Coluna de domingo: Nuzman causa mal-estar no vôlei



Pessoal, está no ar minha coluna Saque, publicada neste domingo, 9/12, no LANCE!.

Quem diria! Carlos Arthur Nuzman, que tanto se orgulha e se vangloria por ter dado o impulso inicial, na década de 80, para o vôlei se transformar no segundo esporte do país, perdeu boa parte do seu prestígio na modalidade nos últimos dias.

O motivo foi uma entrevista dada para a “Veja”, na qual reclama da “falta de ambição dos atletas pela vitória”. O presidente do COB, ao analisar o número de medalhas conquistadas pelo Brasil na Olimpíada de Londres, criticou os jogadores de vôlei: “Os brasileiros são mais frágeis aí. Tremem mais do que os outros. Quando um jogador de vôlei não acorda bem, costuma falar para o outro: ‘Hoje estou com uma leve dor’. Chineses, russos, americanos não têm uma leve dor. Ou, se têm, ignoram”.

A frase teve um efeito devastador nos bastidores do esporte. Em off, dirigentes, integrantes de comissões técnicas e jogadores soltaram cobras e lagartos sobre Nuzman. A opinião quase unânime é a de que ele praticamente rotulou o classe como “amarelona”. Para a turma do vôlei, era mais justo dar nome ao boi ou aos bois, se eles existem, do que colocar todos sob suspeita. Sentiram-se traídos e atacados pelo cartola. Em on, vi apenas rápidas (e posso dizer também corajosas) declarações de Murilo, Bruninho e Lucão, via Twitter.

“Difícil ler certas coisas e ficar quieto!“, escreveu Murilo. Lucão respondeu a mensagem com um palavrão.

“O que pensar disso?!?! Indignação com tanta Mer**!“, completou o levantador.

E a classe usa os resultados dos últimos anos para rebater a teoria de Nuzman, principalmente as cinco medalhas olímpicas conquistadas nos últimos três ciclos (três ouros e duas pratas).

No dia 18, o COB organiza o Prêmio Brasil Olímpico. Até lá, bombeiros vão precisar entrar em ação para evitar alguma saia justa.



  • Emanuella

    Nossa, achei isso no minimo injusto, nossos atletas todos jogaram com problemas físicos. Giba, Dante, Murilo. A Mari que sofreu tanto por dores e no final foi cortada ainda assim queria estar participando, discordo mesmo dele.

  • Jairo(RJ)

    Acho que o Nuzman, pelo conjunto de ações de sua permanência na presidência do COB tem se mostrado em contradição com o meio esportivo de certa forma. Não são poucas as mídias relatando “mando e desmando” dele, bem como os “negócios suspeitos” devidamente aprovados na prestação de contas.

    Agora temos mais essa. Creio que ele deve ter pensado em mexer um pouco com os brios dos atletas e dirigentes do vôlei. Porém, aplicou psicologia reversa e que vai gerar ruído.

    Que fora hein, Nuzman !!

  • Afonso RJ

    Não sei não. Esses caras são raposas velhas e quando falam alguma coisa sabem muito bem o que estão fazendo. Duvido muito que um cartola tarimbado como o Nuzman fosse soltar alguma indiscrição “sem querer”. Provavelmente quis mandar algum tipo de recado para alguns ou para muitos. E nem se importou se ia ou não causar polêmica. Aliás, pode ser que parte da intenção fosse justamente essa: causar polêmica e atrair para si a atenção da mídia. No fim, fica o dito por não dito, e, parodiando o Chaves: “Foi sem querer querendo!”

    • daniel

      Concordo. Mas quem teria sido o alvo do recado? Não saberemos.

  • Darci

    Comparado ao escândalo do furto de dados em Londres-2012, essa declaração imbecil é o de menos.

    Só os peixes pequenos pagaram o pato.

    • Darci

      Correção: “comparada”

  • Gutemberg

    Nuzman esta ficando com demência senil.Falta de oxigenação cerebral.So falou mierd@.Ta na hora de vazar do COB.

