Coluna de domingo: Vem aí outro fenômeno cubano?



Coluna Saque publicada neste domingo, 18 de maio, no LANCE!.

Preste atenção neste nome: Melissa Teresa Vargas Abreu. Ou simplesmente Melissa Vargas. É nela que o vôlei feminino de Cuba se apoia para tentar a viver novamente dias de glória.

Uma responsabilidade imensa para qualquer atleta ser apontado como referência de uma nova geração, ainda mais quando o país em questão tem no currículo três títulos olímpicos e três mundiais entre as mulheres. E multiplique esse peso mais algumas vezes, já que estamos falando de uma jogadora de 14 anos. Não escrevi errado: QUATORZE ANOS.

Melissa nasceu no 16 de outubro de 1999. Coincidentemente, um período que marcou o fim de uma geração brilhante, campeã olímpica em 1992, 1996 e 2000, mundial em 1994 e 1998. Essa menina cresceu vendo uma legião de atletas abandonando a ilha a cada competição mundo afora, enfraquecendo um time que já foi o mais temido do planeta. E foi moldada por uma fábrica de atletas que não para de ver fenômenos surgirem, mesmo com toda a limitação financeira que o mundo impôs ao sistema político de Fidel Castro.

Melissa já é a oposto titular da seleção caribenha e vem se destacando no torneio classificatório para o Mundial. Mesmo contra rivais sem tradição, ela vem sendo a maior pontuadora do time. Tem 1,84m (dizem que vai crescer mais um pouco) e sua história já é comparada com a de Wilfredo Leon, outro talento precoce que despontou pela seleção masculina de Cuba com os mesmos 14 anos, antes da Olimpíada de Pequim.

Os cubanos esperam, porém, que o fim da história não tenha o mesmo desfecho. Leon, que atualmente tem 20 anos, está suspenso pela federação local desde o ano passado, quando manifestou o interesse de jogar fora do país, algo proibido pelas leis locais. Ele, que foi o grande nome de Cuba na conquista da medalha de prata no Mundial de 2010, na Itália, espera acabar a punição em 2015 para poder se transferir, provavelmente para a Rússia, e voltar a jogar.



  • daniel

    Enquanto durar esse regime cubano, ditatorial, violento e que cultua a pobreza, ainda teremos que ver o desperdício de grandes talentos do esporte. Pior que aqui há muita gente que adora o luxo, mas reverencia o comunismo cubano. E nós brasileiros, por meio do nosso governo, ajudamos a sustentar tal ditadura. Espero que essa menina não tenha que passar pelo mesmo que outros atletas, que foram presos ou que tiveram que fugir e abandonar suas famílias. Seria essa menina uma nova Mireya Luis? Até hoje gosto de ver os vídeos da Mireya, para mim a maior jogadora de todos os tempos.

  • Carlos K

    Vai ser complicado para o governo cubano segurar essa garota, se há aos atrás Torres e Cia achavam OK todo o dinheiro que ganhavam com os títulos e premiações irem para outros bolsos, Calderón desertou, segundo ela mesma, por ter cansado de ver a liberdade e independência que as jogadoras dos outros países tinham enquanto ela não tinha dinheiro nem para pagar um copo de café. O tempo passa e cada vez mais a nova geração questiona o sistema político vigente. Uma pena que muitas após fugir da ilha se prendem a mão amiga que a ajudou, foi assim com Carrilo e Carcases com a SB Community e a tropa de cubanas que foram anunciadas essa semana no Rabita Baku.

