Coluna de domingo: Brasil renasce na terra do Renascentismo



A coluna Saque está de volta após a Copa do Mundo. E o texto de reestreia só poderia ser sobre a final da Liga Mundial.

Justamente em Florença, o berço histórico do Renascimento italiano, a Seleção Brasileira masculina voltou a mostrar a beleza de um vôlei que tanto encantou o mundo nos últimos anos, mas que parecia coisa do passado, obra para ser vista em museu.

A vaga na final da Liga Mundial foi obtida com uma atuação quase perfeita sobre a Itália, dona da casa, por 3 a 0, pela semifinal, com direito a um incontestável 25 a 11 no primeiro set. Perfeição que é uma característica das esculturas de Michelangelo e das pinturas de Leonardo da Vinci ou Rafael, três dos ícones que fazem de Florença uma das capitais culturais mais visitadas do planeta. Ontem, o público italiano que trocou um tour pelas obras renascentistas pelo Ginásio Nelson Mandela (um mito de outros tempos), teve direito a presenciar um espetáculo até certo ponto surpreendente.

O atual time brasileiro não é tão brilhante quanto outros de vitoriosas gerações passadas. O Brasil de 2014 passa por processo de renovação e quase não se classificou para as finais da própria Liga. Em certos momentos, nem tinha cara de Brasil. Não jogava como Brasil. E perdia como os outros, jogando mal e passando uma impressão ruim, de fim de ciclo virtuoso. Mas, como uma obra inacabada de um gênio renascentista, ainda precisava de retoques. E eles foram dados.

Contra a Rússia, na quinta, a primeira vitória contra os atuais campeões olímpicos em dois anos. Ufa! Wallace jogando bem, Murilo voltando à velha forma, Bruninho seguro na distribuição. Sinal dos novos tempos? A derrota para o Irã, na sexta, freou um pouco a empolgação. Mas a atuação de ontem serviu como recado para os rivais: “nunca menospreze o Brasil no vôlei”. Lucão e Sidão colocaram Zaytsev, o grande nome da Itália no bolso, Lucarelli apareceu muito bem no ataque, Mário Júnior foi seguro no passe… E o público italiano foi obrigado a acompanhar, em silêncio, um espetáculo único que a Seleção oferecia.

Hoje, pela 14 vez, o Brasil disputa a final da Liga. Contra os Estados Unidos, busca o décimo título, o primeiro desde 2010. Talvez o retoque que falte para uma obra-prima voltar a fazer sucesso no cenário esportivo mundial.



  • hicham

    Daniel a vitória do Brasil ontem foi fantástica.Espero que na grande final o Brasil esteja bem inspirado tecnicamente para se sagrar mais uma vez campeão da liga mundial.Estarei torcendo muito.Avante Brasil.Abraços.

MaisRecentes

Sada/Cruzeiro vence clássico do futebol e volta à liderança



Continue Lendo

Vaivém: Barueri anuncia levantadora americana



Continue Lendo

Praia segue invicto. Mas desta vez foi por pouco



Continue Lendo