    • bsb

      Concordo, gente como essa não pode representar nosso país!

  • Thamyres

    Arrogância pura desse senhor.

  • Braz

    Aprendi a gostar de ver jogos do vôlei brasileiro, feminino e masculino, desde Barcelona 92. Vez ou outra costumo rever o jogo entre Brasil e Russia (feminino) nas quartas-de-final de Londres 2012, especialmente o quinto set. É inspirador, para qualquer pessoa, em qualquer atividade acadêmica ou profissional.

    Ao mesmo tempo, penso que, assim como acontece no futebol, o voleibol brasileiro abocanha parte desproporcional do incentivo político e financeiro que poderia ser compartilhado com outras modalidades olímpicas, como se o Brasil aparentasse ser país de menos de meia-dúzia de modalidades esportivas. Talvez isso ocorra devido um possível mix de incapacidade dos gestores das demais modalidades de atrair atenção, de ‘venderem’ para os donos do capital um projeto a médio e a longo prazo, com o poder desproporcional compartilhado pelo lobby do futebol e do vôlei. Não deixa de ser interessante ver a diferença positiva que medalhas individuais em esportes como natação, judô, atletismo, agregam para o enriquecimento do quadro de medalhas de outros países.

    Dessa forma, e especialmente pensando no Rio 2016, mesmo considerando a vergonhosa precariedade reinante da maioria absoluta dos ginásios de voleibol dito ‘profissionais’ Brasil afora (sinal de que política e profissionalismo dificilmente trilham a mesma estrada), alguém de/com poder deveria começar a democratizar essa disparidade de alocação de recursos e criar para a natação, para o judô, para o atletismo brasileiro, por exemplo, sua própria ‘Saquarema’ e seu próprio lobby profissional, para brigar por recursos financeiros privados e estatais.

    É ímpar ver a Sheilla, ver a Thaysa jogar, algumas vezes beirando a perfeição na execução dos seus recursos técnicos e táticos. Também é ímpar ver a Sarah Menezes lutar (ainda que ela seja excessão à regra), e poderia ser a mesma coisa para outra atleta nascida(o) neste país, mas que talvez não terá chance de brigar por uma medalha de ouro com chance equivalente à Sheilla e à Thaysa.

  • Luiz

    Gente, é CLARO que ele está se referindo a vergonhosa derrota do masculino para o time Russo. Dante e Vissotto no alvo.

  • Leo

    Nuzman foi ridiculo!!! Temos varios execmplos de atletas corajosos que mesmo
    com problemas fisicos, dores e contusoes, deram o sangue pela selecao: Giba,
    Murilo, Dante, Bruninho, Lucao, Sheila, Fabiola… Enfim, sao varios exemplos de
    pais, maes, conjuges, que abriram mao de suas vidas particulares, de estarem
    perto do conforto da familia p/servir a selecao… E vem esse ridiculo falar isso!!!

  • xD

    PALHAÇADA!!
    O volei q é o esporte brasileiro q mais tem medalhas olimpicas,unico esporte brasileiro q tem esportistas com mais de um ouro olimpico,campeõs por onde passam(sempre) e titulos pra perder de vista sendo jugado por um verdadeiro zé ninguem sem argumentos.
    agora c fosse pra fala do futebol medilcre do Brasil(q vive de passado) e tbm tem um monte de covarde estrelinha,ia c só elogio né!?
    para essas pessoas sem argumentos digo só o seguinte:
    procure basear teus argumentos em fatos reais e ñ em desavenças e mentiras idiotas..

  • Emanuella

    outra coisa que acho, é ridículo que um dirigente incentive o comportamento ridículo mostrado pela torcida de que qualquer derrota brasileira faz do atleta um amarelão. Lamentável Nuzman, Lamentável. Acho que o ego ta tomando conta desse senhor.

  • Caco

    Com relação a isso, tenho duas coisas para dizer: primeiro, como chamar de amarelão um time tricampeão mundial, bicampeão da Copa do Mundo, campeão olímpico e trocentas vezes campeão da Liga Mundial? Pergunte para os russos, os americanos e os chineses, jogadores de vôlei, se não gostariam de ser amarelões desse tipo. Segundo, o que falar das constantes amareladas dos nossos dirigentes que, ao se dobrarem ao arbítrio de empresários e da televisão, põem em primeiro lugar interesses escusos que os do esporte que defendem?
    Uma sugestão: Juliana e Larissa, que se despediram hoje, não mereciam mais destaque em um blog de vôlei do que as declarações do Nuzmann?

  • Caro(a)s, sao por estes motivos que tomei a decisao de votar “nao” nestas ultimas eleicoes do COB. A entrevista da Veja foi otima para se revelar a outra face do nosso lider Olimpico. Varios dirigentes, entre eu e o Alaor da CBTM tentamos inumeras vezes dialogar com o Nuzman, pedindo maior respeito e autonomia para as entidades e atletas, mas infelizmente ele nao deu ouvidos. Por isso mesmo estou tomando as providencias para levar esse assunto a esfera Federal e Internacional. O estilo da nossa administracao Olimpica atual e’ Draconiana, centralizadora e anti-democratica, ou seja, totalmente o inverso dos Valores Olimpicos que pregamos. Convido a todos os atletas, tecnicos, dirigentes para fazerem parte do nosso movimento. Interessados favor entrarem em contato pelo email: eric.maleson@fibt.com

  • César Castro

    Totalmente sem correspondência com a realidade essa afirmativa do Nuzman.
    A seleção masculina esteve nas três últimas finais olímpicas (desconheço outra modalidade com histórico semelhante no esporte olímpico nacional). A seleção feminina tem dois ouros seguidos.

    Na praia, deu prata e bronze. Uma regularidade olímpica espantosa.

    Para os IDIOTAS que reclamam disso, inclusive falando mal dos atletas brasileiros porque perderam da Rússia ou dos EUA, eu desafio: VÃO LÁ E FAÇAM MELHOR!

    O Dante aguentou o quanto pôde. É desumano criticar alguém que se sacrificou. Queriam o quê? Que o Vissoto jogasse quebrad?. Fala sério: a nossa prata foi forjada de honra, de luta.
    Por que as pessoas não aprender a valorizar a luta dos outros. Eu tenho muito orgulho do vôlei brasileiro masculino e feminino.
    Sr Nuzman,com todo respeito, vá à merda!

  • leandro

    A declaração é uma indireta a derrota da seleção masculina na final olímpica, a derrota da dupla Alysson e Emanuel na final Olímpica e a Juliana e Larissa.

  • bsb

    Quem é esse tal Nuzman? É mais um que rouba e finge ser bom moço? Quem é ele pra falar de alguma coisa. O volei é o unico esporte que traz medalhas todos os anos para o Brasil, olha os investimentos que são feitos no volei e no futebol e olha os resultados. Chineses, russos e americanos: nas olimpiadas China não ganha nada no volei faz tempo, EUA no masculino nem no podio no feminino dale brasil. Russos, chora gamova e perdemos a final por sorte do tecnico deles. Declaração .d.ota e sem fundamentos ele é um l.xo.

  • Luciano

    Na minha opinião ele falou o que muitos queriam falar e não tiveram coragem. Porém, há de se ressaltar que o brasileiro é diferente do chinês, do russo, do americano. O brasileiro joga sempre com um friozinho na barriga, que muitas vezes atrapalha em momentos de decisão. Não tiro e nunca faria isso a importância das conquistas do nosso voleibol, que tenho orgulho de ver e rever sempre. O que acredito principalmente no masculino, é a arrogância de alguns jogadores que atuam pelo nome e faz cara feia como se isso ganhasse jogo.
    Aproveitando e falando sobre o jogo do RJX eSão Bernardo onde estive no ginásio, primeiro quero parabenizar a estrutura do ginásio, muito bom, primeiro mundo, agora sobre o jogo acho que os times que jogam contra times que atuam jogadoes de seleção tremem sem perceber que podem ganhar, fechar o set vira um meio que “amarelão” para esses times de menor investimento. Parece que o psicológico enfrenta uma barreira quando vc vê um Bruninho, um Lucão, um Dante, e assim por diante. Deu no que deu, vitória do RJX por 3 X 1.

    • César Castro

      Como é que vc sabe se os chineses, os russos ou os marcianos jogam com ou sem friozinho na barriga?
      Vc já perguntou a algum deles?
      Somos todos humanos, meu filho. Por que os brasileiros têm essa mania de vira-latas?
      Por que achar que os outros são diferentes e a diferença é sempre pra melhor.
      Ah vá!

    • Emanuella

      Os imbecis que queriam chamar os atletas brasileiros de amarelão chamaram, esse tipo de gente não fica constrangida e falam as abobrinhas estupidas sem saber nada de nada. Não acho que esse velho caduco falou nada o que as pessoas queriam falar, muito pelo contrário, ele falou o que os imbecis já tinham falado.

  • o nuzman se expressou muito mal . logo o presidente do cob ! brincadera !!

  • Basilio

    Melhor amarelão do que ladrão

  • Thamyres

    EI Galera, o vôlei tem investimento pesado quando se fala em seleção brasileira.
    É preciso ter um cuidado ao falar que futebol e vôlei tem investimentos “estratosféricos”.
    O Futebol tem sim muitos clubes com grande renda e vendagem por ser a “paixão nacional” são series A, B , C, D… com inúmeros times em cada divisão.
    O Voleibol tem apenas no momento só a série A, na qual é nítida a diferença do investimentos nas equipes. Atualmente no campeonato nacional de vôlei, a Superliga, temos 10 times no naipe feminino e 12 do masculino. O investimento pesado é em algumas equipes, outras só se reforçam com peças que vão surgindo na nova geração, usam seus jogadores de base.
    Por falta de investimentos clubes fecharam as portas nessa temporada e outro diminuíram o investimento para menos da metade.
    Quando o Projeto Canoas Vôlei nasceu, e até hoje, vemos o campeão olímpico Gustavo correr atras de patrocínio , para não ter que encerrar sua carreira tão cedo.
    Times que seriam da Série B na Superliga mal existem , pois existe uma precarização muito grande. Como pode ser visto nessa reportagem que saiu ontem : http://esportes.r7.com/esportes-olimpicos/noticias/atletas-ficam-sem-comida-casa-e-tratamento-medico-no-pais-do-volei-20121210.html?s_cid=atletas-ficam-sem-comida-casa-e-tratamento-medico-no-pais-do-volei-20121210_esportes_esportes-olimpicos_twitter&utm_source=twitter&utm_medium=social&utm_campaign=botao_twitter&utm_term=atletas-ficam-sem-comida-casa-e-tratamento-medico-no-pais-do-volei-20121210&question=0

    Claro , que é preciso investir pesado em todos os esportes, principalmente o Brasil sendo a sede das próximas olimpíadas. Mas é preciso chamar o torcedor, é preciso chamar investimento. É preciso mudar tantas coisas. Por exemplo, hoje nas escolas, mal se tem algum esporte, algumas nem tem aulas de Educação Física.
    Esse senhor, Nuzman, dá uma declaração dessas sabendo na situação do país nos esportes é extremamente egocêntrica e arrogante.
    Tudo que dá certo é porque ele estava envolvido e se não deu é porque ele não estava envolvido. Tem “eu” de mais na fala desse senhor.

MaisRecentes

Vaivém: Jaqueline no Hinode/Barueri



Continue Lendo

Cai o primeiro técnico após UMA rodada da Superliga



Continue Lendo

Luizomar e Rizola não conseguem vaga no Mundial



Continue Lendo