais e nacionais no currículo, experiência de sobra (40 e 42 anos, respectivamente) e o peso de serem uma das maiores duplas de todos os tempos. São respeitados como poucos, mas possuem um desafio extra pela idade. Os últimos resultados mostram que este é o mais difícil ciclo olímpico que já enfrentaram. Estão na briga ainda Alison/Bruno Schmidt, os jovens Álvaro/Vitor Felipe e Pedro Solberg/Evandro, dupla recém-formada e que vem de título no Circuito Mundial.



  • Aline

    Esse Mundial NAO CONTA PONTOS PARA A CLASSIFICACAO OLIMPICA BRASILEIRA.
    MOTIVO: No Mundial NAO TEM QUALIFYING que permita a participacao de outras DUPLAS BRASILEIRAS!

    • Fernando

      Você tem razão
      Daniel, tem que corrigir a informação.

  • JR

    Acredito que Talita/Larissa e Agatha/Barbara sejam as duplas olimpicas. Essas duas vem mostrando o melhor volei ate aqui. Larissa dispensa apresentações e Agatha e Barbara cresceram mto d um tempo p ca, volume de jogo, ataque, saque. No masculino, Pedro Solberg/Evandro e Bruno/Alisson qndo estao no dia ninguem os para, porem em um jogo q comeca adverso, a coisa nao vai. N sei se seria questão de maturidade, mas as adversidades fazem parte do jogo e tem de saber supera-las.

    • Fernando

      Discordo, no Feminino a única dupla garantida é a Talita e Larissa, por questões óbvias, a outra vaga está em aberto, pois esquecemos que tem a Juliana e Maria Elisa que brigam pela vaga também.

      No Masculino a disputa tá mais acirrada!!!.

  • daniel

    Para os brasileiros, a pontuação desse Mundial não contará para a corrida olímpica.

  • Edu

    Volei de Praia talvez seja o chamado produto esportivo mais depreciado nos últimos anos.Apesar de ter peso olímpico suas competições mundo afora não abrigam mais que em algumas etapas farta presença de publico.E decepcionante ver certas fases do circuito mundial com arquibancadas vazias(atribuo ao salgado preço do ingresso em nações onde o esporte não e tão disseminado pela não atratividade da presença do esporte no seu litoral) com as jogadoras(es) atuando de vestimenta térmica para se aquecer em condições climáticas adversas.Mesmo no Brasil de extenso e aprazível litoral se promoveu etapas na costa de Brasilia,São Paulo(capital) e de Barueri(município).O que era uma experiencia inesquecível e atraente do inicio dos anos 90, com a presença de dezenas de milhares de pessoas nas competições na orla do Rio de Janeiro,em plena vigência do verão, se tornou uma competição afastada de seu local de origem, a praia, e sem a presença maciça de público.

  • Mário

    Acredito que Talita e Larissa já estejam na Olimpíada,a menos que aconteça alguma contusão, pois mesmo que nao se classificam na bola, Talita/Larissa serão as escolhidas, pois foiuma dupla criada para ser campeã dos jogos olímpicos, mas acredito qque será uma briga boa entre Juliana/Maria Elisa e Ágatha/Bárbara, pela outra vaga. Gosto muito da Juliana e gostaria que ela ganhasse a vaga no jogo, pois com o imbróglio que ela teve com a Federação de Vôlei, dificilmente a dupla dela será a escolhida.

