Coluna: O melhor time de todos os tempos da última semana



Coluna Saque publicada neste domingo, 2 de agosto, no L!

A playlist do dia me ajudou a definir o tema desta coluna. No caminho para o LANCE! entrou uma sequência de rock nacional. Anos 80, um bom momento da música nacional… E ao ouvir a “Melhor banda de todos os tempos da última semana”, hit já deste século, comecei a pensar no “melhor time de todos os tempos da última semana”: a seleção feminina dos Estados Unidos.

No fim de semana passado, as americanas conquistaram em Omaha (EUA), o título do Grand Prix, com autoridade, desbancando Rússia, Brasil, Itália, China e Japão. A algumas centenas de quilômetros dali, em Toronto (CAN), outro título: o do Pan-Americano, passando pelas brasileiras na decisão. Junte ao desempenho perfeito do fim de semana o título conquistado pelos Estados Unidos no Mundial do ano passado. Pronto: já temos a melhor banda todos os tempos da última semana.

Ironia musical à parte, o mundo precisa olhar com muito respeito ao momento do vôlei americano. O técnico Karch Kiraly acaba de convocar 20 jogadoras para a Copa do Mundo, competição que vale três vagas na Rio-2016, mesclando os times que venceram GP e Pan. E assusta o leque de opções que ele tem à disposição. Jogadoras experientes e bem conhecidas, como Akinradewo, Larson e Harmotto, com jovens que acabam de despontar em grande estilo, caso de Lowe e Kreklow. E falta espaço para Kristin Hildebrand e Destinee Hooker.

Não seria nenhum exagero colocar as americanas como favoritas ao ouro na Olimpíada. E talvez seja a melhor notícia que a Seleção Brasileira poderia receber atualmente.  Buscar o tri olímpico consecutivo, em casa, já será um peso gigantesco nos ombros da equipe de José Roberto Guimarães. E ele seria bem maior com o rótulo de favorito.  Que este peso a menos ajude o Brasil a superar o melhor time de todos os tempos da última semana.



  • Cesar Castro

    Olha, sinceramente não fico com esse desespero todo com o momento dos EUA não.
    A seleção norte-americana perdeu duas vezes na fase de grupos pra China completa, a fase final do Grand Prix estava com China, Brasil e Rússia sem força máxima. O time delas é bom e tem realmente boas jogadoras, mas na olimpíada são 12 contra 12 e o Brasil com força máxima é superior.

  • rafael schmidt

    Os EUA têm o melhor elenco, mas dentro de quadra só jogam seis. O Brasil tem boas opções de banco tbm, por isso tá mto equilibrado tudo. Rússia e China tbm são excelentes times. O bom momento de uma jogadora pode fazer diferença. Ex: Jaque, gamova, larson…é aguardar pra ver!

  • Djenane

    Acho que em 2008 a SF era superior em todos os sentidos: só precisava vencer a barreira psicológica e assim o fez. Em 2012, o time americano era superior, mas a SF venceu tirando força não sei de onde. Foi um título épico, de fato. Mas no último mundial, as americanas não só continuaram superiores, como confirmaram o favoritismo enfiando um 3×0 na goela da SF. O que penso é que as americanas continuam tendo, neste momento, um time melhor, renovado e forte, ao passo que a SF é um time formado por grandes atletas, porém envelhecido. Ao meu ver o Zé Roberto não fez um bom trabalho de renovação e vamos pagar muito caro por isso em 2016.

  • Douglas

    Não vejo o Brasil nem superior nem inferior ao EUA ,o Brasil com força máxima é do mesmo nível assim como China.mais uma opinião sobre a preparação do Brasil é bem desnecessária essa ida do Brasil para o sul-americano que entrosamento essa equipe vai ganha jogando contra Peru, Argentina e etc.só vai desgata mais a Jaqueline e Garay que por sinal a última já estava bem desgastada antes do Pan imagina agora que ela teve que jogar por ela e mais 4 no Pan,ainda tem o camp. Russo ,a Gabi poderia ser aproveitada no mundial sub 23 com ela o time taria em patamar ainda mais elevado, imagina Naiane, Paula,Valquíria, Saraelen(ou Milka),Gabi e Rosa ainda com Juma ,Lorenne ,Gabi(molico) e Drucylla no banco seria um dos favoritos a pelo mesmo chegar na final, já que a maioria da base da China (favorita absoluta) ta na principal.

