Coluna: Prévias olímpicas – o vôlei de praia



Pessoal, no ar a Coluna Saque deste domingo, 24/7. Uma prévia do vôlei de praia para a Rio-2016. Nas próximas semanas farei sobre o vôlei de quadra masculino e feminino.

O vôlei de praia brasileiro carrega um peso extra nas costas para a Rio-2016: ser apontado por vários especialistas olímpicos como favorito ao ouro nos torneios masculino e feminino.

A revista americana Sports Illustrated publicou sua famosa prévia do quadro de medalhas na sexta-feira. E referendou Juliana/Larissa e Alison/Bruno Schmidt como campeões olímpicos.

Talita e Larissa ganharam título recente em Gstaad (FIVB Divulgação)

Talita e Larissa ganharam título recente em Gstaad (FIVB Divulgação)

Mais do que isso. Para a publicação, Pedro Solberg e Evandro ficarão com a medalha de prata, enquanto Ágatha e Bárbara Seixas subirão ao pódio em terceiro lugar. Um resultado quase perfeito. Claro que é possível, mas julgo ser bem difícil de acontecer.
O equilíbrio, principalmente no masculino, é muito grande. Então as chances das duas duplas brasileiras são muito parecidas com as de Dalhausser/Lucena (EUA), de Brouwer/Meeuwsen e Nummerdor/Varenhorst (HOL), por exemplo. Losiak/Kantor e Fijalek/Prudel (POL) e Gibb/Patterson (EUA) também não podem ser desprezados, com duplas italianas e alemãs também já tendo vencido a maioria dos citados acima.

Pedro e Evandro foram campeões na Suíça (FIVB Divulgação)

Pedro e Evandro foram campeões na Suíça (FIVB Divulgação)

Além disso, caso as duas duplas brasileiras avancem na fase de grupos em primeiro lugar, serão colocadas do mesmo lado da chave, fazendo uma hipotética semifinal. Por tudo isso creio que cravar ouro e prata no masculino é uma aposta arriscadíssima.
No feminino, concordo em colocar Talita/Larissa no lugar mais alto do pódio. Publiquei na sexta-feira uma entrevista com a dupla, após acompanhar in loco a conquista delas em Gstaad (SUI). E fiquei impressionado positivamente com a boa fase e a confiança delas. O Circuito Mundial também vê as brasileiras um patamar acima das demais. Já Ágatha e Bárbara vivem um momento de baixa e terão de superar a fase ruim em busca de um lugar entre as melhores.



MaisRecentes

Itália, Sérvia, Holanda e China nas semifinais do Mundial



Continue Lendo

Sérvia e China mais perto das semifinais do Mundial



Continue Lendo

A Itália chegou mesmo para ficar



Continue Lendo