Clubes se unem e pedem ajuda para a CBV



CBV e representantes dos 12 participantes da próxima Superliga masculina se reuniram ontem, no Rio de Janeiro.

Em pauta um pedido de ajuda dos times. Eles querem que a entidade assuma as despesas de logística durante a competição (hospedagem, alimentação e transporte), alegando dificuldades cada vez maiores para manutenção das equipes impostas pela situação econômica do país.

A Confederação sinalizou com o pagamento da hospedagem. Mas os clubes acharam pouco. Ficou combinado entre os dois lados que um novo posicionamento da entidade será dado até a próxima sexta-feira. Uma definição precisa acontecer até o início de setembro para que CBV e clubes se reúnam para sacramentar a tabela da competição, prevista para começar em outubro.

Já escrevi bastante nos últimos tempos sobre esta relação clubes/CBV. Os dois lados estiveram muito afastados tempos atrás. Bateram boca, trocaram farpas, começaram a sentar na mesma mesa, surgiu a Comissão Nacional de Clubes e uma discussão conjunta sobre ações futuras. Já é um avanço, convenhamos. Mas precisam chegar a algum consenso rapidamente pelo bem do esporte. Há tempos que os clubes desejam ter em suas mãos algumas propriedades de marketing da Superliga, que julgam importantes para a atração de mais investidores e/ou manutenção dos atuais no esporte. Isso vale para placas em torno da quadra, backdrops, venda de publicidade no piso dos ginásios, etc. A CBV criou comissões com participantes de atletas, dirigentes e sinaliza com repasse de parte da verba que recebe pela transferência de atletas.

As ideias estão na mesa. É esperar agora pelos desdobramentos.



  • Edu

    Apenas acrescentar que no convenio firmado entre a equipe do Taubaté/Funvic e o SPFC ficou sob a responsabilidade do clube de futebol paulista levar um acrescimento de patrocínio de 2 milhões de reais pela temporada.Passado um mês do inicio dos trabalhos já foi anunciado que o patrocinador deu cano e pagou apenas uma das dez prestações apalavradas já anunciando o calote do restante do compromisso.Assim, uma das equipes de maior folha salarial da temporada e candidata ao título como também promotora do próximo sulamericano de clubes masculino em fevereiro inicia os trabalhos com um buraco no seu orçamento.Imaginem então as menores.

MaisRecentes

A velocidade do Sesc, com Thiaguinho, impressiona



Continue Lendo

O novo conceito da FIVB para 2018



Continue Lendo

Apenas Lebes/Canoas faz o dever de casa na rodada



Continue Lendo