Coluna de domingo: Brasil renasce na terra do Renascentismo



A coluna Saque está de volta após a Copa do Mundo. E o texto de reestreia só poderia ser sobre a final da Liga Mundial.

Justamente em Florença, o berço histórico do Renascimento italiano, a Seleção Brasileira masculina voltou a mostrar a beleza de um vôlei que tanto encantou o mundo nos últimos anos, mas que parecia coisa do passado, obra para ser vista em museu.

A vaga na final da Liga Mundial foi obtida com uma atuação quase perfeita sobre a Itália, dona da casa, por 3 a 0, pela semifinal, com direito a um incontestável 25 a 11 no primeiro set. Perfeição que é uma característica das esculturas de Michelangelo e das pinturas de Leonardo da Vinci ou Rafael, três dos ícones que fazem de Florença uma das capitais culturais mais visitadas do planeta. Ontem, o público italiano que trocou um tour pelas obras renascentistas pelo Ginásio Nelson Mandela (um mito de outros tempos), teve direito a presenciar um espetáculo até certo ponto surpreendente.

O atual time brasileiro não é tão brilhante quanto outros de vitoriosas gerações passadas. O Brasil de 2014 passa por processo de renovação e quase não se classificou para as finais da própria Liga. Em certos momentos, nem tinha cara de Brasil. Não jogava como Brasil. E perdia como os outros, jogando mal e passando uma impressão ruim, de fim de ciclo virtuoso. Mas, como uma obra inacabada de um gênio renascentista, ainda precisava de retoques. E eles foram dados.

Contra a Rússia, na quinta, a primeira vitória contra os atuais campeões olímpicos em dois anos. Ufa! Wallace jogando bem, Murilo voltando à velha forma, Bruninho seguro na distribuição. Sinal dos novos tempos? A derrota para o Irã, na sexta, freou um pouco a empolgação. Mas a atuação de ontem serviu como recado para os rivais: “nunca menospreze o Brasil no vôlei”. Lucão e Sidão colocaram Zaytsev, o grande nome da Itália no bolso, Lucarelli apareceu muito bem no ataque, Mário Júnior foi seguro no passe… E o público italiano foi obrigado a acompanhar, em silêncio, um espetáculo único que a Seleção oferecia.

Hoje, pela 14 vez, o Brasil disputa a final da Liga. Contra os Estados Unidos, busca o décimo título, o primeiro desde 2010. Talvez o retoque que falte para uma obra-prima voltar a fazer sucesso no cenário esportivo mundial.



  • hicham

    Daniel a vitória do Brasil ontem foi fantástica.Espero que na grande final o Brasil esteja bem inspirado tecnicamente para se sagrar mais uma vez campeão da liga mundial.Estarei torcendo muito.Avante Brasil.Abraços.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo