Coluna da Natalia: Adaptação ao Japão e primeiros treinos



Olá, galerinha.

Desculpe pela demora em enviar o segundo texto, mas a viagem para o Japão é longa. Foram 25 horas até chegar aqui em Kobe, nossa primeira parada.

Café da manhã no Japão

Café da manhã no Japão

E quem acha que depois de tanto tempo viajando nosso destino seria a cama está completamente enganado. Fizemos um trabalho físico para “tirar o avião das costas”. Foi uma musculação não muito pesada, mais para não dormirmos. Isso é feito para tentarmos entrar no fuso o quanto antes. Como estávamos bastante cansadas, quando chegou a hora de descansar, todo mundo dormiu bastante.

Acordamos cedo hoje e partimos para os treinos. Musculação e trabalho com bola, essa será nossa rotina até sairmos de Kobe, no domingo. Depois vamos para Nagoia, onde serão realizados nossos dois primeiros jogos. Amanhã volto com mais notícias daqui, mais detalhes para vocês.

Continuem me acompanhando por aqui e pelo meu Facebook (www.facebook.com/nataliaziliooficial).

Vai, Brasil!

Beijos.



  • Afonso RJ

    Uma viagem de 25hs e um “jet lag” de 12 horas não é mole. Principalmente para quem depende do físico para desempenhar suas funções. Quando a gente é novo, pelas primeiras vezes, tudo é novidade, “oba oba” e a gente “tira de letra”. Mas conforme o tempo passa, as jornadas se sucedem e vamo-nos tornando veteranos, essas viagens longas passam a ser “um pé no saco”; a gente tem a sensação que não vai chegar nunca e o cansaço natural é sentido com mais intensidade.
    Felizmente há uma competente comissão técnica por trás que está “mais do que careca” de lidar com essas situações. Com certeza a turma vai chegar no jogo de estréia “na ponta dos cascos”.
    Felicidades para todos e que, independente do resultado, façam uma boa competição

  • Micheline Zilio

    Meninas, sabemos da capacidade de todas, lembremos:
    “A união faz a força”… e bora lá jogarrrrr…
    taizinha do meu coração… sei q o melhor de vc , vc vai dar…bjossss a todas

MaisRecentes

Uma vaga aberta na semi do Mundial: a do Sada/Cruzeiro?



Continue Lendo

Sada/Cruzeiro sofre com o “próprio veneno” no Mundial



Continue Lendo

Copa Brasil com TV apenas na final



Continue Lendo