Coluna: A Copa do prognóstico impossível



Pessoal, segue minha coluna publicada neste domingo, 20 de novembro, no LANCE!

A Copa do Mundo feminina, definitivamente, não seguiu os padrões de normalidade e derrubou 99% dos palpiteiros de plantão. A convidada Itália levou o título, o favorito Brasil ficou apenas em quinto lugar e não garantiu com antecipação a vaga olímpica em Londres-2012, a China voltou a se colocar entre as tops, após alguns anos no ostracismo, o Japão desbancou as quase campeãs americanas na rodada final, só para citar as principais potências.

Será possível acontecer algo semelhante no torneio masculino, que começou hoje no Japão?

Entre os homens, existem mais seleções com capacidade técnica para figurar entre os três primeiros, limite para obtenção da vaga na próxima Olimpíada, o que torna qualquer prognóstico em um mero chute. Além do Brasil favorito de sempre, Estados Unidos, Rússia, Polônia, Sérvia, Itália, Cuba e até a Argentina podem sonhar com um lugar no pódio.

A Seleção Brasileira não teve muita sorte na tabela (alguns vão dizer que é perseguição da Federação Internacional para acabar com a supremacia verde-amarela). Depois da estreia contra o Egito, duelos em sequência contra americanos, italianos e russos. Ou seja: pode-se arrancar para o título ou ver a vaga olímpica em risco depois de quatro jogos.

Estou curioso para saber com Bernardinho vai usar os 14 jogadores durante a maratona de 11 jogos em 14 dias. Na véspera da primeira partida, ele cortou o ponta Thiago Alves e manteve no elenco três opostos: Theo, Leandro Vissotto e Wallace Souza, algo pouco usual. Theo ganhou a confiança do técnico desde o Mundial do ano passado, competição em que Vissotto começou muito mal e jogou bem apenas na semifinal e na decisão. Este ano, Vissotto ficou fora de algumas convocações e voltou a ser chamado após iniciar bem a temporada no Cuneo, da Itália. Já Wallace Souza (o do Sada/Cruzeiro, não o Wallace Martins, do Sesi) foi bem com a Seleção B no Pan e surpreendeu ao ser levado à Seleção principal. Os três possuem características bem diferentes e vão protagonizar uma boa disputa pela titularidade.

Outra peculiaridade no elenco brasileiro é a presença de apenas um líbero: Escadinha. Quase todos os rivais levaram dois jogadores da posição para a Copa. No nosso caso, é torcer para o melhor de todos os tempos não se lesionar – já bati na madeira três vezes.

O único prognóstico que não irei errar desta vez: valerá a pena passar algumas madrugadas em claro até o fim do mês.



  • Graca

    Realmente, o prognostico e’ IMPOSSIVEL, o nivel do volei MASCULINO e’ extremamente superior ao FEMININO e o EQUILIBRIO entre as equipes e’ bem maior. Numa competicao dificil e desgastante como essa o FATOR FISICO e PSICOLOGICA conta muito, e’ o tipo de competicao, ONDE O TECNICO FAZ MUITA DIFERENCA: ele ao mesmo tempo tem que ser um estrategista e um motivador, o tecnico tem que ser um misto de JOGADOR DE XADREZ COM PSICOLOGO. JULIO VELASCO, BERNARDINHO e WEBER sao desse tipo de tecnico. VELASCO, por sinal, ja’ aprontou das suas: Mesmo com toda a torcida de Nagoya a favor, o Japão, dentro de casa, não conseguiu passar pelo IRAN. O IRAN sempre foi bem nos mundiais de categorias de base: OURO em 2007, PRATA em 2001 e 2009, e BRONZE em 2003. Mas no time ADULTO faltava um TECNICO a altura para comanda-los. Na ASIA, ate’ a chegada de VELASCO quem dominava no ADULTO era o JAPAO com 7 OUROS em campeonatos asiaticos, VELASCO chegou e ja’ levou o IRAN ao seu primeiro OURO no ASIATICO em 2011. Os iranianos sempre foram mais fortes e avantajados fisicamente que os japoneses, genetica herdada dos poderosissimos guerreiros persas da antiguidade, sempre levavam vantagem no ATAQUE e BLOQUEIO, mas nao eram organizados taticamente e defensivamente, nisso os JAPONESES levavam vantagem. VELASCO veio agregar esse valores aos iranianos e a combinacao de tatica, tecnica e forca fisica, ja’ surtiu resultados derrotando hoje seu ARQUIRRIVAL dentro de casa. A ARGENTINA fez uma estreia espetacular nao deixou a a campea EUROPEIA jogar, a Servia, completissima com MILIKOVIC e CIA. nao conseguiu se impor sobre o time de WEBER. O Brasil ja’ comecou com a galera toda entrando em casa, que e’ o maior trunfo de Bernardinho: por todo mundo para esquentar os motores.

    Com o primeiro triunfo

    • Afonso (RJ)

      Tudo bem. Só queria fazer um reparo:
      Quando você afirma que os persas herdaram a genética dos poderosíssimos guerreiros da antiguidade, está se enganando. Os persas da atiguidade, que por sinal levaram surras homéricas nas guerras contra os gregos, e contra os Citas nas planícies do que é hoje a Ucrânia, já constituiam uma mistura de povos. De lá para cá houve uma miscigenação maior ainda na região do planalto do irã, com profundas influências árabes, mogólicas e turcas (não vou entrar em detalhes para não dar sono no Diogo Marcio). Assim, o pool genético iraniano atual tem muito pouco ou nada a ver com os genes aquemênidas de Dario ou Xerxes, o que obviamente não quer dizer que os persas atuais não sejam fortes e saudáveis (aliás como a grande maioria dos jovens de todo o mundo).

      • Diogo (Oz)

        História não me da sono ¬¬’

        É vamos parando com o bullying, Sr Afonso kkkkkkkkkkkkkkk’

  • Jairo (RJ)

    Graça, vc está fazendo o trampo do Daniel!!!!! hehehehe
    Daqui a pouco vão demitir o cara!!!

    • Graca

      Que nada querido, meu negocio e’ so’ dar pitaco… Admiro muito o Blog do Daniel e a postura etica dele, ao contrario de um outro blogueiro que tem por aeh, que nao passa de um pseudojornalista cheio de factoides, o Daniel e’ um baita profissional!!!

  • Gustavo Martinez

    Acredito e muito na seleção brasileira!

    Palpite BRASIL 3-1 EUA

    • Georgea Santana

      Mandou bem Gustavo, não quer palpitar sempre a nosso favor? Abraços!!!

MaisRecentes

Camponesa/Minas quebra longa invencibilidade em Osasco



Continue Lendo

Placar RedeTV!: Futebol 2 x 0 Vôlei



Continue Lendo

Dentil/Praia Clube e Sesc abrem vantagem



Continue Lendo