Coluna de domingo: RJX deixa a má impressão para trás



Pessoal, a coluna Saque publicada neste domingo, 25 de março de 2012, no LANCE!, com o primeiro semifinalista da Superliga masculina.

O RJX atraiu todos os holofotes do mundo do vôlei ao ser criado, em abril de 2011. Com aporte do bilionário empresário Eike Batista, o time carioca logo ganhou o rótulo de mais rico do país, com o maior orçamento entre todos os participantes da Superliga. O investimento beira  R$ 13 milhões para manter um elenco estelar, com os selecionáveis Dante, Marlon, Lucão e Theo, ações de marketing com a cidade olímpica como pano de fundo, sem esquecer a área social, com escolinhas de vôlei apadrinhadas por Bernardinho em comunidades pacificadas do Rio. Tudo muito bonito no papel.

Depois de quase um ano de existência, o RJX passa a ser o centro das atenções novamente, mas graças aos resultados obtidos dentro de quadra. Neste sábado, com oito mil pessoas no Maracanãzinho, o time carioca fechou o playoff contra o Sesi por 2 a 0 e é o primeiro semifinalista da Superliga 2011/2012. Pode parecer pouco, mas não é.

O adversário é o atual campeão nacional e possui um elenco tão caro e estelar quanto o RJX. Murilo, Escadinha, Rodrigão e Sidão possuem títulos mundiais e olímpicos no currículo. O resultado afasta também a má impressão deixada pelo milionário time carioca na fase de classificação. O sétimo lugar, atrás de rivais com metade do investimento anual, como Vivo/Minas e Medley/Campinas, aumentou a pressão sobre o RJX. O técnico Marcos Miranda e alguns jogadores foram colocados em xeque. Muita  gente ligada ao mercado passou a acreditar que o patrocínio para as próximas temporadas fosse cair drasticamente. Por enquanto, esqueçam.

O time superou os problemas de entrosamento, ganhou corpo e tem chances reais de transformar a Superliga em ouro, algo que Eike “Midas” Batista sabe muito bem o que é.



MaisRecentes

Dentil/Praia Clube conquista a Supercopa. Mas tem muito a evoluir



Continue Lendo

Dirigente morre ao jogar torneio master em Saquarema



Continue Lendo

Coluna: Uma Superliga 100% transmitida



Continue Lendo