Coluna de domingo: Parceria real entre clubes e seleções



Coluna publicada na edição de domingo, dia 22/9, no LANCE!. Um assunto que ainda merece reflexão e discussão.

Após conversar com alguns treinadores de ponta do vôlei brasileiro, resolvi voltar ao assunto calendário. A Superliga masculina começou para alguns, os Estaduais seguem rolando país afora, Seleção feminina está no Sul-Americano, logo mais Sada/Cruzeiro e Unilever estarão no Mundial de Clubes, sem contar o Mundial de Seleções sub-23 e a Copa dos Campeões no Japão. Ou seja: jogo não faltará até o fim de 2013. E talvez esse seja o maior perigo.

Ainda não existe uma racionalidade entre o calendário de clubes e Seleções durante a temporada. Algumas delas, como a atual 2013/2014, são ainda piores, com eventos que não são anuais (Copa dos Campeões e Mundial sub-23). E esse exagero prejudica principalmente os atletas, mais expostos a contusões em meio à maratona de treinamentos, partidas e viagens.

– Precisa existir uma boa convivência entre seleções e clubes. Não pode ser uma disputa. É preciso bom senso.

É assim que o argentino Horacio Dileo, comandante do Vivo/Minas, pensa, por exemplo. E concordo em gênero, número e grau com o argentino. Do jeito que está, seleções e clubes são rivais na utilização de atletas. Mas na verdade elas deveriam ser parceiras. Uma complementa a outra. E, para isso, um calendário mundial  mais “humano” precisa ser colocado em prática.

Ao menos, vejo uma espaço democrático para que discussões aconteçam no Brasil, em busca do tal equilíbrio tão necessário. Técnicos, clubes e jogadores com voz ativa, CBV abrindo espaço na organização da Superliga, descentralizando as decisões… Se ecoar aqui, chegará aos ouvidos da FIVB. E será bom para todos.



  • Ana Laura

    Só acho que as seleções sob o comando da CBV deveriam entender que quem paga os salários dos atletas são os clubes . Excesso de competições de seleção,algumas sem sentido e que não dão nem gosto de acompanhar,como o Sul americano que terminou recentemente. Campeonato de nível vergonhoso.

  • Caco

    A grande dificuldade que existe é a de que os calendários são organizados por instituições diferentes e com autonomia para programarem suas competições. A CBV até que está se esforçando, mais do que nos outros anos, mas o calendário internacional com o Mundial de Clubes, o Mundial sub-23 e a Copa dos Campeões é de fato muito pesado para todos. Não sei como poderia ser resolvido. Acho que é impossível fazer um calendário perfeito, pois os interesses são muito divergentes e as situações expõem cada federação ou confederação a dificuldades muito díspares entre si. Os clubes europeus tem a Champions League e os campeonatos e copas nacionais para disputar. Os clubes brasileiros têm a Superliga e, principalmente os clubes paulistas, os estaduais.
    Claramente, os times que disputarão o Mundial de Clubes vão ter que se esforçar um pouco quando se classificarem, pois não vejo muita solução para isso e esses times são a exceção e não a regra. Não acho que se deva mudar todo o calendário de uma competição nacional, visto que a grande maioria não joga esse torneio (apenas um time de cada continente).
    O calendário de seleções é muito puxado, porém isso depende da FIVB e não das federações ou confederações nacionais. É muito complicado chegar a um acordo porque a federação europeia tem necessidades diferentes da asiática, que tem necessidades diferentes da sul-americana e assim por diante.
    É complicado organizar isso tudo. O calendário exige muito dos jogadores, mas é difícil enxergar outras saídas.

  • Afonso RJ

    Última palavra em administração: Gestão participativa.
    Todo mundo discute, cada um dá sua opinião, todos são ouvidos democráticamente e no fim a Globo decide tudo ditatorialmente de acordo com seus próprios interesses e os demais que se f… lixem. É simples.

    Ainda não assisti a nenhum jogo da Superliga masculina. Como acompanhar um campeonato com uma tabela tão bagunçada? Ninguém sabe a classificação. Acho que nem a CBV, pois depende do critério usado. Estão fazendo uma força danada para que o vôlei trilhe o mesmo caminho do basquete…

    DELENDA EST CARTHAGO
    SETS DE 25 PONTOS. QUERO MEU VÔLEI DE VOLTA!!!!!!!!!!!

  • POLACO

    Daniel , os culpados são os clubes , que não se organizam para criar uma liga forte ! fica refém da CBV E GLOBO só eles podem fazer isso o resto é só lamentar e olhe a superliga esse ano nem parece que começou a SPORTV só passa um jogo só . QUEREMOS OS SETS COM 25 PONTOS ! EÍS A CAMPANHA !

MaisRecentes

Zenit campeão com méritos. “Cubanos” dominam premiação



Continue Lendo

Sada/Cruzeiro sai do Mundial com bronze e cabeça erguida



Continue Lendo

Rodada define confrontos da Copa Brasil masculina



Continue Lendo