Coluna de domingo: O dilema entre o coletivo e o individual



Boa tarde, pessoal. A Superliga masculina já tem um campeão, eu sei. Também sei que o texto era uma prévia do jogo. Mas ainda assim resolvi publicar.

O melhor time contra as melhores peças. Talvez seja uma comparação simplista demais, mas é um retrato fiel deste Sada Cruzeiro x Sesi. E, na minha visão, reforça a impossibilidade de escolher um favorito, ainda mais em uma final em jogo único.

O time mineiro está em sua 15ª decisão consecutiva. Um número fantástico que resume bem a qualidade do elenco comandado pelo argentino Marcelo Mendez. As principais peças estão juntas há anos: William, Wallace, Filipe e Serginho. O entrosamento do levantador com o oposto é um dos diferenciais. Já o cubano Leal chegou na temporada passada e faz muita diferença, principalmente no saque e ataque. Os selecionáveis Eder e Isac, reforços pontuais para esta Superliga, ajudaram a minimizar a principal deficiência mineira: bloqueio. É uma equipe tão azeitada que a expressão clichê “jogar por música” se encaixa sem ser piegas em várias atuações.

O Sesi, por outro lado, conta com Lucão e Lucarelli, que chegaram ao clube nesta temporada com o status de melhores jogadores do país. Realmente são dois caras que podem desequilibrar a qualquer momento. Eles não jogaram ainda tudo o que sabem e mostravam em 2013, respectivamente, no RJX e no Vivo/Minas. E este é o perigo para o Cruzeiro. É difícil anular uma dupla com este quilate. Então aposta-se em um deixa o outro de lado na marcação, no tal risco calculado? E não dá para ignorar a experiência de Murilo, Escadinha e Sidão, além da juventude (e irregularidade) do gigante Renan, de 2,17m. Marcos Pacheco tem um leque riquíssima de opções.

Nesta difícil equação entre o coletivo versus o potencial individual, vejo os mineiros com uma pequena vantagem.



  • Rodrigo

    Esse título pro Sada/Cruzeiro não foi segredo pra ngm, onde o único q poderia fazer frente ao melhor time de vôlei masculino do Brasil talvez do mundo era o Sesi praticamente a seleção brasileira q acabou levando um sonoro e humilhante 3×0, até a final masculina da SL b entre Voleisul x Sao Jose dos Campos foi mais equilibrado e emocionante apesar das goteiras na quadra devido a chuva forte! Murilo fazia cara feia quando não entrava e forçava a barra pra ser titular mesmo sabendo q não é mesmo de antes e prejudicaria no futuro, não deu outra. Lucarelli pareceu q nunca defendeu a seleção, jogou ruim demais pra não falar burro, atuação medíocre! Renan, o menos culpado afinal entrou numa fria substituindo o jogador de segurança do Sesi, Evandro q fez muita falta! Lucao e Sidao sem confiança e não ajudaram o levandor Sandro q implorava uma bola de segurança, deu pena do levantador!!! Serginho escadinha lutou mas só grandes defesas não ganham jogos é preciso definição… mas o Sesi saiu de cabeça erguida sabendo q perdeu pra uns dos melhores do mundo talvez o melhor! É mais facil o feminino do Sesi ser campeão do q o masculino pois no feminino pelo menos este ano foi/está bem acirrada!

MaisRecentes

Rodada define confrontos da Copa Brasil masculina



Continue Lendo

Dia de aplaudir o Zenit Kazan



Continue Lendo

Praia x Minas e Sesc x Vôlei Nestlé. Quer mais?



Continue Lendo