Coluna: Seleção busca, no Japão, ano perfeito



A Seleção Brasileira feminina tem a chance, nesta semana, de encerrar o primeiro ano do ciclo olímpico para Tóquio-2020 com 100% de aproveitamento.

No Japão, o time comandado por José Roberto Guimarães buscará na Copa dos Campeões o quarto título da temporada, após vencer Grand Prix, Sul-Americano e Torneio de Montreux.

A equipe passou por uma profunda reformulação após a traumática eliminação nas quartas de final da Rio-2016. Aposentadorias, pedidos de dispensa por motivos pessoais e lesões forçaram um desmonte de grande parte da base que vinha do bicampeonato olímpico em Londres. Some-se a isso o fato de as novas gerações não apresentarem uma fartura de opções. E os resultados não deixam de ser um alento ao cenário um tanto quanto desolador.

Não é pouco! Mas também não é o mais importante. Com exceção do Sul-Americano, com nível técnico mais baixo, as demais conquistas foram bem sofridas. Algumas atuações (coletivas e individuais) bem abaixo do aceitável, possibilidade de eliminação precoce e sensação de que Zé Roberto terá muito trabalho até 2020. Um dos pontos positivos foi começar a criar “casca” em algumas jogadoras com menor rodagem internacional para desafios maiores, como o Campeonato Mundial do ano que vem.

Na Copa dos Campeões, a novidade no elenco brasileiro é a presença de Gabi. Ela foi poupada das demais competições para evitar que um problema no joelho culminasse em cirurgia e assim em um afastamento mais longo. Nome importante em uma posição que oscilou demais em 2017. Com a presença de Gabi, Natália e Rosamaria ganham uma verdadeira sombra. E, em tese, tendem a crescer.
Nas demais posições, Tandara se consolidou na saída de rede, Roberta vai ganhando confiança para assumir definitivamente o lugar da futura mamãe Dani Lins, disputa aberta pelas posições no meio de rede, ainda mais com a ausência de Adenízia, além da busca pela líbero ideal (Camila Brait está grávida; Léia pediu dispensa; Suelen e a outra Gabi ainda tentam se firmar).

Pela ordem, a Seleção enfrentará na Copa dos Campeões Rússia, China, Japão, Coreia do Sul e Estados Unidos. Testes válidos contra três escolas completamente diferentes. Vale ficar de olho no site da FIVB, já que nenhuma TV brasileira deverá mostrar a competição.



  • AfonsoRJ

    Nosso volei multicampeão as TVs não mostram, mas futebol…
    Eu estava zapeando e peguei Chipre x Estônia (direto de Tallin). Parei por alguns minutos só por curiosidade e… meu Deus!!!! aquilo pode ser tudo, menos futebol!!! Eles transmitiram tudo. Jogos (ou seriam reles peladas) de Andorra, Ilhas Feroe, Georgia, Islândia, Belarus, Moldova, Gibraltar e outras barangas mais. E ainda passam e repassam VTs dessa porcariada toda. Enquanto isso o nosso vôlei, num torneio internacional importante… nada? .

MaisRecentes

Dentil/Praia Clube e Sesc abrem vantagem



Continue Lendo

Corinthians faz melhor jogo na Superliga



Continue Lendo

Coluna: A imprevisível Superliga feminina



Continue Lendo