Coluna: O racismo está aí. E segue sem punição severa



Coluna Saque publicada neste domingo, 1 de fevereiro de 2015. Mas pode virar texto default e sair anualmente, mudando apenas os personagens:

O assunto desta coluna é, mais uma vez, o racismo. Essa praga que cada vez mais aparece em arenas esportivas mundo afora. Essa praga que não aceita diferenças entre as pessoas. Essa praga que acha que B é melhor do que C pela cor da pele, opção religiosa ou orientação sexual. Essa praga que parece ter gostado de frequentar a Superliga.

Esse parágrafo tão atual no cenário do vôlei brasileiro foi escrito no dia 10 de março de 2012, publicado neste mesmo L!. Saiu diretamente do meu arquivo para comprovar uma preocupação que eu tinha. O caso Fabiana, dias atrás, em Belo Horizonte, durante derrota do Sesi para o Camponesa/Minas, infelizmente  confirma, em 2015,  minhas suspeitas, como poderão ler no parágrafo abaixo:

“Se não houver qualquer punição, o sentimento de impunidade, algo já característico e reprovável da sociedade brasileira, fará com que novos casos aconteçam. Tenho certeza. E ajudar a combater essa praga cabe aos clubes, às autoridades policiais e também à CBV. A entidade pode e deve punir os clubes, caso eles não colaborem na tentativa de identificação dos criminosos. Não importa se foi um grupo de torcedores ou apenas um infeliz. Que
se crie uma escala de punições. Multa, perda de mando de jogo, perda de pontos e até suspensão do campeonato”.

Casos Michael, Ramirez, Wallace e Fabiana. Todos durante a Superliga nas últimas temporadas. E quantos foram punidos? Que medidas para reprimir tais atos foram tomadas a partir do 1, do 2 ou do 3 casos? Haverá alguma medida após o quarto péssimo exemplo? Ou vamos aceitar a tese de que o problema é cultural e o esporte não pode fazer nada para ajudar?

A resposta oficial:

– A CBV repudia o ato de racismo, presta total solidariedade a Fabiana e declara que espera não presenciar mais esse tipo de situação.

Isso é muito pouco, CBV!



  • Bate com meu raciocínio, Daniel.
    Por ter a mesma opinião sua, fui achincalhado no Facebook anteontem. “Ah, foi só um cara”, “ah, o clube não tem nada a ver com isso…” Não importa!
    É reincidente e tem que pagar! Se for com a exclusão da Superliga, ótimo, independente de estar no BO, na sumula ou não!
    Parece que a exclusão do Grêmio na última Copa do Brasil devido ao caso Aranha não serviu de exemplo.

    • Só completando: dona Fabiana também tem que fazer sua parte.
      Não adianta nada ficar reclamando nas redes sociais e não registrar BO contra o(s) meliante(s).
      Peça uns dias de dispensa dos jogos do Sesi-SP e corra atrás!
      Aproveita esse tempo que a Superliga vai ficar parada devido ao Sul-Americano e registra a queixa!
      Só assim a CBV e o STJD vão estudar uma punição contra o Minas.
      Do contrário, se o clube de BH vencer esta Superliga, será a mais suja da história do vôlei, que já tem sua reputação em xeque devido aos recentes escândalos de corrupção.

      • Fernando

        O caso do Grêmio não tem nada a ver com o do Minas, no Futebol a logística e política da torcida é bem diferente, enquanto no Futebol existem as torcidas organizadas e relação desta diretamente com o clube, no Voleibol são distribuídos ingressos grátis e entradas a base de doação de alimentos, ou seja, toda a comunidade participa.

        No caso do Minas, foi um torcedor isolado que praticou o Racismo, toda a torcida o repudiou e gritou no ginásio e, alguns torcedores até registraram BO. O Clube também retirou o mesmo e encaminhou até a delegacia.

        Ambos (o Clube, a Fabiana, a família dela, só querem que a justiça seja feita e isso não ocorra novamente), ninguém quer prejudicar ninguém e vamos ver no que isso vai dar.

        Ficar jogando a culpa no Clube em um caso isolado não vai dar em nada.

      • Zelirbem

        Mas o Clube fez a parte dele, até levou o agressor à delegacia, neste caso não é justo ser punido e muito menos taxado de vilão, caso vença esta competição, seria a mais heroica da história do vôlei, pelo investimento e pelo crescimento de várias peças da equipe.

      • Fabiana fez sua parte segundo o dono do Blog, me faça o favor.

        Instagram não é lugar de fazer B.O

      • CARLOS

        Farley, como você quer punição ao Minas clube Tenis, que teve a atitude de identificar o criminoso e chamar os policias pra ele??

        • CARLOS

          Fabiana alegou que seu principal objetivo era fazer com que o caso servisse de exemplo para a sociedade e reforçasse a luta contra qualquer tipo de preconceito.

          – Foi um grande exemplo para as pessoas terem consciência. A atitude dos torcedores mineiros e da galera do Minas de já o tirar (o acusado de disparar injúrias raciais) foi exemplar. Tenho certeza que se isso acontecer de novo, as pessoas vão ter outra reação agora. Eu quero que sirva de exemplo. É para colocar um fim no racismo e em qualquer tipo de preconceito – acrescentou.

          Leia mais no LANCENET! http://www.lancenet.com.br/minuto/desgaste-familiar-Fabiana-descarta-racismo_0_1295270516.html#ixzz3Qc4ntCp2
          © 1997-2015 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

  • Luiz

    O você espera que seja feito se a principal envolvida não está nem aí para que o responsável seja punido?

