Coluna: Estamos todos de luto



Uma sensação de perda repentina.

Não pode ser.

Por que?

Um vazio difícil de preencher.

Lágrimas escorrem sem parar.

Aquele nó na garganta.

Por que?

Dor.

Luto.

Homenagens de quem pôde conhecer de perto e conviver.

Choro.

Solidariedade de quem apenas conhecia pelos jornais, TV´s, sites, redes sociais.

Ficam as lembranças.

Ressaltam-se as lutas.

Ficam os valores.

Criam-se novos paradigmas.

Ficam os ensinamentos.

Valorizam-se as conquistas.

Eternamente!

Foram embora sem se despedir.

Bate aquela saudade.

Coração apertado.

Presente!

Fica uma certeza.

Nada foi em vão.

Obrigado, Bebeto!

Obrigado, Marielle!

 



MaisRecentes

Copa altera o status da Seleção Brasileira masculina



Continue Lendo

Coluna: Vale prestar atenção na vizinhança



Continue Lendo

Coluna: Já esperava ver a Seleção em outro patamar



Continue Lendo