Coluna: É preciso saber perder



Pessoal, bom dia. Coluna Saque publicada no LANCE!, excepcionalmente hoje, está no ar.

De vez em quando é bom ver o brasileiro perder. Prova que somos um país sem memória, que se apega sempre ao presente, sem perdoar um deslize, uma derrota, um vice-campeonato. Imagine na Olimpíada de 2016…

Retirei esse texto de uma coluna já publicada aqui neste mesmo espaço, após o Brasil não faturar o último Mundial de Clubes. E antes que alguém comece a me xingar, vá até o fim do texto e reflita.

Ser o segundo melhor do mundo, para alguns, é ser o primeiro dos últimos. E nós, brasileiros, do alto de nossa “cultura esportiva”, de investimento contínuo nas últimas décadas, de briga pela liderança em quadro de medalhas das Olimpíadas, não sabemos perder. E assim crucificamos times inteiros, rotulamos gerações, chamamos Diegos, Daianes e Cielos da vida de amarelões quando o resultado não é o alto do pódio. Nem sequer um time acostumado a ganhar quase tudo é poupado. E esta última categoria se enquadra perfeitamente na derrota de ontem do Brasil para a Polônia, impedindo o quarto título consecutivo no Mundial masculino.

O time atual do Brasil tem batido na trave seguidamente nas últimas grandes competições. Foi assim em Londres-2012, em edições recentes da Liga e agora no Mundial. Ainda assim, tem se mantido entre os melhores. Mas deixou de ter a dinastia no esporte. Faz parte e é um fato.

Mas preferimos sempre achar um bode expiatório para o revés. E isso serve para torcedores, jornalistas e até os protagonistas do jogo. A entrevista pós-jogo de Bernardinho, neste domingo, culpou até um “repórter convidado pela FIVB, tratado como inimigo nacional e que ficava rindo perto do banco de reservas”. Ora bolas. A Polônia foi melhor, se recuperando de um primeiro set ruim para vencer um time que era TRICAMPEÃO DO MUNDO, em caixa alta mesmo para ter a dimensão do feito. Ponto final.

Os grandes vencedores também precisam saber perder.



MaisRecentes

Quem fica com as últimas vagas na Superliga masculina?



Continue Lendo

Giovane encaminha manutenção do vôlei carioca na Superliga



Continue Lendo

Basta! Nada justifica ameaças de morte



Continue Lendo