  • Aline

    Na verdade esse CAMPEONATO MUNDIAL DE VÔLEI DE PRAIA é uma VERDADEIRA COPA DO MUNDO. O Campeonato Mundial é o maior evento do Vôlei de Praia Mundial, ocorre de 2 em 2 anos, é o que tem a maior premiação em dinheiro e o que oferece maior número de pontos ao Campeão. São 1000 pontos para o Campeão, enquanto nos Grand Slams e nos Majors são 800 pontos.
    Apesar de ser o MAIOR EVENTO DE VÔLEI DE PRAIA DO MUNDO, o CAMPEONATO MUNDIAL não contará pontos para a escolha das duplas brasileiras que disputarão as OLIMPÍADAS DE 2016 pelos seguintes motivos:
    1. No Campeonato Mundial NÃO HÁ FASE DE QUALIFYING, as duplas participantes foram escolhidas de acordo com o RANKING de 2014.
    2. Só podem participar no máximo 4 duplas por país. No masculino, as 4 são: Vitor Felipe/Alvaro Filho, Ricardo/Emanuel, Alison Cerutti/Bruno Schmidt e Evandro Gonçalves/Pedro Solberg. No feminino: Juliana/Maria Elisa, Fernanda Alves/Taiana, Agatha/Barbara Seixas e Talita/Larissa.
    3. Como não tem QUALIFYING no CAMPEONATO MUNDIAL, outras duplas brasileiras que disputam o CIRCUITO MUNDIAL e estão em busca da VAGA OLÍMPICA ficaram de fora. No masculino: Bruno/Hevaldo, Gustavo Carvalhaes/Allison Cittadin, Marcio Araujo/Saymon Barbosa, Andre Loyola/Vinicius Rezende. No feminino: Carol Horta/Lili Maestrini, Maria Clara/Carol Salgado, Duda Lisboa/Elize Maia.
    4. Logo, como outras duplas que estão disputando a VAGA OLÍMPICA, não puderam disputar o CAMPEONATO MUNDIAL pela limitação de apenas 4 duplas por país, a CBV decidiu que somente os torneios de GRAND SLAM e MAJORS que tem a fase de QUALIFYING irão contar para a corrida olímpica.
    5. No último CAMPEONATO MUNDIAL, em 2013, ÁLVARO FILHO/RICARDO foram PRATA e LILI MAESTRINI/BARBARA SEIXAS foram BRONZE. Agora em 2015, ÁLVARO FILHO joga com VITOR FELIPE, RICARDO joga com EMANUEL, BÁRBARA SEIXAS joga com AGATHA.
    6. LILI MAESTRINI que havia sido BRONZE, agora joga com CAROL HORTA e ficou fora devido ao número de vagas, mas está garantida para o PAN 2015.
    Vale a pena ficar de olho em SARAH PAVAN, BIcampeã da Superliga em 2013 e 2014 pelo Rexona. A gigante canadense de 1,96m é a MAIOR REVELAÇÃO DO CIRCUITO MUNDIAL/2015, conquistando 2 PRATAS até agora na temporada.
    Atenção também nos gigante holandeses Alexander Brouwer/Robert Meeuwsen, Reinder Nummerdor/Christiaan Varenhorst, Steven van de Velde/Michiel van Dorsten e nas meninas Madelein Meppelink/Marleen Van Iersel que estão fazendo uma excelente temporada.
    Pela primeira vez na história é organizado com várias sedes, no estilo COPA DO MUNDO, cada chave distribuída em cidades diferentes.Os holandeses são um dos povos mais altos do mundo.Combine isso com o fato de 450km de costa e você terá um ajuste perfeito com vôlei de praia.Os holandeses também são um povo amante de esportes na praia,uma vez que boa parte do território do país foi conquistado do mar.Em 2013,no Mundial da Polônia,Alexander Brouwer e Meeuwsen Robert fizeram história no vôlei de praia quando eles se tornaram os primeiros campeões mundiais de vôlei de praia da Holanda. A jovem equipe holandesa surpreendeu na final os brasileiros Ricardo e Álvaro Filho que eram considerados os favoritos. O Vôlei de praia na Holanda tem se tornado cada vez mais profissional, programas de formação de jovens foram criados para jogadores de voleibol de praia e os atletas de elite treinam juntos em um programa centralizado. Isto levou a resultados impressionantes, vitórias no Circuito Mundial e sucessos nos Campeonatos Europeu e Mundial. Esses sucessos ajudaram a crescer a popularidade do vôlei de praia na Holanda, ultrapassando o vôlei de salão. Espera-se que o Campeonato Mundial leve essa popularidade para outro nível, com um número recorde de pessoas envolvidas no esporte na Holanda.

  • Edu

    Essa é para os assunto gerais , caro Daniel.A divulgação dos grupos do Pan e parte do grupo do Grand Prix da seleção feminina (9 jogadoras).Tentaram dividir de forma equânime os dois grupos com uma leve tendencia a um grupo considerado mais forte para o Pan que terá a condução direta e pessoal do ZRG na competição em Toronto.Algumas considerações a respeito do grupo anunciado para o Pan : Mari PB ,Joycinha e Barbara ganharam espaço nas suas determinadas posições de origem.Mari, provavelmente sera a reserva de Jaqueline( convocada para o Pan).Joycinha(provável titular como oposta ) e Barbara entrando firme na busca da titularidade como central em provável revezamento de rotação com Adenizia.O peso maior, a chamada prova de fogo, incidirá com as levantadoras Macris e Ana Tiemi que conduzirão a campanha.Pelo rumores, Macris vem na preferencia da posição mesmo novata e tlavez inspiradora de um jogo mais veloz.Talvez a surpresa da lista na categoria “se esperava mais” seja a promissora Mara (não anunciada ainda) na lista inicial do Grand Prix. Como a indefinição da situação da Ellen( que cedeu espaço da posição para Suelle no grupo) e a confirmação que a convocação da Jéssica era mais uma aventura pelo repertório técnico pessoal.

  • Iuri

    Daniel, nao conta pontos pra corrida olimpica. Abs

MaisRecentes

A velocidade do Sesc, com Thiaguinho, impressiona



Continue Lendo

O novo conceito da FIVB para 2018



Continue Lendo

Apenas Lebes/Canoas faz o dever de casa na rodada



Continue Lendo