  • ALINE

    Ítalo-cubano que impõe respeito é Taismary Agüero, a melhor levantodora que o voleibol cubano já produziu e vai substituir LO BIANCO no levantamento da ITALIA.
    Taismary Agüero Leiva Botteghi casada com o fisioterapeuta Alessio Botteghi com quem tem um filho, Pietro. Conhecida carinhosamente como “Tai”, possui um enorme fã-clube e é uma das mais queridas jogadoras da seleção italiana. Uma das mais famosas e melhores levantadoras do mundo devido à sua grande versatilidade e técnica apurada. Seu enorme talento, potência e precisão, tornaram-na, também, uma das melhores e mais premiadas sacadoras do mundo.
    Premiações individuais:
    MVP (4): Copa do Mundo/1999, Top Teams Cup/2006, Campeonato Europeu/2007, Coppa Italia/2009
    Melhor levantadora (2): WGP/1997, Copa dos Campeões/1997
    Melhor sacadora (3): Copa do Mundo/1999, Champions League/2004, Coppa CEV/2005
    Melhor atacante (2): WGP/2007, Coppa Italia/2009

  • ALINE

    Absurdo o que fizeram com o LEON… O CARA ESTÁ IMPEDIDO DE GANHAR SEU DINDIN POR ESSA DITADURA RIDÍCULA!!!

    • Afonso RJ

      Meu filho também. Teve propostas de ir para o exterior, mas não pode porque fez doutorado com bolsa financiada pelo governo brasileiro. Está impedido de ganhar seu dindin por esse governo ridículo.

      • Paulo Genoino

        Governo esse que financiou a bolsa do seu filhote… Arque com os custos que você terá total direito de decisão. VIVA CUBA!!! VIVA FIDEL!!!VIVA O PT!!!

      • SOU PROFESSOR

        O governo paga doutorado para o seu filho e ainda você quer que ele vai trabalhar fora? Brincadeira né meu camarada. Isso não tem nada a ver com comunismo. Sempre foi assim.

      • perikito

        Ué! Para um país crescer e se tornar de primeira linha, precisa de cientistas, mestres e doutores (e não de atletas), e é isso que o nosso vem buscando. Há quem nos faça desacreditar disso, como os Josés Direceus da vida, mas essa lei foi criada por pessoas de boa intenção.
        Quem participa de programas como o Ciência sem fronteiras, sabe que será assediado por empresas de outros países. Infelizmente você e seu filho não pensam no futuro do nosso país. Querem deitar na cama arrumada por gerações que foram a luta e fizeram dos países desenvolvidos estarem no patamar que estão. É bem cômodo isso.

  • Afonso RJ

    Longe de mim defender o atual regime cubano ou muito menos fazer apologia de qualquer tipo de ditadura, seja de esquerda, direita ou centro (se é que existe ditadura de centro). Acho que há muito tempo que a ilha deveria ter iniciado e terminado a tansição para um regime democrático. Entretanto também a coisa não é bem como muitos maniqueístas de plantão pintam. Gostaria só de lembrar que:

    1 – Se fosse no tempo de Fulgêncio Batista com todas a corrupção e alianças com a política e o crime organizado americano, essa menina em vez de estar sendo revelada para o mundo do vôlei como um diamante bruto, muito provavelmente estaria sendo explorada num prostíbulo…

    2 – Na maior parte do mundo, a formação dos atletas vem principalmente da iniciativa privada. Em Cuba, o investimento no esporte é estatal. Em quase todo o mundo há dispositivos legais para proteger o investimento nacional. Aqui no Brasil, por exemplo, quem estuda com bolsa financiada pelo estado fica proibido trabalhar fora do país por pelo menos 1 ano (a menos que restitua o valor integral da bolsa). Guardadas as devidas proporções, qualquer semelhança NÃO é mera coincidência.

    3 – Prega-se o livre comércio, com o império das leis do mercado. Abra uma firma nos EUA, e tente negociar com Cuba. Tente importar, digamos, charutos. Vamos ver se o Titio Sam aplica o tão propalado livre comércio ou leis de mercado. Aliás nessas matérias a hipocrisia impera. Fala-se tanto em liberdade e direitos humanos quando se trata de desafetos, mas cadê a inflamada campanha internacional para que as mulheres Sauditas tenham ao menos a liberdade de dirigir? Cadê as restrições econômicas contra a ditadura que lá impera, atualmente talvez ainda mais truculenta que a cubana?