    • Por isso mesmo deixo de acompanhar vôlei a partir de hoje.
      Esporte no Brasil é movido por dinheiro.
      A quem interessa essa atitude da Fabiana de esbravejar contra o racismo nas redes sociais e não registrar queixa na DP?
      AÍ TEM!!!
      Ou o Minas “ofereceu uma grana” pra ela abafar o caso ou ela foi coagida!

    • Enquanto isso, matérias de vôlei que é bom nada.

  • giorgio

    Daniel boa noite!

    O sulamericano vai ser transmitido?

    Obrigado, abraços

  • Luiz

    O Grêmio não foi excluído da Copa do Brasil, a punição foi a perda de 3 pontos.

  • Sheep

    Nota ZERO pra cidadã Fabiana. Foi ofendida, usou as redes sociais e a mídia para reclamar, teve a solidariedade dos colegas e fãs, do time do SESI e se recusou a fazer B.O.
    Depois não sabe porque existe impunidade. Simples: porque não existe denúncia.
    Hipocrisia total.

  • Julio Cesar

    Não tem que dar IBOPE ! Nem noticia ! Ficar de chororô em redes sociais não adianta. Penso que a indiferença é o melhor “remedio”. Fabiana é craque do volei, de seleção brasileira ! Tem que dar atenção ao “Ze ruela” não!
    Essa de punir o clube é uma medida perigosa. Pode virar moda (e piada) o adversario vestir a outra camisa e sai gritando bobagens no meio da torcida, atirar pedras e o clube que se dane ?

  • Robert

    Daniel bom dia, quando puder fale um pouco sobre o Bruninho que parece que esta muito bem nesta temporada com o time dele no italiano. E o cubano León voltou a jogar quando? Me surpreendi quando percebi que ele estava jogando no time russo do Kazan pela liga dos campeões de vôlei. Abraços!

  • SPORTS IN THE WORLD

    Daniel, todos nós amantes do vôlei obviamente estamos ao lado da Fabiana em mais um episódio terrível de racismo no esporte brasileiro. O que este sujeito fez é crime e ele deveria ser preso sim, e ponto! Agora a Fabiana não deu entrada em um B.O. contra ele por quê? Se fazendo o Boletim de Ocorrência já e difícil se punir culpados (os advogados no Brasil sempre dão um jeitinho, um habeas corpus, um desmentido etc.) imagina sem ele, fica impossível. Neste mesmo jornal Lance de domingo último, ela diz em uma reportagem que vai fazer um protesto no próximo jogo do SESI. Adoro a Fabiana, como pessoa, como jogadora mas ficar fazendo protesto não vai adiantar NADA. Só para lembrar um péssimo exemplo de protestos: lá no RJ tem uma ONG (riquíssima recebe grana de todo o lado, da UNESCO, do Criança Esperança, dos governos estadual e municipal etc.), se não me engano chamada VIVA RIO, comandada por um senhor chamado Rubem Cesar, que volta e meia vive fazendo protestos contra a violência, colocando cruzes nas praias de Copacabana e Ipanema, ele adora uma câmera de TV e vive fazendo discurso de desarmamento etc. pergunto? A violência no Rio pelo menos diminuiu não muito pelo contrário só tem aumentado e estes protestos do tal Rubem Cesar, com cruzes, nomes das vítimas em camisetas, desculpem-me mas NÃO SERVEM PARA NADA. Tem de haver atitude e isto infelizmente mais uma vez não aconteceu neste seu caso minha querida Fabiana. E a CBV que fez? Ah! emitiu uma Nota de repúdio, que lindo! Mas qual foi atitude da CBV, contra este nefasto sujeito racista e contra o clube para o qual ele torce? NENHUMA! Nem uma advertência. E VIVA A IMPUNIDADE!

    • Zelirbem

      Acho que até seria válido punir o Clube com a perda do mando de quadra, mas só SE o Clube for conivente com o ocorrido, coisa do tipo : Não se comporta, não participa(torcedor) pra não estragar a festa de quem sabe se comportar.

      Mas lembrando que é só SE o clube aceitar esse tipo de coisa.
      Há, e só SE o agressor racista tbm for punido, punir só o clube não vai adiantar .
      Fabi, abra um processo contra o indivíduo racista.

      • Zelirbem

        Em nome da Consciência Negra, não contribua para que haja a impunidade por este crime.

        Não é só questão de se “desgastar”, é questão de honrar a raça…

        … Humana.

    • Fernando

      A Fabiana, não quis abrir processo e B.O devido à situação, a mesma já explicou que o incidente serve para conscientizar toda a população sobre o Racismo etc. A própria família da Fabiana, se compadeceu do indivíduo pelo mesmo ser de classe baixa e estar desempregado. Tá certo que o mais correto seria denunciar e fazer o B.O, mas os critérios da Fabiana foram bem plausíveis. A CBV deveria responsabilizar o CLUBE de correr com o processo judicial e medidas cabíveis.
      Imagina se em todos os jogos ela sofrer preconceito, ela tiver que ficar indo na delegacia e abrir processo, e depois ficar comparecendo nas audiências, isso é responsabilidade dos clubes e prezar pelo respeito em suas dependências.

  • Fernando

    A Fabiana, não quis abrir processo e B.O devido à situação, a mesma já explicou que o incidente serve para conscientizar toda a população sobre o Racismo etc. A própria família da Fabiana, se compadeceu do indivíduo pelo mesmo ser de classe baixa e estar desempregado. Tá certo que o mais correto seria denunciar e fazer o B.O, mas os critérios da Fabiana foram bem plausíveis. A CBV deveria responsabilizar o CLUBE de correr com o processo judicial e medidas cabíveis.
    Imagina se em todos os jogos ela sofrer preconceito, ela tiver que ficar indo na delegacia e abrir processo, e depois ficar comparecendo nas audiências, isso é responsabilidade dos clubes e prezar pelo respeito em suas dependências.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo