CBV confirma mudanças nas finais da Superliga



A Superliga 2014/2015 terá modelo de disputa diferente para homens e mulheres.

No masculino, os clubes aprovaram as finais em melhor de três jogos. No feminino, os participantes resolveram manter o regulamento atual, com a decisão em partida única.

Falta agora negociar com a Globo, para saber se ela encontrará espaço na grade para transmitir todas as partidas decisivas do torneio masculino. Mas foi o risco calculado que os times assumiram correr.

Como já escrevi na minha coluna da última semana (http://blogs.lancenet.com.br/volei/2014/09/14/coluna-de-domingo-semana-de-decisao-para-a-superliga/), prefiro o formato de playoff que a Superliga masculina terá.

Outra decisão tomada foi em relação ao rebaixamento. Os dez primeiros colocados (serão 13 participantes em cada naipe) se garantem na edição seguinte, ganhando o “reforço” do vencedor da Superliga B. A última vaga passará a ser disputada pelos times que ficaram em 11º, 12º e 13º, além dos participantes da Segunda Divisão. Deste torneio sairá o 12º time que jogará a elite em 2015/2016. A intenção da entidade é fixar em 12 o número de equipes nas futuras edições.



  • Michel Pereira de Oliveira

    Novamente a decisão dos times femininos resulta em m…
    Vide o ranking, a final única… mais um exemplo de que a preocupação é mais com o próprio umbigo, não com o espetáculo em si.
    Se a decisão coubesse a anunciantes, torcedores e ao público em geral, certamente teríamos, no mínimo, uma final em melhor de 3 jogos (algo que considero o ideal). Seria mais uma alternativa pra divulgar ainda mais o esporte.

  • Paula

    Enquanto dirigentes como Bollmann deram as cartas a Superliga feminina nunca vai sair da mediocridade, para eles é ótimo que a qualidade do campeonato seja nivelado por baixo.

  • Fernando

    Uma pena no feminino, um campeonato inteiro ser decidido numa única partida, isso só demonstra o atraso e submissão da CBV à rede Bobo.

    • Biel

      A CBV não tem nada a ver com isso, ela deixa a decisão com os clubes e eles que metem os pés pelas mãos.

  • Osmar Cordeiro

    Adorei a notícia de 3 jogos finais , com isto as equipes ganham em visibilidade e espero que a renda dos jogos fiquem com os clubes que precisam ter o retorno financeiro ,e o melhor que ambas as torcidas das equipes finalistas poderão assistir os jogos em suas cidades . O que não concordo é essa diferença de regulamento , no masculino é um e no feminino é outro , ambos deveriam seguir a mesma fórmula . Com a entrada de um novo canal para transmissões a Globo poderia valorizar ainda mais o nosso vôlei , espero que este novo canal transmite jogos diferentes da grade do Sportv e se for emissora aberta é melhor ainda . Sobre a queda da B , torneio pra decidir o 12º clube isto na minha opinião é lenda , este ano era pra acontecer a mesma coisa e não mudou nada , o Vôleisul com certeza conseguiu apoio para se manter na A , hj em dia é assim tem condições não precisa disputar a B , pagando o “convite” da CBV entra pela porta da frente .

  • NÃO ASSISTO MAIS JOGO DA SUPERLIGA

    Daniel, a partir de hoje não assisto mais jogos da Superliga. Vou acompanhar os campeonatos europeus. Desânimo total com a organização do vôlei brasileiro. Luizomar de Moura é um técnico medíocre e foi o defensor de final em jogo único. Tomara que o Molico fique fora da final igual aconteceu na última temporada pra esse babaca se fuder.

    • Biel

      Luizomar, Bernardo, Wagão, …, o único que votou contra a final única foi o SESI-SP.

  • Mauricio Diniz

    Se os clubes não passarem a fazer exigências e começar a bater
    de frente com a Globo ou com quem quer que mande, nunca
    vão conseguir nenhuma melhoria para o vôlei.
    Palmas para o masculino e parece, pelo menos para mim, que
    faltam pessoas para discutir/negociar certos aspectos com a
    Globo (pela forma de transmissão).
    Se os clubes fossem mais “destemidos” – em especial os
    femininos – quem sabe fosse possível a final em, no mínimo, 3
    jogos como foi conseguido pelo basquete.

  • Douglas

    Decisão em partida única no feminino? SÉRIO?

  • Mari

    Sério??!! Final única pra superliga feminina?? Que palhaçada!! Melhor de 3 jogos seria muito mais interessante. É uma pena mesmo….os representantes das equipes femininas perderam uma oportunidade de ouro.

  • Matheus

    Eita mais esses clubes da superliga feminina são umas antas mesmo , a tempo tempo se falava desse sistema de final ser literalmente uma m**** , ai quando aparece a oportunidade eles nao mudam , pqp ein .

  • LEO

    Daniel, você tem alguma informação sobre a entrada de uma nova emissora na transmissão dos jogos? Ouvi falar que Esporte Interativo e Band querem transmitir. Essa informação procede?

    • Daniel Bortoletto

      em parte, procede

  • iuri

    hahahahaha eles falaram dos 12 times já na temporada passada, quase q exatamente dessa mesma forma: com os 10 primeiros garantidos + campeão da SL B + algum outro time. E, surpresa, surpresa, NÃO cumpriram o acordo. Até parece MESMO q vão acabar com os penetras…vai ser sempre esse lenga lenga e entra na superliga quem quer ($)!

  • ALINE

    Antes de mais nada quero dar meus parabéns ao Bernardinho, à toda comissão técnica e aos jogadores pela raça, coragem, determinação e CONTRA TUDO E CONTRA TODOS, conseguiram um resultado muito bom levando em consideração TODAS AS CIRCUNSTÂNCIAS CONTRA. MURILO fez falta? Claro que sim e MUITA!!! Nosso MVP olímpico é fundamental para o Bruninho usar o máximo de sua criatividade e os nossos centrais participarem mais do jogo! Mas LIPE comprometeu? Não! Dentro das características dele, que são principalmente o ataque e o saque, ele foi muito BEM! Porém, o ideal seria ter MURILO E LIPE em condições de jogo… Mas foi sensato por parte da equipe médica e do Bernardinho poupar o Murilo e não fazê-lo jogar no sacrifício, podendo agravar a lesão… Quem sabe contra a Rússia? Mas se não der, quem sabe na semifinal? Vários fatores conspiravam contra o Brasil e considero a derrota de 3×2 um EXCELENTE RESULTADO DIANTE DAS CIRCUNSTÂNCIAS: 1)Enquanto a Polônia não teve que viajar e aproveitou o tempo para descansar/treinar, o Brasil teve que perder tempo se deslocando de Katowice para Lodz. 2) O Brasil além da baixa importantíssima do nosso MVP olímpico, teve que jogar com WALLACE e SIDÃO sem estarem 100%. 3) A torcida polonesa é muito fanática, É UM INFERNO VERMELHO NA ARQUIBANCADA, isso ajudou e muito os poloneses buscarem na raça esse 3×2. 4)Ter apenas um dia de intervalo entre aquele jogo tenso com a Rússia e agora esse jogo mais tenso ainda com Polônia ainda tendo que mudar de cidade, hotel etc foi desgastante para o Brasil. 5) No final das contas o Brasil conseguiu marcar UM PONTO nesse confronto e segue com moral para a decisão contra a Rússia. Tanto Brasil qto Polônia estão de parabéns, foi um jogo pra lá de emocionante, repleto de possibilidades, qualquer time poderia ter vencido. O tie break foi de tirar o fôlego, o Brasil lutou muito e por pouquíssimo não deu… O Brasil tem um time excelente, raçudo, que dá gosto de ver, jogam como equipe, sem individualismo, por tudo isso O BRASIL NÃO MERECE ESTAR FORA DAS SEMIFINAIS. O BRASIL VENCERÁ A RÚSSIA,DE NOVO,COM CERTEZA!!! NÃO SERIA NEM UM POUCO BOM pra esse campeonato já ESTRAGADO PELO REGULAMENTO, que o Brasil fosse eliminado amanhã! FORÇA BRASIL!!!

    • Euripedes Junior

      ?

MaisRecentes

A velocidade do Sesc, com Thiaguinho, impressiona



Continue Lendo

O novo conceito da FIVB para 2018



Continue Lendo

Apenas Lebes/Canoas faz o dever de casa na rodada



Continue Lendo