  • Juliano Castro

    Sinceramente, ñ acho esta coca toda este time norte-americano. P mim, o time de Londres delas era mt melhor. As ponteiras eram excelentes e tinha Hooker no auge. O Brasil venceu pq chegou inteiro e se usufruiu da falha do time, q era a líbero na recepção. Resolveram agora este problema, mas o restante do conjunto ñ é superior, tanto q é meio ridículo uma ponta de 1,93 só conseguir virar com bolas rápidas. O time delas de Londres tinha capacidade de virar bolas lentas e velozes. Esse de hj precisa mais de velocidade. As opostas são boas, mas ñ possuem aqle nível da Hooker. Se o Brasil chegar inteiro (Sheilla com potência, Thaisa recuperada, Garay com bom passe etc), ñ tem p ninguém. A idade e o vigor físico pdm ser os únicos obstáculos, pq nosso time é bem superior qdo está bem fisicamente.

    • Paulo Tonhasolo

      Me permita discordar de você, a líbero atual não é ótima mas não entrega o jogo como a davis o fez em Londres, a Glass é mais alta, bloqueia melhor e é na minha opinião mais rápida e mais sagaz do que a Berg, a tom é ótima no fundo, mas na hora do vamos ver ela sempre ficava no bloqueio ou jogava pra fora, a ponta alta que você diz (Hill) não vira só bolas rápidas não, reveja o jogo dela contra o Brasil no mundial, os jogos dela no Novara e neste GP, Larson está mais experiente do que em 2012 com os dois títulos da champions e mundiais,a única baixa na minha opinião deste time americano em relação à Londres é a Hooker, mas esta menina tem muito potencial (Lowe) e a mesma altura da Hooker, sem falar que é canhota, se ela for bem orientada pode ser um problema ainda maior para nós, acho que não podemos jamais menosprezar esse time americano….. Grande abraço

    • Marcelo Braga

      Faz-me rir!!!! “o nosso time é bem superior quando está bem fisicamente”. Já passou da hora de acordar, né não??

      Você se esqueceu do coro muito bem dado que os EUA deram na seleção brasileira completinha na semifinal do mundial??? E sem contar que, hoje, o time americano tem ainda mais opções e opções até melhores do que algumas que eles já contavam.

      O Brasil continua sendo um dos favoritos, sim! Mas o que há de mais moderno no momento em termos de voleibol é sim apresentado pelos EUA. E diria ainda que no masculino, os EUA e França enchem os olhos e dividem os holofotes!

      Voleibol arte, veloz e estratégico. Do jeito que a atenção ao voleibol vem crescendo na terra do tio Sam, já estão a meio caminho para a dobradinha americana no voleibol indoor em 2016. O trabalho que vem sendo realizado por lá, tanto por Kiraly quanto por Speraw deve servir de referência para o mundo!!

  • Billy

    Eua vão amarelar novamente na decisão para Brasil ou China(completos,é lógico).Aguardem e verão…

  • will

    Eu concordo mas acho que uma Olímpiada é diferente o nível e tambem o psicológico conta muito nisso pesa a favor do Brasil acho que esse amadurecimento de campeões olímpicas podem fazer a diferença na fase do mata mata ou final contra esse time americano que é muito bom mas com a pressão de favoritos no peito é outros quinhentos já vi esse filme em londres que ao meu ver é tambem e superior a este que está pra vim aqui no rio ano que vem, com Hooker e Logan Tom era mais mortais acho elas acima de Murphy,Hill e a outra canhota novata se o Brasil jogar pressionando elas vão começar a sentir o peso do favoritismo antes não assumido no Mundial 2014!

  • SPORTS IN THE WORLD

    O time dos USA deve ter sede de revanche com a nossa seleção. Pois foram duas vezes vice-campeãs olímpicas, em Pequim e em Londres, perdendo em ambas para o Brasil, sendo que em Londres deve ter sido de doer. Porque as americanas poderiam sem problema algum terem mandado a seleção brasileira para casa antes das oitavas de final, bastava que perdessem para a Turquia e o Brasil estaria fora das Olimpíadas de Londres. Fato que não seria nada anormal tendo em vista que outras seleções fizeram isto em várias ocasiões, como por exemplo: a China feminina em 2002, prejudicou o Brasil no mundial da Alemanha e o Brasil masculino em duas oportunidades: 1. Em Atenas 2004 perdendo propositalmente para os USA e prejudicando a Servia – 2. Em 2010 no mundial da Itália no famoso jogo da VERGONHA entre Brasil e Bulgária, com ambos jogando para perder. No final a Bulgária venceu um jogo onde o levantador do Brasil foi o Theo e o Giba sacou por baixo da rede 5 vezes. Fizeram isto para não enfrentarem a Rússia e Cuba nas oitavas de final. Portanto não seria nada demais os USA perderam propositalmente para a Turquia. Depois aconteceu tudo aquilo que nós sabemos. Eu gostaria de ver o Brasil vencer os USA pela 3ª vez, no Maracanãzinho. Seria maravilhoso.

MaisRecentes

Dentil/Praia Clube e Sesc abrem vantagem



Continue Lendo

Corinthians faz melhor jogo na Superliga



Continue Lendo

Coluna: A imprevisível Superliga feminina



Continue Lendo