Coluna de domingo: Caminho para mudança é irreversível



Coluna deste domingo, último dia de março, publicada no LANCE!. Uma excelente Páscoa para todos vocês.

CBV, clubes, jogadores, público e boa parte da mídia concordam em um ponto: a Superliga precisa mudar. E, felizmente, já é certo que a 20ª edição da competição, na temporada 2013/2014, vai marcar o início das transformações.

Algumas reuniões entre entidade, representantes dos clubes e grupos de atletas já aconteceram. Outras estão marcadas e irão ocorrer após o término da Superliga. Nelas, os lados envolvidos buscam encontrar um denominador comum para tantos pedidos. O principal encontro reunirá todos os lados e servirá para avaliação do torneio que está em andamento e definirá os caminhos que serão seguidos nos próximos anos.

O calendário está no topo da lista de prioridades. Clubes e atletas querem que a Superliga seja mais longa e a tabela mais racional. O patrocinador ficará exposto durante mais tempo e haverá períodos mais “humanos” de descanso para jogadores e jogadoras entre os jogos, principalmente na fase classificatória. Concordo em gênero, número e grau.

O ranking é outro ponto polêmico. Clubes reclamam, mas quase sempre deixam de lado o bem comum e votam na pontuação dos atletas pensando apenas nos interesses próprios. Não dá mais para ser assim.

Enquanto discute o futuro, a CBV também se preocupa com as finais da atual Superliga. A promessa é de que o público irá se surpreender. É esperar para ver. Já o auxílio eletrônico para a arbitragem foi confirmado e será testado em São Paulo esta semana. Outra pequena e necessária vitória do esporte.

Pelo bem do vôlei no Brasil, o caminho para as mudanças precisa ser irreversível.

 



MaisRecentes

Informações sobre as finais da Superliga Masculina



Continue Lendo

Vaivém: Mais dois anos, ao menos, de Vôlei Renata em Campinas



Continue Lendo

Vaivém: Camponesa/Minas confirma Bruna e Carol Gattaz



Continue Lendo