Coluna de domingo: Primeira parte da retrospectiva do vôlei em 2013



Pessoal, boa tarde. Coluna Saque deste domingo está no ar pela “metade”. Na próxima semana, o complemento.

Na onda das retrospectivas de fim de ano, resolvi testar a minha memória e escolher os destaques de A a Z do vôlei em 2013. Como o espaço não foi suficiente para todo o alfabeto, a segunda parte será publicada no próximo domingo.

Ary Graça – encerra seu primeiro ano à frente da FIVB mudando regulamentos de torneios na quadra, expandindo o Circuito Mundial de praia e testando regras. Leia mais em E e P.

Bernardinho – sofreu na Seleção sem Murilo, Giba, Escadinha, Dante… Terá trabalho para encontrar o time ideal até 2016.

Copa Brasil – finalmente a competição saiu do papel.

Deivid – o central esperou seis meses para fazer um transplante de córnea. Foi operado em abril.

Expansão – Grand Prix e Liga Mundial passarão a ter 28 participantes em 2014. Número que me parece um pouco exagerado.

Fofão – foi decisiva, aos 43 anos, para a Unilever vencer a Superliga 2012/2013. Brinca de jogar.

Gabi – a ponta se firmou na Seleção em sua 1 temporada completa. A altura (1,80m) atrapalha, mas só engrandece seus feitos.

Horacio Dileo – chegou ao Brasil com desconfiança e conquistou seu espaço como técnico do Vivo/Minas.

Ingrid Visser – a holandesa, que atuou no Brasil, foi assassinada na Espanha. O dono do Murcia, um dos clubes mais tradicionais do país, é investigado pelo crime.

Jogadores – se uniram e passaram a exigir melhorias. Podem usar o exemplo do Bom Senso do futebol em busca de voz ativa.

Kiraly – gênio do vôlei na década de 80, ele assumiu a seleção feminina dos Estados Unidos e tem recebido elogios, com o trabalho para 2016. Eu tenho dúvidas.



MaisRecentes

Brasil leva virada dos Estados Unidos em terceiro amistoso



Continue Lendo

Vaivém: Fronckowiak anunciado por clube polonês



Continue Lendo

Entrevista Skowronska: “Estou apaixonada pelo Brasil”



Continue Lendo