Coluna: Avião abatido acirra rivais até no vôlei



Coluna Saque publicada neste domingo, 29 de novembro, no LANCE!

Um avião militar russo, a caminho da Síria, abatido ao passar pelo espaço aéreo da Turquia sem autorização. Um dos pilotos morreu, o presidente Vladimir Putin chamou o governo turco de “cúmplice do terrorismo” e uma crise diplomática rapidamente foi instalada na Europa entre os dois países durante a última semana. E ela resvalou até no vôlei.

O Classificatório Europeu feminino para a Rio-2016 está marcado para acontecer em Ankara, na Turquia, entre 4 e 9 de janeiro. Mas agora a contragosto das russas, que iniciaram uma pressão pública para que a Federação Internacional (FIVB) troque a sede do torneio.

– Acho que é perigoso e assustador. Na minha opinião, é necessário mudar o torneio para outro lugar. É preciso tomar todas as medidas de segurança. Espero que a Federação nos escute – comentou Goncharova, um dos principais nomes da seleção russa.

Rússia e Turquia são duas das principais forças europeias no vôlei. Possuem campeonatos de clubes respeitadíssimos e pagam atualmente os maiores salários da modalidade. E certamente estarão na briga pela única vaga em jogo no classificatório continental (os demais participantes são Itália, Alemanha, Holanda, Croácia, Bélgica e Polônia). Até por isso é mais fácil entender a pressão russa. A torcida turca é fanática e dá uma chance extra de classificação para o time da casa. Possibilidade que seria bem menor caso a competição acontece em qualquer outro país da Europa. Caso a FIVB bata o pé e mantenha a Turquia como sede, a pressão da Rússia, porém, poderá ser um baita tiro no pé. Fico imaginando como os turcos, conhecidos no esporte pela forma visceral com que torcem, estarão ainda mais “fanáticos”, principalmente no provável duelo com as russas na semifinal ou na grande decisão. É aguardar os próximos capítulos.



  • Gláucia Carvalho Gomes

    Oi Daniel! Como fã de vôlei, sabe o que gostaria de acompanhar? Uma avaliação rodada a rodada dos selecionáveis e/ou com possíveis chances de disputar as olimpíadas em 2016. Por exemplo: Wallace está evoluindo? Como está o desempenho do Rafael e do William? Lucas Loh, Bruno Canuto, Douglas Souza, algum deles tem chance? E o Theo, Vissoto, Rafael? Etc. etc. O que acha de uma série assim? Ainda que não dê rodada a rodada, pelo menos a cada duas ou três. É isso!

  • Billy

    Essa Goncharova é uma atleta bonita e muito boa jogadora(lógico que a sua altura-1.94m-a ajuda também.Não gostei dela em alguns confrontos passados quando ficava tentando(inutilmente)provocar as brasileiras(vide as cubanas dos anos 90 que eram INFINITAMENTE SUPERIORES à essa geração atual russa).Digo isso porque acompanhei todos aquele confrontos incríveis entre Brasil e Cuba da época.Resumindo…Goncharova têm mais é que calar a sua boca e tentar jogar mais prá ajudar as russas a tentarem se classificar para as olimpíadas em 2016.Prá mim isso já é pretexto(caso não consigam se classificar nesse classificatório europeu).As melhores jogadoras russas de todos os tempos são a Sokolova(espetacular) e a Gamova(marrenta ,mas grande craque também).Ainda estão na ativa(pro bem do vôlei russo).Vá caçar coquinhos Goncharova…

MaisRecentes

O novo conceito da FIVB para 2018



Continue Lendo

Apenas Lebes/Canoas faz o dever de casa na rodada



Continue Lendo

Um líder por pontos ganhos. Outro por pontos perdidos



Continue Lendo