Coluna do João Paulo Bravo: vai começar o final four da Liga dos Campeões da Europa



Pessoal, bom dia. Durante as finais da Liga dos Campeões da Europa, este blog terá a honra de contar com uma coluna especial: o ponta João Paulo Bravo, do Arkas, da Turquia, um dos postulantes ao título, vai escrever e trazer detalhes, bastidores e fotos da competição, que acontecerá em Lodz, na Polônia.

Abaixo, o texto de estreia do jogador da Seleção Brasileira.

Olá, amigos do LANCE!

É com grande prazer que ocupo este espaço no blog de vôlei do Daniel
Bortoletto para comentar um pouco sobre a participação do Arkas Spor, clube
turco em que atuo há duas temporadas, no final four da Liga dos Campeões da
Europa, principal competição de clubes do continente.

Amanhã vamos disputar a semifinal contra o Belchatow, da Polônia, anfitrião
dessa etapa decisiva, que será realizada na cidade de Lodz. Em seguida,
jogam o atual campeão Trentino, da Itália, e o Zenit Kazan, da Rússia.

Nesta temporada, nosso maior desafio era justamente fazer uma boa
campanha na Liga dos Campeões, já que em 2011 chegamos à final da
Challenge Cup, outro importante torneio promovido pela Confederação
Europeia de Vôlei (CEV). Ficamos com o vice, sendo superados pelos italianos
do Macerata na decisão.

A TRAJETÓRIA

Começamos nossa fase de grupos jogando contra as equipes do CSKA Sofia
(Bulgária), Noliko Maaseik (Bélgica) e Iraklis (Grécia), conseguindo a
classificação na primeira posição do grupo.

Logos após, começaram os confrontos chamados de mata-mata. Enfrentamos
o Zaksa Kozle, que é vice-líder do atual Campeonato Polonês e conta com
jogadores de altíssimo nível, como o levantador da seleção Zagumny e os
franceses Samica e Rouzier.

Fizemos um jogo muito bom fora de casa, quando vencemos por 3 a 1, e na
volta conseguimos nos impor diante de nossa torcida, fazendo um 3 a 0.

Pela terceira fase, nosso adversário foi o Lokomotiv Novosibirsk, bicampeão
da Copa da Rússia e que conta com jogadores da seleção de seu país, como
o levantador Butko e o ponteiro Biryukov, além do central americano Millar e o
oposto cubano Sanchez.

O primeiro jogo foi lá na Sibéria. Fizemos um total de 18 horas de viagem,
além de um fuso horário de quatro horas, sem falar no intenso frio, mesmo
no ginásio. Perdemos o jogo por 3 a 0, mas com plenas condições de termos
vencido pelo menos um set. Jogamos uma partida apenas regular, o que não é
o bastante diante de um adversário tão forte.

VIRADA HISTÓRICA

O jogo de volta, na cidade de Izmir, foi um dos mais difíceis destes dois anos que estou aqui na Turquia. Precisávamos vencer o e depois ainda teríamos
que disputar o golden set.

E apÓs estarmos perdendo por 2 a 0, conseguimos uma virada simplesmente
espetacular! Foi realmente incrível! Vencemos a partida por 3 a 2, sendo que o
tie-break fechamos em 16 a 14. No golden set, cheios de moral, fizemos 15 a
11.

Foi uma explosão fantástica por parte de nossos torcedores e também de todo
o povo turco, que nos apoiava, já que somos a primeira equipe masculina em
toda a história do voleibol do país a chegar ao final four da Liga dos Campeões.

Uma festa sem igual e que irá permanecer na memória das pessoas que
viveram o dia a dia com a nossa equipe e puderam acompanhar de perto este
feito.

Somos conscientes que chegamos à Polônia como azarões. Jogamos nossa
semifinal contra os donos da casa, o Belchatow, equipe forte e favorita.
Mas, exatamente porque não temos muito a perder, vamos entrar em
quadra “soltos”. Se o Arkas estiver no seu dia, podemos mais uma vez fazer
história.

Era isso, amigos.

Um grande abraço e até o próximo post, em que vou falar um pouco mais
sobre nosso confronto deste sábado com os poloneses!

João Paulo Bravo
Ponteiro do Arkas Spor e da Seleção Brasileira



MaisRecentes

Vaivém: Sesc confirma “substitutas” de Fabi



Continue Lendo

Vaivém: Leal, Solé, Grebennikov e Bartsch de casa nova



Continue Lendo

Vaivém: Renan acerta volta para a Itália



Continue Lendo