    Repito: não defendo o atual regime cubano. Quis apenas levantar um ou dois pontos de reflexão para tirar um pouco do maniqueísmo inflamado que geralmente envolve esse assunto. Há muita propaganda e hipocrisia dos dois lados. Assim como é indesculpável a tentativa de perpetuação de um regime de excessão, também podemos considerar o bloqueio econômico brutal imposto à ilha como lesivo aos direitos humanos, além de politicamente contraproducente em relação a uma hipotética e eventual política de liberalização.

    • daniel

      Nada é coincidência. O governo da presidente Dilma patrocina os devaneios cubanos com o nosso dinheiro. Cuba é o exemplo a ser seguido pelo partido que governa nosso país.

    • Marina Serra

      Oxe! Mudou de ideia? rs Falou mal do governo num comentário porque o seu filho não pode trabalhar fora devido a uma regra do Brasil Sem Fronteiras. Regra essa que é justíssima: Só um ano de espera para, se quiser, trabalhar fora. Tem que mostrar serviço antes no país que bancou os seus CARÍSSIMOS estudos no estrangeiro. Aí, depois, muda o tom no outro… Cara de pau!

  • Rodrigo Coimbra

    Uma coisa é certa: se não fosse esta tal ditadura as seleções cubanas seriam talvez a número um. Bom para o Brasil, USA e Rússia, ruim para o esporte! Enquanto as brasileiras reclamam de ranking as cubanas sofrem DE VERDADE…

  • Geraldo Neves

    Cuba pode ter os seus problemas, mas ninguém passa fome, tem um ótimo sistema de saúde e uma ótima educação. Percebe-se pelos comentários que a maioria só repete o que veem no Jornal Nacional. A alienação de alguns é assustadora.

  • daniel

    Voltando ao voleibol, é sério que a levantadora Juma está na seleção? Hoje levei um susto quando li que ela estava treinando com a seleção para o torneio de Montreaux. Assisti poucos jogos dela e nunca me chamou atenção. Havia outros nomes mais cotados: Claudinha, Roberta, Macris… mas não lembro de qualquer comentário referente a Juma.

  • Lilika

    Bom…só digo que, se fosse tão bom o comunismo puro que há lá na ilha caribenha, tanta gente não estaria fugindo e desertando durante décadas…e não precisa ser esportista não… lembrem-se de Gloria Stefan…e pensar que uns tipos de gente no nosso país é amiguinho de tricotar de Fidel e família (e pra variar essa peste de Fidel não morre né kkkk)…logo logo já se saberá o que vai acontecer…vai jogar na europa, mesmo com as restrições e adquirir outra cidadania, exemplos de êxito ao se “libertar”, Vargas têm dezenas…

  • Edu

    O Simon quando esteve em BH ,pelo mundial de clubes, aguardava um salvo conduto para retornar a seleção cubana pois havia cumprido o recesso de dois anos imposto pela federação.No entanto, parece que até agora essa ‘anistia” não foi confrimada pela federação cubana.O vólei e handebol são esportes ideais para o biotipo do cubano: pela velocidade, impulsão,explosão e força.Por razões politicas e ideológicas e opções esportivas negativas tem uma coleção de títulos muito inferior ao desenvolvimento desse potencial natural.

  • Espero que ela seja o “nova Mireya Luis”,que sem dúvida com seus 1.76m foi sem dúvida a maior jogadora de volei de todos os tempos.Digo em termos de referência não só para Cuba mas para o mundo,pq pra se chegar ao nível da Mireya..ainda não vi e olha que acompanho o volei há pelo menos 25 anos!Hoje o que temos são boas jogadoras e umas mais diferenciadas,mas nenhuma chega perto da cubana e que merecidamente recebe pelo mundo afora muitos prêmios e o reconhecimento de ser a maior jogadora de todos os tempos.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo