Coluna de domingo: Explicações sobre as novas regras do vôlei



Pessoal, boa tarde. Publico aqui a Coluna Saque, que saiu neste domingo (30/9) no LANCE!. O tema é a mudança em algumas regras do vôlei, assunto muito comentado dias atrás.

O que vocês acham das modificações?

A Federação Internacional de Vôlei estuda mudanças na regra do esporte. A principal delas limita o uso do toque para receber o saque. A outra deixa de dar ponto ao “time A”, caso caso jogador do “time B“ receba cartão.

Para entender melhor, principalmente o primeiro item, já que durante a semana sites chegaram a noticiar que seria proibido o uso do toque na recepção, conversei com  Josebel Palmeirim, membro da Comissão de Arbitragem da FIVB e que está deixando a entidade que comanda os árbitros de vôlei no Brasil após dez anos no cargo.

– A regra atual não está sendo bem cobrada pelos árbitros. Às vezes, jogadores estão conduzindo a bola. Está existindo, sim, um abuso. O caminho não é proibir o toque, mas sim impedir essas carregadas. Não vejo como melhor caminho abolir um movimento técnico de jogo. Vão querer que o jogador use a testa, a cabeça? Vejo como solução não permitir a condução, com o uso das mãos abertas no ataque.

A explicação de Josebel é coerente e me parece muito mais sensata do que eliminar o passe com o toque. Com um rigor maior da arbitragem na interpretação da regra, teremos movimentos “mais limpos” no toque.

Sobre a mudança na regra dos cartões, sou favorável. O vôlei é o único esporte que premia um time com ponto após cartão dado ao rival. Josebel defende a mesma tese:

– Não concordo com a penalidade para a equipe. O outro time ganha um ponto sem jogar. Sempre sugeri a defendi que a disciplina deve ser controlada com cartões, como no futebol, mas sem pontuar. Advertência verbal, depois com cartão e, se for preciso, expulsão.

A próxima reunião da Comissão de Arbitragem da FIVB será em janeiro, na Suíça. As mudanças na regra, porém, podem ser homologadas antes pelo Conselho de Administração da entidade.



MaisRecentes

Coluna: O trio mais poderoso do mundo



Continue Lendo

Coluna: Gabi assume protagonismo na Seleção



Continue Lendo

Coluna: A primeira vez de Leal



Continue Lendo